terça-feira, 9 de julho de 2013

9 DE JULHO - ROD STEIGER


 
EFEMÉRIDERod Steiger, de seu nome completo Rodney Stephen Steiger, actor norte-americano, morreu em Los Angeles no dia 9 de Julho de 2002, vítima de pneumonia e insuficiência renal. Nascera em Westhampton, Nova Iorque, em 14 de Abril de 1925. Rod mudou-se com a mãe para Newark, Nova Jersey, depois do divórcio dos pais.
Saiu da Westside High School aos 16 anos e ingressou na Marinha, tendo participado na Grande Guerra, no Pacífico, a bordo de um destroyer. Voltou a Nova Jersey após o fim do conflito. Encontrou trabalho na vida civil e, mais tarde, juntou-se a um grupo de teatro amador, entrando depois para o famoso Actors Studio.
Rod Steiger desempenhou o seu primeiro papel no cinema em 1950. Teve o primeiro grande sucesso com “Teresa” (1951), a que se seguiu o papel principal na película “Marty” (1953), na versão para a The Philco Television Playhouse. No entanto, a versão deste filme para o cinema acabou por ser interpretada por Ernest Borgnine que, com ele, ganhou o Oscar. A sua carreira teve novo impulso no ano seguinte, com a participação e nomeação para o Oscar em “Sindicato de Ladrões” de Elia Kazan.
Em 1964, recebeu a segunda nomeação para os Oscares, com “O Homem do Prego”. Em 1967, conseguiu o seu maior papel – o de xerife Bill Gillespie em “No Calor da Noite”, contracenando com Sidney Poitier. Steiger conseguiu, finalmente, o Oscar de Melhor Actor pelo seu trabalho neste filme.
Foi-lhe oferecido o papel principal em “Patton – Rebelde ou Herói?” (1970), mas recusou-o, dizendo: «Eu não vou glorificar a guerra!». O papel foi então entregue a George C. Scott, que ganhou o Oscar com a sua interpretação. Steiger diria mais tarde que esta sua recusa «fora o acto mais idiota da sua vida…».
Rod Steiger, ao longo da carreira, entrou em cerca de cem filmes, tendo participado ainda em 30 produções televisivas.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...