quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Inacreditável - Carinhos entre uma mulher e um leão num zoo da Colômbia

EFEMÉRIDE - Max Linder, de seu verdadeiro nome Gabriel Leuvielle, realizador e actor de cinema francês da era do cinema mudo, morreu em Paris, no dia 31 de Outubro de 1925. Nascera em Saint-Loubés, em 16 de Dezembro de 1883.
Max Linder esteve na origem da primeira geração de actores norte-americanos, tendo influenciado Chaplin, que o estudou aprofundadamente.
Depois de desenvolver e estudar diferentes personagens, Linder encontrou finalmente o seu “alter-ego” no personagem de Max, um homem da cidade, vestido de forma elegante e usando chapéu, que constantemente arranjava sarilhos por ser um “bon vivant” e andar sempre atrás de saias.
Com a criação do personagem “Max Linder”, tornou-se na primeira figura do cinema a ser reconhecida pelo público.
Fez praticamente a sua carreira na América, onde entrou e realizou inúmeros filmes. Voltou depois a França, passou uns tempos na Áustria e entrou ainda em várias películas, antes de se suicidar ingerindo vários soníferos.
A sua filha, Maud Linder, é a autora do filme “O Homem do Chapéu de Seda”, que conta a vida e descreve a obra de seu pai, através de extractos dos seus filmes e de documentos da época. Max Linder é aí apresentado como «o primeiro autor-actor da história do cinema».
Um cinema de Paris foi baptizado com o seu nome, o “Max Linder Panorama”.

terça-feira, 30 de outubro de 2007

Ginasta espectacular!

EFEMÉRIDE - Miguel Hernández Gilabert, um dos maiores poetas e dramaturgos espanhóis do século XX, nasceu em Orihuela, Alicante, em 30 de Outubro de 1910. Morreu em Alicante, no dia 28 de Março de 1942. Publicou o seu primeiro livro de poesia aos vinte e três anos de idade.
Filho de um pastor, com sete irmãos, passou a infância e adolescência entre a escola e o rebanho de seu pai. Aos catorze anos, teve de abandonar os estudos para ajudar a família. Apesar de tudo, o jovem Miguel sempre ia arranjando tempo para frequentar a biblioteca, absorvido pela leitura de obras de grandes autores espanhóis. Ao mesmo tempo que estudava literatura de forma autodidacta, começou a escrever e, em 1929, publicou o seu primeiro poema no semanário El Pueblo.
Quando começou a Guerra Civil Espanhola, Miguel Hernández alistou-se ao lado dos Republicanos. No verão de 1937, tomou parte no 2º Congresso Internacional de Autores Antifascistas.
Em Abril de 1939, acabada a guerra com a vitória das forças do ditador Franco, Miguel Hernández tentou fugir de Espanha e entrar em Portugal. Na fronteira, foi preso pela polícia do regime fascista português, que o entregou à “Guarda Civil” espanhola. Em Março de 1940, foi condenado à morte, pena que seria comutada em 30 anos de prisão. Acabou por morrer, dois anos depois, vítima de tuberculose, numa Prisão Reformatório em Alicante.
Vários dos seus poemas foram transformados em canções por Paco Ibáñez e Joan Manuel Serrat, entre outros.

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

E AINDA DIZEM QUE AS LOIRAS SÃO BURRAS...

No escritório:
- Conheço uma maneira de conseguir uns dias de folga! - Diz o empregado à sua colega loira.
- E como é que vais fazer isso? - Diz a loira.
- Vou-te mostrar. E subiu pela viga, pendurando-se de cabeça para baixo no tecto.
Nesse momento o chefe entrou, viu o empregado pendurado no tecto e perguntou:
- Que diabo você está a fazer aí?
- Sou uma lâmpada.
- Respondeu o empregado.
- Hummm... acho que você precisa de uns dias de folga. Vá p'ra casa.
Ouvindo isto, o homem desceu da viga e dirigiu-se para a porta.
A loira preparou-se imediatamente para sair também.
O chefe puxou-a pelo braço e perguntou-lhe:
- Onde você pensa que vai?
- Eu vou para casa! Não consigo trabalhar às escuras!!!...

Não olhe ostensivamente, senão...

EFEMÉRIDE - Hyppolyte Jean Giraudoux, destacado dramaturgo francês, nasceu em Bellac, Haute-Vienne, em 29 de Outubro de 1882. Morreu em Paris, no dia 31 de Janeiro de 1944, vítima de doença no pâncreas, embora se tenha dito que fora envenenado pela Gestapo.
Os seus estudos foram brilhantes, parte deles na Alemanha, tendo-se apaixonado pela cultura alemã.
Foi mobilizado para a Primeira Guerra Mundial, tendo sido ferido em combate e nomeado Cavaleiro da Legião de Honra.
Exerceu actividade diplomática na Rússia e no Oriente e foi Ministro da Propaganda no início da Segunda Guerra Mundial.
Deixou inúmeras obras, romances, ensaios, novelas e peças de teatro. A sua peça mais representada é “A Louca de Chaillot”, escrita no ano da sua morte e qu foi estreada um ano depois.

domingo, 28 de outubro de 2007

no comments...

Mulher Ideal (Humor, claro!)

EFEMÉRIDE - William Henry Gates, conhecido por Bill Gates, informático e empresário norte-americano, um dos fundadores da Microsoft, a maior e mais conhecida empresa de software do mundo, nasceu em Seattle, no dia 28 de Outubro de 1955.
Bill Gates frequentou as melhores escolas particulares de Seattle e participou no movimento escoteiro. Foi admitido na Universidade de Harvard, mas abandonou o curso de Matemática no 3° ano, para se dedicar inteiramente à programação informática. Desenvolveu, juntamente com Paul Allen, um interpretador da linguagem BASIC para um dos primeiros computadores pessoais lançado nos Estados Unidos - o Altair 8800. Após um modesto sucesso na comercialização deste produto, Gates e Allen fundaram a Microsoft, dedicada exclusivamente ao mercado de programas para computadores. Gates adquiriu, ao longo dos anos, uma fama de visionário e de negociador agressivo, sendo acusado também, por alguns concorrentes, de utilizar práticas comerciais desleais.
A primeira versão de Windows foi lançada em 1985. No ano seguinte, a Microsoft fez a sua entrada na bolsa e Gates tornou-se milionário. Dez anos mais tarde seria considerado o homem mais rico do mundo.
Em 2005, foi condecorado com o título de Cavaleiro do Império Britânico. Por não ser súbdito inglês, não pode utilizar o título de “Sir”, mas tem o direito de acrescentar ao seu nome as letras KBE (Knight of British Empire).
Em Junho de 2006, anunciou que ia deixar progressivamente o cargo de director da Microsoft para se consagrar à “Bill & Melinda Gates Foundation” e que 95% da sua fortuna seriam legados à luta contra as doenças e o analfabetismo nos países do Sul.
Algumas curiosidades: Bill Gates teria alugado todos os helicópteros num largo raio à volta do local do seu casamento, para evitar de ser importunado pelos paparazzi. Em 1994, adquiriu num leilão, por cerca de 31 milhões de dólares, o “Codex Hammer” (ex Codex Leicester), célebre manuscrito de Leonardo Da Vinci. É um apaixonado jogador de Bridge. No filme “South Park”, Bill Gates é “assassinado” pelo chefe do exército americano, em virtude da lentidão do Windows 98...

sábado, 27 de outubro de 2007

Os amigos são para as ocasiões... Ou não?

EFEMÉRIDE - Sylvia Plath, escritora norte-americana, nasceu em Jamaica Plain, Massachusetts, em 27 de Outubro de 1932. Morreu em Londres, no dia 11 de Fevereiro de 1963.
Publicou o seu primeiro poema aos oito anos e, durante a sua juventude e adolescência, já escrevia poesias, contos e ensaios, colaborando em várias revistas.
Em 1953, durante uma das muitas crises de depressão, tentou o suicídio e foi internada pela família numa instituição de saúde mental. Alguns meses depois, aparentemente recuperada, voltou aos estudos e formou-se com distinção, após o que recebeu uma bolsa para a Universidade de Cambridge, na Inglaterra. Aqui conheceu o também poeta Ted Hughes, com quem se casou. Voltou à América, onde foi professora até 1959, ano em que regressou à Europa. A sua vida conjugal foi sempre muito agitada, devido sobretudo à sua instabilidade. Acabou por se separar quando já tinha dois filhos.
A produção literária intensificou-se então, produzindo belos poemas, extremamente intensos, nos últimos meses de vida.
Um mês após a publicação de seu primeiro romance, uma autobiografia (A Redoma de Vidro), Sylvia Plath suicidou-se inalando gás de cozinha. Teve o cuidado de vedar o quarto dos filhos e deixar preparado o pequeno-almoço deles, antes de abrir a válvula. Morria aos trinta anos.
Sylvia Plath foi a primeira mulher a ganhar o Prémio Pulitzer, a título póstumo em 1982.

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

PECADOS

Um Lisboeta, depois de um dia de árduo trabalho, vê um Alentejano deitado, na maior…
O Lisboeta não resiste e diz:
-Você sabia que a preguiça é um dos sete pecados capitais?
E o Alentejano, sem sequer se mexer, responde:
- A inveja também!!
A FAMA DOS POLÍTICOS

Um autocarro cheio de políticos bate numa árvore algures no Alentejo, perto de um monte.
O dono do monte, que testemunha o acidente, encarrega-se de enterrar todos os políticos.
Alguns dias depois chega um investigador que vê o autocarro espatifado e pergunta ao dono do monte o que aconteceu aos políticos que estavam no autocarro.
- Eu enterrei-os - disse o homem .
- Mas... estavam TODOS mortos? - indaga o investigador .
O homem responde:
- Havia alguns que diziam que não. Mas você sabe como os políticos são... Muito mentirosos!!...

N.A.D.A.
(quadras obrigada a acróstico)

1
N
evoeiro sobre o mar,
A praia ficou deserta,
Danço para não chorar
A tristeza que me aperta.
2
Ninguém pode avaliar
A tristeza que eu senti,
Deixando lá junto ao mar
A Mulher por quem sofri!
3
N
ada será como outrora,
A vida não volta atrás,
Depois da noite a Aurora,
Após a guerra vem a Paz.


Gabriel de Sousa

Vingança

EFEMÉRIDE - Igor Ivanovich Sikorsky, pioneiro da aviação ucraniano, morreu em Easton, Connecticut, em 26 de Outubro de 1972. Nascera em Kiev, no dia 25 de Maio de 1889. Concebeu o primeiro avião quadri-reactor e o primeiro helicóptero com um só rotor principal. Fundou a sociedade Sikorsky Aircraft Corporation em 1923.
Filho de um professor de psicologia e de uma médica, foi esta última quem assegurou o seu ensino até ao 9º ano. Simultaneamente desenvolveu no filho o interesse pela vida e obra de Leonardo Da Vinci e pelos romances de Júlio Verne. Foi assim que ele começou muito cedo a fazer as suas primeiras experiências e “fabricou”, aos doze anos, um pequeno helicóptero movido por um elástico.
De 1903 a 1909 estudou no Colégio de Guerra Naval de São Petersburgo, com um interregno de um ano (1906/1907) em que recebeu formação de engenheiro em Paris. Numa viagem que fez à Alemanha com o seu pai, descobriu a foto de um dos pioneiros da aviação americana (um dos irmãos Wright), junto do seu avião. Diria mais tarde que, no espaço de 24 horas, decidira dedicar a sua vida à aviação. Voltou a Paris em 1909, para estudar aerodinâmica.
Regressado a Kiev, começou a fazer experiências com “máquinas voadoras”. Concebeu um primeiro avião, que foi encomendado em série pela Armada Russa e que viria a actuar nos cenários da Primeira Guerra Mundial.
Para poder dar asas à sua imaginação e visto que a Europa tinha ficado devastada pela guerra, fixou-se nos Estados Unidos em 1919, onde desenvolveu a sua actividade, tendo adquirido a nacionalidade americana em 1928.
Em 1939, o seu sonho de menino concretizou-se e construiu o primeiro helicóptero com um só rotor principal – o Vought-Sikorsky 300.

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Prodígio de seis anos - Vale a pena ver e ouvir

EFEMÉRIDE - Amadeo de Souza-Cardoso, pintor português, precursor da arte moderna, morreu em Espinho, no dia 25 de Outubro de 1918, vítima de pneumonia. Nascera em Manhufe, Amarante, em 14 de Novembro de 1887. Desapareceu prematuramente, com menos de 31 anos, mas a sua obra ficou imortal.
A família influenciou-o a seguir a carreira de Direito, mas em breve ele desistiria, preferindo cursar Arquitectura na Academia de Belas Artes de Lisboa. O curso porém não o satisfez e em breve partia para Paris, instalando-se no bairro de Montparnasse. As suas primeiras manifestações artísticas foram desenhos e caricaturas, dedicando-se depois à pintura. Pode dizer-se que ele foi um pintor impressionista, expressionista, cubista e futurista. Ele, no entanto, recusou sempre qualquer rótulo, procurando a originalidade e a criatividade para a realização da sua obra.
Frequentou ateliers que preparavam para a Academia de Belas Artes francesa. Em 1911 expôs alguns dos seus trabalhos no “Salão dos Independentes”, aproximando-se de artistas de vanguarda. Participou numa exposição, em 1913, nos Estados Unidos da América, a que se seguiram duas exposições em Portugal (Lisboa e Porto) e uma em Berlim.
Em 1914, regressou a Portugal, onde iniciou uma carreira excepcionalmente produtiva que o levou, em 1916, a expor no Porto 114 obras com o título de “Abstraccionismo”. Nos seus últimos trabalhos experimentou novas formas e técnicas de pintura.
À medida que os preconceitos em relação ao modernismo foram desaparecendo, a sua obra ganhou a devida importância. Amadeo de Souza-Cardoso foi um visionário, que viveu fora do seu tempo.

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Abaixo o racismo!!

EFEMÉRIDE - Rosa Louise McCauley Parks, costureira negra norte-americana, que se tornou figura emblemática da luta contra a segregação racial nos Estados Unidos, morreu em Detroit, no dia 24 de Outubro de 2005. Nascera em Tuskegee, no Alabama, em 4 de Fevereiro de 1913. Tornou-se famosa em 1 de Dezembro de 1955, em Montgomery, por se ter recusado a ceder o seu lugar num bus a um branco. Foi presa e condenada a pagar uma multa.
Dando como exemplo o procedimento de Rosa Parks, um jovem pastor negro incitou os seus fiéis a fazer o mesmo, isto é, a rejeitar o transporte oferecido pelos brancos, sem o devido respeito. Este pastor era Martin Luther King Jr. O boicote aos transportes foi bastante seguido, levando à quase paralisação da frota do transportador. Muitos donativos começaram a afluir, até do estrangeiro, o que permitiu a organização de serviços de transportes alternativos. Em Novembro de 1956, a Corte Suprema declarou inconstitucional a segregação nos bus. O boicote aos transportes terminou, mas a violência contra os negros ia continuar.
O racismo era algo de bem arreigado no Sul dos Estados Unidos. Havia mesmo fontes reservadas aos Brancos e aos Negros. Quando era criança, Rosa pensava que a água das fontes para Brancos tinha melhor gosto do que a dos Negros. Só em 1965, o fim da segregação racial foi total, pelo menos ao nível de leis.
Rosa Parks acabou os seus estudos secundários já adulta, numa época em que somente 7% dos Negros tinham este nível de estudos. Pertenceu a vários movimentos cívicos e tornou-se num ícone para os todos os movimentos que lutavam pela igualdade racial.
Reformou-se em 1988 e acabou a vida com grandes dificuldades. Tinha dificuldades em pagar a renda de casa e teve de pedir a ajuda da “sua” igreja, para que o proprietário parasse com a perseguição judicial. A partir de 2004, começou a sofrer de demência degenerativa. Quando morreu, o seu corpo ficou exposto durante dois dias na rotunda do Capitólio, onde só 31 personalidades, nenhuma mulher, tinham merecido essa honra.
Em 1999, a revista Times nomeou-a como uma das vinte mais importantes figuras do século XX. Há ruas, escolas, museus e bibliotecas com o seu nome um pouco por todo o lado, mesmo no estrangeiro. Era doutora honoris causa de duas dezenas de universidades pelo mundo fora.

terça-feira, 23 de outubro de 2007

20 ANOS DE CADEIA
Uma mulher acorda durante a noite e apercebe-se que o marido não está na cama. Veste o robe e desce para ver onde ele está.
Encontra-o na cozinha, sentado, pensativo, diante de uma taça de café. Parece consternado, olhar fixo na chávena. Tanto mais que o vê limpar uma lágrima.
- O que é que se passa, querido?O marido levanta os olhos e pergunta-lhe docemente:- Lembras-te, há 20 anos, quando saímos juntos pela primeira vez? Tu tinhas apenas 16 anos.
- Sim, lembro-me como se fosse hoje.
- Responde ela.
O marido faz uma pausa. As palavras custam a sair.
- Lembras-te quando o teu pai nos surpreendeu enquanto fazíamos amor no banco de trás do carro?
- Sim, lembro-me perfeitamente
- diz a mulher sentando-se ao seu lado.
O marido continua:
- Lembras-te quando ele apontou uma arma à minha cabeça dizendo "ou casas com a minha filha, ou mando-te p'ra cadeia por 20 anos
"?
- Lembro, lembro
- responde-lhe ela docemente.
Ele limpa mais uma lágrima e diz:
- Hoje sairia em Liberdade!

Em directo, "Notícias" num canal brasileiro. Para sorrir.

EFEMÉRIDE - Pierre Jules Théophile Gautier, romancista, poeta, pintor, jornalista e crítico literário francês, morreu em Neuilly-sur-Seine, Paris, em 23 de Outubro de 1872. Nascera em Tarbes, no dia 31 de Agosto de 1811.
Mudou-se para Paris ainda bastante jovem, no intuito de se dedicar à pintura. Vítor Hugo influenciou-o no entanto a interessar-se pela literatura. Vestindo de modo exótico (colete vermelho e calças verdes) tornou-se bastante conhecido, antes mesmo de alcançar fama como escritor.
Com 19 anos, publicou os seus primeiros poemas. Por imperativos económicos, teve de se dedicar durante algum tempo à crítica dramática, literária e artística, nos jornais La Presse e no Monitor.
A sua obra compreende várias colectâneas de poesias, contos, romances, diários de viagem, peças de teatro e de ballet.
Théophile Gautier fez várias viagens a partir de 1843, que enriqueceram muitas das suas obras. Esteve em Espanha, Argélia, Itália, Grécia, Turquia, Rússia e Egipto.
Dava prioridade à poesia, fazendo dela um exercício diário. Contava entre os seus amigos com vários escritores, que ficariam célebres, entre outros Baudelaire, Dumas filho e Gustave Flaubert, alguns dos quais lhe dedicaram algumas das suas obras.

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Saber aproveitar o que está mais à mão...

EFEMÉRIDE - Sarah Bernhardt, pseudónimo de Marie Henriette Bernardt, célebre actriz de teatro francesa, nasceu em Paris, no dia 22 de Outubro de 1844. Morreu na mesma cidade, em 26 de Março de 1923.
A representação de A Dama das Camélias de Alexandre Dumas foi a sua actuação mais relevante.
Visitou vários países no estrangeiro, incluindo o Brasil por quatro vezes, as duas primeiras ainda durante o reinado de D. Pedro II. Na sua última visita, sofreu um acidente que lhe gerou sérios problemas numa perna e que veio a culminar, anos depois, na sua amputação.
Aos 15 anos, a mãe tratou de a introduzir nos ambientes mundanos, para que ganhasse a vida como prostituta de luxo, como ela própria. Sarah, porém, influenciada por uma educação religiosa, negou-se repetidamente e, veio a inscrever-se no Conservatoire de Musique et Declamation (1859), graças aos contactos de um “cliente” de sua mãe.
Em 1861, ganhou o 2º Prémio em Tragédia e uma Menção Honrosa em Comédia. Um ano depois, ingressou na “Comédie Française” onde se estreou com a obra “Efigénia” de Racine.
Com uma carreira brilhante no Teatro, tornou-se também actriz de Cinema, tendo rodado oito filmes. Recebeu a Legião de Honra Francesa em 1914. Aos setenta anos, foi-lhe amputada uma perna, o que não a impediu de continuar a sua carreira, representando sentada.
Morreu nos braços do seu único filho, tendo sido enterrada no célebre cemitério Père-Lachaise, em Paris.

domingo, 21 de outubro de 2007

Quando conduzir, não seja malcriado. Senão...

EFEMÉRIDE - Francisca Praguer Fróes, médica e feminista brasileira, nasceu em Cachoeira, no dia 21 de Outubro de 1872. Morreu no Rio de Janeiro em 1931, quando participava na capital brasileira de então no II Congresso Internacional Feminista. Foi das primeiras mulheres formadas em Medicina e também a defender os Direitos das Mulheres.
Matriculou-se aos dezasseis anos na Faculdade de Medicina da Baía, tendo-se formado cinco anos depois. Participou activamente em muitos debates médicos e políticos em que eram discutidos assuntos relacionados com a mulher e o seu papel na sociedade. Escreveu vários artigos científicos na Gazeta Médica da Baía, num deles relatando mesmo um caso clínico de gravidez extra-uterina.
Foi uma das primeiras mulheres, em 1917, a defender abertamente o divórcio.
O seu nome foi dado a uma rua da capital baiana.

sábado, 20 de outubro de 2007

EFEMÉRIDE - Alphonse Allais, escritor, jornalista e humorista francês, nasceu em Honfleur, Calvados, em 20 de Outubro de 1854. Morreu no dia 28 de Outubro de 1905, vítima de embolia pulmonar.
Deixou-nos a imagem de um homem com humor ácido e era um especialista da teoria do absurdo. As suas pesquisas são menos conhecidas: fotografia a cores e brevet para café liofilizado.
Foi um pilar importante do cabaret “Chat Noir” em que dirigia a revista e apresentou telas monocrómicas num “Salão de Artes Incoerentes
Compôs centenas de contos humorísticos, escritos com rapidez impressionante. Dedicou-se igualmente à poesia.
Uma das suas frases que ficou célebre: “A Mulher é a obra-prima de Deus, sobretudo quando ela tem o diabo no corpo”.
O seu túmulo desapareceu depois do bombardeamento da 2ª Grande Guerra e foram as suas cinzas “virtuais” que foram transferidas para Montmartre no centenário da sua morte.

O Poder da Mente

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Novo modo para entrar no carro: tente imitar!!

EFEMÉRIDE - Cesare Lombroso, médico, cientista e professor de medicina legal italiano, morreu em Turim, no dia 19 de Outubro de 1909. Nascera em Verona, em 6 de Novembro de 1835.
Formou-se em Medicina, na Universidade de Pavia e em Cirurgia, na Universidade de Génova, partindo depois para Viena. Aos vinte anos, fez um estudo sobre a loucura e, quatro anos mais tarde, um outro sobre ferimentos com armas de fogo.
Mais tarde, frequentou um curso de Psiquiatria e foi director dos manicómios de Pavia e de Pádua. Em 1876, publicou o seu primeiro livro sobre criminologia “O Homem Delinquente”.
Pesquisou também tudo o que dizia respeito aos médiuns e, no final, concluiu que havia comprovação científica da doutrina e fenómenos estudados. Tornou-se então um defensor da Espiritismo em Itália.
Por outro lado, as ideias defendidas por Lombroso acerca do "criminoso nato", inclinavam-se para a tese que, pela análise de determinadas características somáticas, seria possível antever quais os indivíduos que enveredariam pelo crime, contrariamente a outros antropólogos que defendiam - tão só - a ideia da influência do meio sobre o indivíduo. Depois de trabalhar em milhares de crânios de criminosos, observou a frequência de certas características comuns.
Em 1899, escreveu “O Crime, Causas e Remédios” onde reconheceu finalmente a influência do meio, mas não abandonando nunca a ideia do “criminoso nato”.
Lombroso teve importante influência no Direito Penal em todo o mundo, sendo dos primeiros a defender a implementação de medidas para evitar o crime, tais como a educação, uma boa iluminação pública e o policiamento ostensivo - além de muitas ideias inovadoras para a aplicação de penas.

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

AINDA O JOÃOZINHO…

Dois garotinhos no recreio:
- Onde está a sua mãe, Joãozinho?
- Ela caiu dentro de um poço na semana passada.
- Meu Deus do céu, que desgraça! E como ela está agora?
- Eu acho que está melhor. Desde ontem já não grita!

As mulheres são imprevisíveis

EFEMÉRIDE - Casimiro José Marques de Abreu, poeta romântico brasileiro, morreu muito novo em Nova Friburgo, no dia 18 de Outubro de 1860. Nascera em Barra de São João, em 4 de Janeiro de 1839.
Era filho de um comerciante português e de Luísa Joaquina das Neves, uma fazendeira viúva. A localidade onde nasceu, Barra de São João, tem hoje o seu nome.
Casimiro de Abreu tinha como estudos apenas a instrução primária, que cursou entre os onze e os treze anos. Foi depois para o Rio de Janeiro para trabalhar no comércio com o pai. Em 1853, embarcou para Portugal com a finalidade de “adquirir uma educação literária”, aqui se relacionando com os intelectuais da época e escrevendo a maior parte da sua obra.
Em Lisboa, escreveu também o drama “Camões e o Jau”, que foi representado e publicado no mesmo ano.
Voltou ao Brasil em 1857, continuando a levar uma vida boémia. Escreveu em vários jornais, tornou-se amigo de Machado de Assis e foi escolhido para a Academia Brasileira de Letras. Toda a sua poesia foi publicada em 1859, sob o título de “Primaveras”. Tinha uma escrita espontânea, ingénua e simples, versando sobretudo temas de amor e saudade. Vítima de tuberculose, retirou-se para a fazenda de seu pai, onde veio a falecer pouco tempo depois.

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

PARA NÃO DIZER MAIS QUE A LÍNGUA PORTUGUESA É COMPLICADA, LEIA EM VOZ ALTA:

- Três bruxas olham para três relógios Swatch. Qual bruxa olha para qual relógio Swatch
?
E agora em inglês:
- Three witches watch three
Swatch watches. Which witch watch which Swatch
watch?
Foi fácil? Então agora para os especialistas:
- Três bruxas suecas e transsexuais olham para os botões de três relógios Swatch suíços. Qual bruxa sueca transsexual olha para qual botão de qual relógio Swatch
suíço?
E agora em inglês:
- Three Swedish switched witches watch three Swiss Swatch watch switches. Which Swedish switched witch watch which Swiss Swatch
watch witch?
Conseguiu? Difícil? Então pronto, pare de dizer que a Língua Portuguesa é complicada!

CONFISSÃO - Novas Tecnologias

EFEMÉRIDE - António Victor Ramos Rosa, um dos grandes poetas portugueses contemporâneos, nasceu em Faro, no dia 17 de Outubro de 1924.
Em 1958, publicou no jornal “A Voz de Loulé” o poema "Os dias, sem matéria". No mesmo ano, saiu o seu primeiro livro “O Grito Claro”. Ainda em 1958, iniciou a publicação da revista “Cadernos do Meio-Dia” que, dois anos mais tarde, foi proibida pelo polícia política de Salazar. Radicou-se definitivamente em Lisboa no ano de 1962. Como meio de subsistência deu explicações e fez muitas traduções, antes de se dedicar inteiramente à Literatura (Poesia, Crítica e Ensaios).
Tem recebido inúmeros prémios, de que se salientam: Prémio Nacional de Poesia, da Secretaria de Estado de Informação e Turismo (recusado pelo autor, por razões políticas), 1971; Prémio Literário da Casa da Imprensa, 1972 ; Prémio da Fundação de Hautevilliers para o Diálogo de Culturas, 1976; Prémio P.E.N. Clube Português de Poesia, 1980; Prémio Jacinto do Prado Coelho, do Centro Português da Associação Internacional de Críticos Literários, 1987; Prémio da Bienal de Poesia de Liège, 1991; Poeta Europeu da Década, atribuído pelo Collège de L'Europe, 1991; Prémio Jean Malrieu para o melhor livro de poesia traduzido em França, 1992.
Colaborou em muitas revistas e jornais: Árvore, Cassiopeia, Cadernos do Meio-dia, Colóquio-Letras, O Tempo e o Modo, Raiz & Utopia, Seara Nova, Vértice, A Capital, Artes & Letras, Diário de Lisboa, Diário de Notícias, Diário Popular, etc.
É um dos mais fecundos poetas portugueses de todos os tempos. Foi dado o seu nome à Biblioteca Municipal de Faro.

terça-feira, 16 de outubro de 2007

Mas que Golo!! (Messi - Barcelona)

EFEMÉRIDE - Roger Vailland, romancista, ensaísta, dramaturgo e grande repórter francês, nasceu em Acy-en-Multien, no dia 16 de Outubro de 1907, tendo falecido em Meillonnas, em 12 de Maio de 1965, vítima de doença cancerosa pulmonar.
Licenciou-se em Letras na Sorbonne, em 1928, enveredando pela carreira de jornalista no Paris-Midi. Ajudou a fundar a revista “Le Grand Jeu” de que saíram apenas três números.
Roger Vailland conviveu com muitos intelectuais da época, tais como Breton, Aragon, Joyce, Cocteau, Gide, Prévert, etc. Repórter no France-Soir, percorreu diversos países, relatando as suas viagens e publicando romances-folhetins.
Quando da ocupação alemã, após algumas hesitações, alistou-se na Resistência. Escreveu “Drôle de Jeu”, que ganhou o Prémio Interallié em 1945.
Nos anos 1947/1950, viveu momentos difíceis economicamente, sobrevivendo graças à ajuda de vários amigos. Pertenceu ao Partido Comunista entre 1952 e 1956, escrevendo vários romances de cariz social e político. Dedicou-se depois a outros temas.
O seu livro “A Lei” conquistou, em 1957, o prestigiado Prémio Goncourt. Participou em vários filmes, com os seus textos e também com textos de outros autores.

segunda-feira, 15 de outubro de 2007

CHURCHILL GENIAL
 
Quando Churchill fez 80 anos um repórter de menos de 30 foi fotografá-lo e disse:
- Sir Winston, espero fotografá-lo novamente nos seus 90 anos.Resposta de Churchill:- Porque não? Você parece bastante saudável
.*********************
Telegramas trocados entre Bernard Shaw (maior dramaturgo inglês do século 20) e Churchill (maior líder inglês do século 20).
Convite de Bernard Shaw para Churchill:
"Tenho o prazer e a honra de convidar digno primeiro-ministro para primeira apresentação minha peça Pigmalião. Venha e traga um amigo, se tiver."Bernard Shaw
Resposta de Churchill para Bernard Shaw:
"Agradeço ilustre escritor honroso convite. Infelizmente não poderei comparecer primeira apresentação. Irei à segunda, se houver."Winston Churchill 
***********************
General Montgomery estava sendo homenageado, pois venceu Rommel na batalha da África, na IIª Guerra Mundial.
Discurso do General Montgomery:
"Não fumo, não bebo, não prevarico e sou herói"Churchill ouviu o discurso e com ciúmes, retrucou:
"Eu fumo, bebo, prevarico e sou chefe dele."
************************
Troca de palavras no Parlamento inglês. Aconteceu num dos discursos de Churchill em que estava uma deputada oposicionista, que pediu um aparte. Todos sabiam que Churchill não gostava que interrompessem os seus discursos. Mas foi dada a palavra à deputada e ela disse em alto e bom-tom:
-"Sr. Ministro, se V. Exa. fosse o meu marido, colocava veneno no seu café!"Churchill, com muita calma, tirou os óculos e, naquele silêncio em que todos estavam aguardando a resposta, exclamou:
-"Se eu fosse o seu marido, eu tomava esse café."

Os "primeiros socorros" de Mr. Bean

EFEMÉRIDE - Agustina Bessa-Luís, de seu verdadeiro nome Maria Agustina Ferreira Teixeira Bessa, uma das mais consagradas escritoras portuguesas, nasceu em Paço, Travanca, em 15 de Outubro de 1922. Em 2004, quase com 82 anos, ganhou o mais importante galardão literário da língua portuguesa - o Prémio Camões.
Dedicou quase toda a sua vida à criação literária, tendo-se estreado em 1948 (“Mundo Fechado”) e mantendo desde aí uma produção prodigiosa. Foi no entanto “Sibila”, publicado em 1954, que lhe trouxe o reconhecimento geral, tendo até hoje 25 edições.
É autora de contos e romances, peças de teatro, argumentos para filmes, guiões para televisão, biografias romanceadas, crónicas de viagens, ensaios e livros infantis.
Em 1932 foi estudar para o Porto, mudando-se para Coimbra em 1945 e fixando-se definitivamente no Porto em 1950.
Foi membro do conselho directivo da Comunitá Europea degli Scrittori (Roma 1961/1962) e colaborou em diversos jornais, tendo sido mesmo directora do diário “O Primeiro de Janeiro” em 1986/87. Entre 1990 e 1993, dirigiu o Teatro Nacional de D. Maria II (Lisboa).
É membro da Academie Européenne des Sciences, des Arts et des Lettres (Paris), da Academia Brasileira de Letras e da Academia das Ciências de Lisboa, tendo sido distinguida com a Ordem de Santiago da Espada em 1980 e com a Medalha de Honra da Cidade do Porto em 1988. Em 1989, o governo francês agraciou-a com o grau de Officier de l'Ordre des Arts et des Lettres.
Vários dos seus romances foram adaptados ao cinema pelo realizador Manoel de Oliveira. Um deles foi adaptado para o teatro (“As Fúrias”).
Está traduzida em Alemão, Espanhol, Dinamarquês, Francês, Grego, Italiano e Romeno e foi distinguida com inúmeros prémios, tanto em Portugal com o no estrangeiro, sobretudo em Itália.

domingo, 14 de outubro de 2007

Isto é que é jogar... Fantástico!

EFEMÉRIDE - Leonard Bernstein, maestro e compositor americano, morreu em Nova Iorque, no dia 14 de Outubro de 1990. Nascera em Lawrence, em 25 de Agosto de 1918. Ficou conhecido a nível mundial por ser autor de várias composições famosas, entre as quais sobressai a comédia musical West Side Story (1957).
Fez os seus estudos na Universidade de Harvard até 1939, foi nomeado chefe assistente da Orquestra Filarmónica de Nova Iorque em 1943 e dedicou-se também ao Ensino a partir de 1951.
De 1958 a 1973, apresentou na televisão os Young People's Concerts, emissões durante as quais demonstrava as suas qualidades enormes de pedagogo, que fazia a juventude descobrir a música clássica de uma maneira lúdica. Estes programas televisivos eram também muito apreciados em Portugal.
De 1958 a 1969, dirigiu a Filarmónica de Nova Iorque e consolidou o seu prestígio internacional. Dirigiu as orquestras de Israel, de Viena, de Amesterdão, de Londres e a Orquestra Nacional de França. Foi autor de três sinfonias e de duas óperas, entre muitas outras obras.

sábado, 13 de outubro de 2007

Ilusionista Chinês ou o "Milagre dos hamburgers"

EFEMÉRIDE - Yves Montand, de seu verdadeiro nome Ivo Livi, actor, dançarino de music-hall e cantor francês de origem italiana, nasceu em Monsummano Alto, na Toscânia, Itália, em 13 de Outubro de 1921. Morreu em Senlis, no Oise, França, em 9 de Novembro de 1991, vítima de enfarte do miocárdio.
A família, para fugir ao fascismo, emigrou para França quando ele tinha apenas dois anos, obtendo em 1929 a nacionalidade francesa.
Yves Montand começou a trabalhar aos onze anos, numa fábrica, devido a problemas económicos familiares. Aos catorze empregou-se como aprendiz de cabeleireiro de senhoras, frequentando mesmo, com sucesso, um curso da especialidade. Com dezassete anos aceitou trabalhar num cabaret de Marselha e em breve começou a cantar imitações de cantores consagrados. Obteve enorme sucesso junto do público e actuou em vários cabarets da mesma cidade.
Em 1941, para não ser enviado para a Alemanha, em virtude da 2ª Grande Guerra, fugiu para Paris, onde actuou em várias salas de espectáculo. No “Moulin Rouge” fez a primeira parte de um espectáculo de Edith Piaf, de quem se apaixonou. Ela apresentou-o a pessoas importantes do mundo do espectáculo e ele tornou-se uma estrela do music-hall. Partiu com Edith Piaf numa tournée até 1946 e depois separaram-se. Em 1949, na Côte d’Azur, conheceu a actriz Simone Signoret e foi amor à primeira vista. Casaram-se dois anos depois.
Em 1952, fez o primeiro grande papel no filme “Salário do Medo”, que ganhou o Grande Prémio de Cannes um ano depois.
Em 1954, juntamente com a mulher, representou a peça “As Bruxas de Salém” com tal êxito que ela ficou em cena até ao Natal do ano seguinte.
Faz várias tournées pelo estrangeiro e, em 1960, em Hollywood, entrou num filme com Marilyn Monroe. Só em 1964 passou a consagrar-se inteiramente ao cinema numa carreira que duraria até 1985, ano em que morreu Simone Signoret e ele resolveu fazer uma paragem. Em 1988, foi pai pela primeira vez, aos 67 anos, numa relação com uma antiga assistente. Morreu três anos depois, quando rodava o seu último filme.
Fez cerca de sessenta filmes e gravou quinze discos. Foi sepultado ao lado de Simone Signoret, única mulher com quem foi casado.

sexta-feira, 12 de outubro de 2007

CURIOSIDADE

1 - Entre no endereço
http://maps.google.com/?hl=pt-BR

2 - Clique em "Como Chegar"

3 - Em "Endereço de Partida", coloque "Belo Horizonte"

4 - Em "Endereço de destino", escreva "Miami"

5 - Clique em "Como Chegar"

6 - Vá até ao passo 43 e leia

7 – Que tal?

O "Homem Perfeito" segundo Jô Soares

EFEMÉRIDE - Luciano Pavarotti, cantor lírico italiano e um dos maiores tenores de todos os tempos, nasceu em Modena, no dia 12 de Outubro de 1935. Morreu recentemente, na mesma cidade, em 6 de Setembro, vítima de um tumor no pâncreas, diagnosticado em 2006.
Participou, juntamente com José Carreras e Plácido Domingo, nos concertos “Os três tenores” e gravou duetos com Bryan Adams, Andrea Bocelli, Elton John, Sting, Spice Girls, Queen, Céline Dion, U2 e Roberto Carlos. Cantou nas mais célebres salas de espectáculo mundiais: Scala (Milão), Royal Opera House (Londres), Metropolitan Opera House (Nova Iorque), entre muitas outras.
Estreou-se na ópera em 1961 e quatro anos depois já actuava em Miami. O Scala de Milão abriu-lhe as portas para cantar “A Boémia” e o mundo começou a exigir a sua presença. Em 1972, em Nova Iorque, levou o público ao delírio, sendo chamado 17 vezes ao palco. Na década 1980 actuou na China para 10 000 pessoas.
Em 1990 cantou a ária de Puccini "Nessun Dorma", que foi o hino do Mundial de Futebol na Itália. Mais tarde no Hyde Park, em Londres, cantou para 150 000 pessoas e foi visto na televisão por milhões de espectadores. Em Paris juntou 300 000 espectadores e no Central Park (Nova Iorque) mais de meio milhão.
Pavarotti tem o seu nome ligado ao Livro de Recordes Guinness: maior número de chamadas ao palco (165) e o álbum de música clássico mais vendido de sempre (Concerto dos Três Tenores).
Despediu-se oficialmente em 2004, fazendo uma longa tournée mundial, após uma carreira de mais de quatro décadas. Actuou duas vezes em Portugal e sete vezes no Brasil. O número de álbuns vendidos está estimado em 100 milhões. Ganhou vários discos de oiro e alguns Grammy Awards. Participou igualmente em inúmeros espectáculos de caridade. Pavarotti - uma voz que se calou mas nunca será esquecida!

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Ucrânia na Nato, já!!

Gatuno azarado

EFEMÉRIDE - François Charles Mauriac, escritor francês, laureado com o Prémio Nobel da Literatura em 1952, nasceu em Bordéus, no dia 11 de Outubro de 1885. Morreu em Paris, em 1 de Setembro de 1970, vítima de doença oncológica nas cordas vocais.
Estudou Literatura na Universidade de Bordéus, tendo-se licenciado em 1905. Foi para Paris para prosseguir os seus estudos, mas acabou por dedicar-se inteiramente à escrita.
Publicou o seu primeiro livro de poemas “As Mãos juntas” em 1909, obra que chamou a atenção dos meios literários. Só será conhecido do grande público, porém, dez anos mais tarde, pois entretanto a sua carreira foi interrompida pela Primeira Guerra Mundial, durante a qual serviu num Hospital da Cruz Vermelha nos Balcãs. Retomou a sua actividade em 1918 e publicou em 1922 “O Beijo ao leproso”.
A qualidade dos seus livros valeu-lhe a eleição para a Academia Francesa em 1933. Durante a ocupação alemã, após algumas hesitações, entrou em contacto com a Resistência e colaborou depois em jornais clandestinos.
Além de uns trinta ensaios e romances, escreveu peças de teatro algumas das quais foram representadas na “Comédie Française”.
De 1952 a 1969, publicou no jornal Fígaro Littéraire e na revista L’Espress o seu famoso “Bloco-notas”. Defendeu a independência de Marrocos e da Argélia, condenando as alegadas torturas do exército francês.
Em 1926, foi laureado com o Grande Prémio do Romance da Academia Francesa. Em 1932. foi presidente da Sociedade dos Homens de Letras. Em 1958, recebeu a Grande Cruz da Legião de Honra, das mãos do general de Gaulle.
NO DIA DA CRIANÇA

Dois garotinhos de oito anos conversam no quarto:
- O que você vai pedir no Dia da Criança? Eu vou pedir um videogame
... E tu?
- Eu vou pedir um
O.B..
- O.B.?
O que é isso?
- Nem imagino, mas na televisão dizem que com
O.B.
a gente pode ir à praia, andar de bicicleta, andar a cavalo, dançar, ir ao clube, correr, fazer um montão de coisas legais... E, o melhor, sem que ninguém perceba!

quarta-feira, 10 de outubro de 2007

Medida prática!! (clique com o rato para aumentar a imagem)

A Sónia está com dificuldades...

no comments
EFEMÉRIDE - Giuseppe Fortunino Francesco Verdi, compositor de óperas do período romântico italiano, nasceu em Roncole, no dia 10 de Outubro de 1813, tendo morrido em Milão, em 27 de Janeiro de 1901, vítima de trombose. Foi sepultado, a seu pedido, na Casa de Repouso para Músicos, mantida ainda hoje com parte dos seus direitos de autor.
Muito novo ainda, começou a interessar-se pela música, que passou a estudar desde os doze anos, financiado por um comerciante. Aos dezoito anos, tentou inscrever-se no Conservatório de Milão, mas não foi aceite por ter mais de catorze anos, idade limite na época. Prosseguiu os estudos musicais com um professor particular.
Actuou como mestre de capela e maestro de banda, mas depois transferiu-se definitivamente para Milão. Em 1839, escreveu a ópera Oberto, Conte di San Bonifácio que foi representada no Teatro alla Scala. Um ano depois, morreram os seus dois filhos e a esposa de apenas 27 anos. A sua segunda ópera foi um fracasso, o que levou Verdi a dizer que nunca mais iria compor. A pedido do director do Scala prosseguiu no entanto a sua carreira, com obras que obtiveram grande êxito, mesmo a nível mundial. Curiosamente uma das óperas (La Traviata) fracassou também na estreia, apesar de ser uma das obras mais encenadas depois em todo o mundo.
A partir de 1841, Verdi embalou para uma longa e brilhante carreira, com sucessos fulgurantes em toda a Europa, escrevendo em média uma ópera por ano. Macbeth foi considerada, por alguns, como a mais original e importante ópera, tendo rompido pela primeira vez com a tradição do século XIX, que “impunha” que cada obra deveria comportar uma história de amor.
Mais tarde compôs a ópera “Aïda”, cuja acção decorre no Egipto antigo, e que foi encomendada por Khédive Ismaïl Pacha, para a inauguração do Canal do Suez.
Casou-se uma segunda vez, foi aclamado como patriota pelos italianos e foi eleito deputado em 1861. Quando morreu, as ruas por onde passou o enterro foram cobertas de palha “para que os fiacres não perturbassem o seu descanso”. Cerca de 250 000 pessoas prestaram-lhe uma última homenagem.

terça-feira, 9 de outubro de 2007

Novas tecnologias...

EFEMÉRIDE - André Maurois, de seu nome original Émile Salomon Wilhelm Herzog, romancista, novelista e ensaísta francês, morreu em Neuilly-sur-Seine, no dia 9 de Outubro 1967, completam-se hoje quarenta anos. Nascera em Elbeuf, em 26 de Julho de 1885.
Foi intérprete e oficial de ligação durante a 1ª Guerra Mundial. Certos acontecimentos desta Guerra forneceram-lhe o pseudónimo “Maurois”, nome de uma vila do Norte de França.
Licenciou-se em Letras e, dez anos mais tarde, deixou a direcção de uma fábrica familiar, preferindo seguir a carreira de escritor. Embora tenha tido sucesso desde a publicação dos primeiros livros, a verdadeira consagração literária só chegaria com a publicação de várias biografias de personalidades célebres: Victor Hugo, George Sand e Balzac, entre outras.
Foi eleito para a Academia Francesa em 1938. Durante a 2ª Guerra Mundial exilou-se nos Estados Unidos mas, apesar da sua origem judaica, tomaria paradoxalmente o partido de Pétain.
André Maurois foi igualmente autor de livros consagrados à História e de alguns contos infantis; traduziu os diálogos do filme “Noblesse oblige” e escreveu uma “História de França”.

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Problemas para transportar um defunto...

EFEMÉRIDE - Henry Fielding, romancista, dramaturgo, poeta e jornalista inglês, morreu em Lisboa, no dia 8 de Outubro de 1754. Nascera em Glastonbury, em 22 de Abril de 1707.
Trocou a carreira de Direito pela arte dramática. As suas peças estavam impregnadas de traços sarcásticos relativos aos escritores e aos políticos da época. Com o estabelecimento da censura prévia em 1737, Fielding afastou-se do teatro e passou a escrever romances.
Descrevia nos seus livros a sociedade inglesa da época de tal forma que o escritor Walter Scott o considerou como o criador do romance inglês. Byron não temeu chamar a Fielding o “Homero em prosa da natureza humana”.
Em 1749, com dificuldades financeiras, aceitou o lugar de juiz na polícia de Londres. A sua principal obra foi a “História de Tom Jones”, publicada em 1750.
Fielding sofria de gota, asma e outras doenças que o obrigavam a utilizar muletas. Tendo perdido a sua mulher e casado com uma criada para dar uma “mãe” a suas filhas, veio para Portugal procurando um clima mais ameno. Morreu dois meses depois, tendo tido ainda tempo de escrever o livro “Viagem para Lisboa”, publicado um ano após a sua morte.

domingo, 7 de outubro de 2007

Com estes argumentos se explicou a invasão do Iraque...

EFEMÉRIDE - Desmond Mpilo Tutu, bispo Anglicano sul-africano, Prémio Nobel da Paz em 1984, nasceu em Klerksdorp, no dia 7 de Outubro de 1931.
Filho de um professor e de uma empregada de limpeza, fez todos os seus estudos na África do Sul. Desistiu de seguir medicina, em virtude da família não poder custear os respectivos estudos. Foi professor secundário e ordenou-se sacerdote anglicano em 1961. Em 1966 obteve um mestrado de Teologia em Londres.
Em 1975 foi o primeiro negro a ser nomeado deão de uma diocese. Foi depois sagrado bispo, dirigindo a diocese de Lesoto de 1976 a 1978, ano em que se tornou secretário-geral do Conselho Ecuménico da África do Sul. Desmond Tutu propunha para a sociedade sul-africana “direitos civis para todos, abolição das leis que limitavam a circulação dos negros, um sistema educacional comum e o fim das deportações forçadas de negros”. A sua firme posição contra a política oficial de segregação racial (apartheid) valeu-lhe o Prémio Nobel da Paz. Recebeu o título de doutor honoris causa de várias universidades mundiais. Foi um apóstolo da não-violência, denunciando tanto o regime sul-africano como os negros que clamavam vingança.
Em 1995 presidiu à Comissão da Verdade e da Reconciliação, criada pelo presidente Nelson Mandela, com a finalidade de fazer luz sobre os crimes cometidos durante o regime racista. O resultado do seu trabalho é considerado como uma pedra basilar da reconciliação sul-africana.
Hoje, continua a lutar pela justiça social, criticando tudo o que lhe parece incorrecto. Denuncia, por exemplo, os salários exorbitantes dos deputados e a venda de armas pelo novo regime. Não se inibe de criticar o regime ditatorial de Mugabe, ao lado - no Zimbabué, nem a atitude de Israel para com os palestinianos, muito embora reconheça obviamente o direito dos israelitas a viverem em paz dentro das suas fronteiras.

sábado, 6 de outubro de 2007

Cuidado com os "apanhados". Pode acontecer-lhe a si...

EFEMÉRIDE - Charles-Edouard Jeanneret-Gris, conhecido mundialmente por Le Corbusier, arquitecto, decorador, pintor, escritor e urbanista francês de origem suíça, nasceu em La Chaux-de-Fonds, na Suiça, em 6 de Outubro de 1887. Morreu em Roquebrune-Cap-Martin, no dia 27 de Agosto de 1965, quando se banhava no Mediterrâneo. É considerado, juntamente com o brasileiro Óscar Niemeyer e poucos mais, como um dos grandes arquitectos do século passado. As suas teorias e pesquisas estão consignadas em 35 obras de sua autoria, escritas entre 1912 e 1965.
Projectou a primeira casa quando tinha apenas 17 anos, ainda na sua terra natal. Com 29 anos, mudou-se para Paris, adoptando desde logo o pseudónimo que foi buscar ao nome de um avô.
Nas viagens que fez a várias partes do mundo, Le Corbusier contactou com vários estilos, de diversas épocas e, de todas as influências, guardou aquilo que considerava essencial e intemporal.
Com o seu livro “Por uma arquitectura” lançou as bases do movimento moderno de características funcionais, baseadas nas necessidades humanas, que revolucionou a arquitectura do mundo inteiro. A sua influência estendeu-se ao urbanismo, sendo um dos primeiros a compreender as transformações que o automóvel exigiria no planeamento urbano. A cidade do futuro, na sua perspectiva, deveria consistir em grandes blocos de apartamentos assentes em pilares, deixando o terreno livre por baixo da construção, algo semelhante a parques de estacionamento ou garagens. Para ele o alojamento colectivo ideal integraria também todas as infra-estruturas e equipamentos necessários (creches, lavandarias, piscinas, escolas, comércio, bibliotecas, etc., etc.). Muitos dos arquitectos que se inspiraram nele para a construção de novas cidades, “esqueceram” este último conceito, abrindo a via ao pior dos urbanismos – as famigeradas cidades dormitório.
Segundo ele, os cinco materiais principais do urbanismo seriam o sol, o espaço, as árvores, o aço e o cimento armado, por esta ordem e hierarquia.

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

EFEMÉRIDE - Denis Diderot, pensador, filósofo, enciclopedista e escritor francês, nasceu em Langres, no dia 5 de Outubro de 1713, tendo falecido em Paris, em 31 de Julho de 1784. Estudou num colégio de jesuítas mas, aos 15 anos, contrariamente à vontade do pai, não quis seguir a carreira eclesiástica e foi para Paris. Os primeiros dez anos de vida parisiense não são muito conhecidos. Julga-se que estudou filosofia até 1732, levando uma vida boémia e vivendo de traduções, de pequenos empregos e de “astúcias” para conseguir o apoio financeiro do pai.
Em 1749, foi preso e encarcerado durante quatro meses após a publicação de uma das suas obras. Em 1750 foi nomeado para a Academia Real das Ciências e Belas Artes de Berlim.
A obra da sua vida foi a edição da “Encyclopédie” (1750-1772), que levou a cabo com empenho e entusiasmo apesar de alguma oposição da Igreja Católica e dos poderes estabelecidos. Além de livros filosóficos, escreveu algumas peças teatrais e vários romances. Foi autor igualmente de muitas críticas de arte.
Foi um dos primeiros autores que fizeram da literatura um ofício, sendo um dos grandes animadores intelectuais do século XVIII, pela sua curiosidade, vasta cultura, conhecimento de línguas, espírito crítico e capacidade de trabalho. Diderot não propunha um sistema filosófico coerente. Juntava ideias e opunha-as, incitando os leitores à reflexão. Ele próprio evoluiu e reflectiu, voltando a trabalhar muitos dos seus antigos textos.
Em 1762, Catarina II da Rússia comprou-lhe a biblioteca pessoal, deixando-a no entanto em poder de Diderot até à sua morte, pagando-lhe mesmo um salário de “bibliotecário”. Todo o material foi depois transferido para São Petersburgo, incluindo os seus livros e manuscritos. Ficou a dever-se ao trabalho paciente de vários sábios a descoberta progressiva da obra e do pensamento de Diderot. Só a partir do bicentenário do seu nascimento se conseguiu ter uma visão considerada completa da totalidade dos seus escritos.

Melhor que nos campeonatos da NBA !!

EFEMÉRIDE - Eugène Pottier, poeta e revolucionário francês, nasceu em Paris, no dia 4 de Outubro de 1816. Morreu, também em Paris, em 6 de Novembro de 1887. É autor da letra do famoso hino revolucionário “A Internacional ”.
Desenhador de estofos, Eugène Pottier compôs a sua primeira canção (“Viva a Liberdade”) em 1830. Participou na Revolução de 1848. Fundou uma empresa para impressão de estofos e, em 1864, esteve na origem da criação do Sindicato dos Desenhadores.
Membro da Guarda Nacional, participou em combates durante o Cerco de Paris em 1870. Depois, foi elemento activo da Comuna de Paris, sendo eleito membro do “2º Bairro” parisiense. Trabalhou na Comissão de Serviços Públicos e participou nos combates da Semana Sangrenta. Em Junho de 1871, escondido algures em Paris, escreveu o seu poema “A Internacional”, refugiando-se depois na Bélgica e, mais tarde, em Inglaterra. Foi condenado à morte à revelia e exilou-se nos Estados Unidos, onde organizou campanhas de solidariedade para receber os franceses deportados. Aderiu à Franco-maçonaria e mais tarde ao Partido Socialista Americano.
Arruinado e meio paralisado, voltou a França, depois da amnistia de 1880. Mesmo assim, recomeçou com as suas actividades políticas, fundando o Partido Operário Francês e colaborando no Jornal “Le Socialiste”. Continuou a publicar poesia, mas acabou a sua vida na miséria. Mais de dez mil pessoas, que defrontaram a violência da polícia, assistiram ao seu funeral. Foi enterrado no cemitério do Père-Lachaise, em Paris, onde repousam muitas das celebridades francesas.
Ficou ainda mais conhecido em 1888 (ano seguinte à sua morte), depois do seu poema “A Internacional” ter sido musicado por Pierre Degeyter. Os seus poemas passaram a ser cantados por quase todos os artistas de inspiração socialista, comunista, anarquista ou libertária e “A Internacional” passou a ser entoada em todas as manifestações e movimentos revolucionários do mundo inteiro.

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

O GATO E O ALENTEJANO

Um Alentejano queria livrar-se de um gato. Levou-o até uma esquina distante e voltou para a casa. Quando chegou à casa, o gato já lá estava.
Levou-o novamente, agora para mais longe. No regresso, encontrou o gato novamente em casa.
Fez isso mais umas três vezes e o gato voltava sempre para casa.
Furioso, pensou:
"Vou lixar este gato!"
Pôs-lhe uma venda nos olhos, amarrou-o, meteu-o num saco opaco e colocou-o na mala do carro. Subiu à serra mais distante, entrou e saiu de diversas estradinhas. Deu mil voltas... e acabou por soltar o gato no meio do mato.
Passados uns dois dias, o Alentejano liga para casa pelo telemóvel...
- Tá, Maria, o gato já chegou?
- Sim...
- Ainda bem, deixa-me falar com ele porque eu estou perdido...

O que éramos e no que nos transformamos... (em 40 segundos)

QUADRAS SOLTAS

Juventude é sol que nasce
A velhice é sol já posto
Mas o pôr-do-sol é lindo
- Não te dê isso desgosto!

Nesta alma portuguesa
Neste velho emigrante
O Fado mostra a tristeza
De estar num país distante

Tanta pobreza na Terra
Tanta e tanta burguesia
Tanta fome e tanta guerra
Tanta falta de Harmonia

Acabemos com as guerras
Digamos não ao terror
E transformemos a Terra
Num paraíso de amor

Da seara vem o pão,
Da uva se faz o vinho,
Da boca vem a canção,
Da boa gente o carinho.

Meu desejo mais profundo
é que a nossa juventude
consiga mudar o Mundo
e fazer o que eu não pude!


Gabriel de Sousa
EFEMÉRIDEDenizard Hippolyte Léon Rivail, professor, pedagogo e escritor francês, considerado o pai do “Espiritismo”, usando o pseudónimo Allan Kardec, que seria o nome da sua anterior incarnação, nasceu em Lyon, França, em 3 de Outubro de 1804. Morreu em Paris, no dia 31 de Março de 1869, vítima da ruptura de um aneurisma.
Concluídos os seus estudos na Suiça, regressou a França. Dominando fluentemente o alemão, traduziu para este idioma várias obras de educação e moral. Como pedagogo, dedicou-se à luta por uma maior democratização do ensino público. Entre 1835 e 1840, manteve na sua residência, cursos gratuitos de Química, Física, Anatomia comparada, Astronomia e outros. Publicou igualmente diversas obras sobre Educação.
Em 1854, ouviu falar pela primeira vez do fenómeno das "mesas de pé de galo”, bastante difundido na época, sobretudo nos Estados Unidos. Não prestou muita atenção ao facto e, só em Maio de 1855, o seu interesse se voltou para as mesas, quando começou a frequentar reuniões em que tais fenómenos se produziam.
Iniciou a publicação das obras de Codificação em 1857, com O Livro dos Espíritos, considerado como o marco da fundação do Espiritismo. Lançou a Revista Espírita em 1858 e, nesse mesmo ano, fundou a primeira sociedade espírita regularmente constituída (Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas).
Kardec passou os últimos anos da sua vida a divulgar o Espiritismo junto duns e a defendê-lo junto doutros.
Os seus livros mais conhecidos são o já citado “O Livro dos Espíritos”, “O Livro dos Médiuns”, “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, “O Céu e o Inferno” e “A Génese”. A maioria destas obras teria sido o resultado de conversas com várias espécies de espíritos, que lhe ditavam os grandes princípios da vida humana.
Numerosas personalidades foram seduzidas pelo Espiritismo, tais como Victor Hugo, Théophile Gautier e Conan Doyle. Eles estavam convencidos que o Espiritismo fazia a prova científica de que há “vida para além da morte”.
O JAPONÊS E O PATRÃO

O japonês telefona para o chefe:
"Sefi, Japa non vai trabaia hoji, muito doenti. Dô cabeça, dô baliga, dô perna. Non vai.!"
Diz o patrão:
"Mas, Japa, eu preciso muito de você aqui, hoje! Olhe, quando eu me sinto assim, eu procuro minha mulher peço para ela fazer sexo comigo. Isto me faz sentir melhor e então eu posso trabalhar. Tente isto."
Algumas horas mais tarde, o japonês telefona e diz:
"Sefi, fazi o que sefi mandô. Sinto booom! Za vai trabaiá. Bonita sua casa, sefi, e cama mashio!"

terça-feira, 2 de outubro de 2007

AS DUAS ESTÁTUAS

Num jardim encontravam-se duas estátuas, de frente uma para a outra. Uma feminina, outra masculina.
Um dia apareceu um anjo, que lhes disse:
-Como têm sido duas estátuas exemplares, trazendo tanto deleite a quem vos contempla, vou conceder-vos 30 minutos de vida, para que possam durante esse tempo fazer o que vos apetecer.
Assim que o anjo se calou, as estátuas ganharam vida. Olharam uma para a outra, sorriram e correram para trás duns arbustos. O anjo sorriu ao ouvir os seus risinhos, enquanto se ouvia o barulho dos arbustos e o restolhar das folhas. Quinze minutos depois, as duas estátuas saíram de trás dos arbustos com uma expressão de grande satisfação.
O anjo ficou confuso e disse-lhes:
- Ainda têm mais 15 minutos! Não querem aproveitar esse tempo?
A estátua masculina olhou para a sua companheira e perguntou-lhe:
- Queres repetir?
Sorrindo, a estátua feminina respondeu:
- Claro! Mas desta vez seguras tu no pombo, e cago-lhe eu em cima!...

A importância de aprender línguas...

EFEMÉRIDE - Paavo Nurmi, corredor de fundo finlandês e um dos maiores atletas de todos os tempos, morreu em Helsínquia, no dia 2 de Outubro de 1973. Nascera em Turku, em 13 de Junho de 1897.
Nurmi, também conhecido como Homem Relógio - por correr com um relógio na mão para controlar o seu ritmo, fez parte dos chamados Finlandeses Voadores, nome porque ele e os seus compatriotas Kolehmainen, Ritola e outros, eram designados nos princípios do século XX, pelas suas vitórias no Atletismo, dominando todas as provas de meio-fundo e de longa distância nos Jogos Olímpicos e noutros torneios e campeonatos.
Paavo Nurmi foi o maior corredor de meia e longa distância do Mundo, conquistando nove medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos, o que o coloca - ao lado dos americanos Carl Lewis e Mark Spitz e da russa Larissa Latynina - como o maior ganhador de medalhas de ouro olímpicas da história dos Jogos. Foi detentor de 22 recordes do Mundo, desde os 1 500 metros até aos 20 km.
Depois de participar com brilhantismo nos Jogos Olímpicos de 1920, 1924 e 1928, onde ganhou doze medalhas, Paavo tentou, aos 35 anos, encerrar a sua carreira com os Jogos de Los Angeles (1932), correndo a maratona mas, acusado de profissionalismo, por receber reembolso de despesas de viagens, numa época de rigor absoluto sobre os conceitos de amadorismo, foi impedido de participar.
Em 1924, nos Jogos de Paris, cometeu a proeza de ganhar os 5 000 metros quarenta minutos depois de ter ganho também os 1 500 metros.
Herói nacional da Finlândia, Nurmi provocou um dos momentos mais emocionantes das Olimpíadas de Helsínquia, na sua pátria, em 1952, ao entrar no estádio transportando a tocha olímpica. Quando morreu, aos 76 anos de idade, teve um enterro com honras de Estado.

segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Um show de dança invulgar...

EFEMÉRIDEJulie Andrews, de seu verdadeiro nome Julie Elizabeth Wells, actriz e cantora britânica, nasceu em Walton-on-Thames, Surrey, Inglaterra, em 1 de Outubro de 1935.
Tendo começado a sua vida artística a cantar para as tropas britânicas durante a 2ª Guerra Mundial, estreou-se nos palcos em 1947 (Londres). Só viria a actuar na Broadway (Nova Iorque) sete anos mais tarde. Continuou depois no Teatro, onde um dos seus maiores sucessos foi “My Fair Lady”.
Em 1964, foi convidada por Walt Disney para interpretar o papel principal no filme “Mary Poppins”, com o qual ganhou o Óscar da “Melhor Actriz”. Entrou em numerosos filmes, mas a sua actuação mais recordada é sem dúvida “Música no Coração” (“A Noviça Rebelde”, no Brasil).
Durante os anos “70” dedicou-se inteiramente à família (marido e cinco filhos), animando apenas séries de emissões de variedades que receberam aliás vários prémios. No fim daquela década, regressou ao cinema pela mão do marido, realizador cinematográfico.
Voltou à Broadway aos 60 anos, para actuar numa comédia musical, com muito êxito, mas também com sacrifício da sua saúde. Foi operada entretanto e quase perdeu a voz, tendo de renunciar ao canto. Escreveu então livros infantis, actividade a que já se tinha dedicado nos anos 1970. Voltou ao Cinema em 2001 e ao Teatro em 2003, aqui já como realizadora.
Em 1999, a rainha de Inglaterra elevou-a à categoria de “Dama do Império Britânico”. Tem dado a sua voz ultimamente a personagens das séries de filmes infantis “Shrek”.

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...