sábado, 31 de março de 2018

31 DE MARÇO - RICHARD CHAMBERLAIN


EFEMÉRIDE - George Richard Chamberlain, actor norte-americano, nasceu em Beverly Hills no dia 31 de Março de 1934. Fez o serviço militar na Coreia durante 16 meses.
Richard tornou-se um ídolo dos adolescentes ao actuar na série de televisão “Dr. Kildare” (1961/66). Em paralelo com a série, Chamberlain também alcançou algum sucesso na música pop.
Em pouco tempo, desencantou-se com Hollywood e interessou-se pelo teatro, indo estudar em Inglaterra, onde iniciou uma carreira bem-sucedida. Durante a década de 1970, protagonizou diversos filmes e musicais.
Em 1974, fez parte do filme “A Torre infernal”, ao lado de Paul Newman, Steve McQueen, Faye Dunaway e Robert Wagner. Interpretou também Aramis em filmes de capa-e-espada, como “Os Três Mosqueteiros”, contracenando com Raquel Welch, Charlton Heston, Jean-Pierre Cassel, Geraldine Chaplin e Christopher Lee, entre outros.  Em 1975, fez o personagem Edmond Dantes no “Conde de Monte-Cristo” na sua versão para televisão.
Mais tarde, dedicou-se também a mini-séries de televisão como “Shogun” (1980) e “Pássaros Feridos” (1983).
Embora a sua orientação sexual já tivesse sido divulgada, Richard Chamberlain só assumiu publicamente a homossexualidade aos 69 anos, quando lançou o seu livro “Shattered Love” (2003).

sexta-feira, 30 de março de 2018

30 DE MARÇO - PHIL RAMONE


EFEMÉRIDE - Philip “PhilRamone, violinista, compositor, engenheiro de som e produtor musical norte-americano (naturalizado aos 12 anos de idade), morreu em Nova Iorque no dia 30 de Março de 2013. Nascera na África do Sul em 5 de Janeiro de 1934.
Ainda criança, na África do Sul, Ramone era um prodígio musical, começando a tocar violino aos três anos e apresentando-se à rainha Isabel II de Inglaterra aos dez anos de idade. No final da década de 1940, foi diplomado como violinista clássico pela Juilliard School.
Em 1959, criou um estúdio de gravação independente, o A&R Recording. Ganhou rapidamente reputação como engenheiro de som e produtor musical, em particular pelo uso de novas tecnologias. Produziu diversas bandas e artistas, como Ray Charles, Natalie Cole, Bob Dylan, Gloria Estefan, Aretha Franklin, Elton John, Quincy Jones, B. B. King, Madonna, Paul McCartney, George Michael, Sinéad O'Connor, Luciano Pavarotti, Frank Sinatra, Rod Stewart, Olivia Newton-John, Liza Minnelli, Patricia Kaas e Amy Winehouse, entre muitos outros. Também foi creditado pela gravação de Marilyn Monroe da canção “Happy Birthday to You” para o presidente John F. Kennedy.
Foi nomeado para 33 Grammy Awards, tendo ganho catorze, entre os quais um Technical Grammy Award, em 2005, «por ter dedicado grande parte da sua vida a contribuições inovadoras para a indústria discográfica».
Phil Ramone morreu no Hospital Presbiteriano de Nova Iorque, onde estava hospitalizado desde finais de Fevereiro de 2013, com um aneurisma da aorta.

quinta-feira, 29 de março de 2018

29 DE MARÇO - JUAN LUIS MARTÍNEZ


EFEMÉRIDE - Juan Luis Martínez Holger, poeta vanguardista e artista visual chileno, morreu em Villa Alemana no dia 29 de Março de 1993. Nascera em Valparaiso, em 7 de Julho de 1942.
É considerado um dos poetas mais lúcidos da sua geração, pela sua produção literária e erudição e pela sua criatividade como artista visual. Era filho de Luis Martínez, gerente geral da Companhia Sul Americana de Vapores e de uma senhora de origem nórdica que pertencia a uma família muito conservadora.
A sua vida decorreu, fundamentalmente, entre as cidades de Valparaiso e Viña del Mar, onde realizou as suas obras. Durante o seu período criativo da juventude, manteve uma estreita relação com muitos escritores.
Juan Luis abandonou o colégio secundário onde estudava e, entre os quinze e os vinte anos, levou uma vida de boémia em Valparaiso. Era considerado um rapaz rebelde, tanto pela família como pelos estranhos, que o identificavam pela sua longa cabeleira, incomum nessa época no Chile (anos 1950).
Martínez nunca mais voltou a frequentar uma escola, mas devido às influências culturais que o rodeavam, começou uma longa fase de leituras e de aprendizagem autodidacta. A mudança da família, de Valparaíso para Viña del Mar, perturbou-o devido à aparência burguesa da cidade. Manteve sempre uma relação profunda e sentimental com a sua terra natal.
Juan Luis Martínez, durante a sua vida, optou por manter uma grande distância dos círculos de poder, fossem eles académicos ou orgânicos, para desenvolver livremente os seus postulados artísticos e estéticos. Nas suas obras visuais, construiu uma forte analogia entre o objecto artístico e o discurso ou entre a imagem mental e a palavra.
La Nueva Novela” (“O novo romance”), o seu primeiro livro, é considerada uma obra chave da poesia contemporânea chilena.
Martínez sofreu durante muitos anos de diabetes, enfermidade que foi minando, paulatinamente, a sua vitalidade e lhe provocou uma necrose tubular dos rins. Mesmo assim, manteve uma intensa relação com poetas de diferentes gerações que o visitavam na sua biblioteca, em Viña del Mar, ou na sua residência.
Durante as últimas duas décadas de vida, precisou de submeter-se a diálises de maneira permanente, situação que não o impediu de - um ano antes da sua morte - viajar para Paris (sua única ida ao estrangeiro), convidado pelo Ministério da Cultura francês.

quarta-feira, 28 de março de 2018

28 DE MARÇO - JOSÉ MARIA NEVES


EFEMÉRIDE - José Maria Pereira Neves, político cabo-verdiano, primeiro-ministro entre Fevereiro de 2001 e Abril de 2016, nasceu em Assomada no dia 28 de Março de 1960.
Foi deputado da Assembleia Nacional de 1996 a 2000, eleito pelo Partido Africano para a Independência de Cabo Verde (PAICV), à época na oposição. Ocupou os cargos de 2º vice-presidente da Assembleia e director da Comissão Especial para a Administração Pública, Governo Local e Desenvolvimento Regional.
Nas eleições autárquicas de Março de 2000, foi eleito presidente da Câmara do Concelho de Santa Catarina, cuja sede é a cidade de Assomada, segunda maior cidade da Ilha de Santiago e sua terra natal.
Após ter sido eleito presidente do PAICV em Junho de 2000, o seu partido venceu as eleições legislativas de Janeiro de 2001.
Como resultado, José Maria Neves foi designado primeiro-ministro de Cabo Verde pelo presidente da República, tendo assumido o cargo em Fevereiro de 2001. Novas eleições legislativas foram realizadas em Janeiro de 2006 e, tendo o seu partido vencido novamente, foi reconduzido na chefia do Governo de Cabo Verde em Março de 2006, para mais um mandato de cinco anos. Em Fevereiro de 2011, José Maria Neves foi pela terceira vez eleito primeiro-ministro de Cabo Verde.
A sua actuação como primeiro mandatário de Cabo Verde levou-o em viagens oficiais a diversos países. Em 2005, José Maria Neves esteve no Brasil, visitando 8 capitais de Estados (São Paulo, Rio de Janeiro, Goiânia, Recife, Maceió, João Pessoa, Natal e Fortaleza), sendo recebido em audiência pelo presidente Lula da Silva. Foi também recebido pelo Papa Bento XVI em Setembro de 2010.
É um politico que, apesar da sua juventude, foi considerado - por várias instancias internacionais - como o melhor primeiro-ministro de um país africano. Durante os seus mandatos, Cabo Verde foi contemplado por duas vezes com o programa americano Millennium Challenge Account.
José Maria Neves fez a sua educação primária e secundária em Cabo Verde. Licenciou-se em Administração Pública na Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas.

terça-feira, 27 de março de 2018

27 DE MARÇO - KIICHIRO TOYODA


EFEMÉRIDE - Kiichiro Toyoda, engenheiro e industrial japonês, morreu em Aichi no dia 27 de Março de 1952. Nascera em Shizuoka, em 11 de Junho de 1894. Era ambicioso e tinha uma personalidade carismática. O pai, Sakichi, foi um grande industrial da tecelagem.
Quando de uma viagem a Nova Iorque em 1922, Kiichiro percebeu a importância do automóvel e ficou preocupado com a influência que os americanos teriam na economia japonesa. Decidiu construir carros.
De volta ao Japão, persuadiu o pai a entrar no negócio. Kiichiro passou o resto da década a visitar as principais fábricas americanas e europeias. Como o pai, também ele era um inventor inspirado e persistente.
Dizem que visitou Henry Ford mais de uma vez. Concluiu que o melhor a fazer era aprender com as técnicas americanas de produção em massa. «Mas não iremos copiá-las. Usaremos a nossa própria pesquisa e criatividade para desenvolver um método de produção que se adapte à situação do nosso país», disse ele.
Toyoda construiu o seu protótipo de motor a gasolina em 1930, na fábrica de tecelagem do pai. O seu progresso foi tanto que levou a ideia a sério e vendeu a patente do tear automatizado que havia inventado para financiar o novo empreendimento.
O primeiro motor ficou pronto em Setembro de 1934. O protótipo do primeiro carro, o modelo A, em 1935, deu início ao modesto Departamento de Automóveis da Tecelagem Toyoda. Com maquinaria importada do Ocidente, começou a produzir em 1936 o seu primeiro carro, o modelo AA, baseado no Chrysler Airflow, mas com uns toques de Chevrolet.
Em 1937, a marca cortou os laços umbilicais com a tecelagem e mudou o nome para Toyota Motor Corporation. Hoje está presente em 160 países e é a mais eficiente montadora do mundo. Essa eficiência vem do sistema criado em 1938 por Toyoda, que ficou conhecido como “Just in Time”, uma ideia inovadora, no qual as peças chegavam à linha de produção na hora da montagem e na quantidade exacta.
Kiichiro Toyoda morreria aos 57 anos (1952), mas a empresa ficou sempre na posse da família. 

segunda-feira, 26 de março de 2018

26 DE MARÇO - RUDOLF DASSLER


EFEMÉRIDE - Rudolf Dassler, empresário alemão fundador da marca desportiva Puma AG, irmão do fundador da marca Adidas (Adolf Dassler), nasceu em Herzogenaurach no dia 26 de Março de 1898. Morreu na mesma localidade em 27 de Outubro de 1974, vítima de cancro num pulmão.
Em 1924, a família Dassler lançou-se no fabrico de calçado para desporto e foi criada, pelos dois irmãos, a sociedade Gebrüder Dassler Schuhfabrik. Nas Olimpíadas de 1928, já equiparam numerosos atletas. Durante a Segunda Guerra Mundial, foram fornecedores da Wehrmacht. 
Rudolf, filho de um sapateiro, trabalhou com ele, como aprendiz, depois de completar os estudos. Em 1924, passou a colaborar criativamente - com o pai e o irmão - alargando a gama dos produtos ao calçado desportivo. Além de botas de futebol, dedicaram-se a sapatos de ténis a partir de 1931.
A reputação dos produtos dos dois irmãos aumentou quando, em 1932, um sprinter alemão ganhou uma medalha de bronze nos Jogos Olímpicos, equipado com sapatos Dassler. Quatro anos mais tarde, foi a vez de Jesse Owens ganhar 4 medalhas de ouro nas Olimpíadas de Berlim.
Por causa de diferendos com o irmão, Rudolf deixou a empresa familiar em 1947, para formar - um ano mais tarde – a sua própria empresa: a PUMA Rudolf Dassler Schuhfabrik.
Em 1960, exportava já para mais de uma centena de países em todo o mundo. Em 1962, o futebolista Pelé utilizou botas Puma nos Mundiais. Foram criadas sucursais na Alsácia e na Áustria. 
Depois d0o falecimento de Rudolf Dassler, o seu filho Armin tomou conta da empresa. Em 1985, Boris Becker foi o primeiro alemão a vencer um jogo de ténis em Wimbledon, utilizando sapatos e raquetas da marca Puma. Um ano mais tarde, a empresa passou a estar cotada em bolsa. 

domingo, 25 de março de 2018

25 DE MARÇO - JOSÉ DE ESPRONCEDA


EFEMÉRIDE - José Ignacio Javier Oriol Encarnación de Espronceda y Delgado, poeta espanhol, nasceu em Almendralejo no dia 25 de Março de 1808.  Morreu em Madrid, em 23 de Maio de 1842.
Os seus livros de poemas celebrizaram-no e influenciaram o Romantismo espanhol. Foi um dos principais poetas românticos do século XIX e o mais rebelde.
Na juventude, criou – com os seus amigos Ventura de la Vega e Patricio de la Escosura – uma sociedade secreta, chamada Los Numantinos, que conspirava contra Fernando VII e queria vingar a morte de Rafael del Riego. Esteve, por isso, preso num mosteiro.
Depois, deixou a Espanha e viveu em Lisboa, na Bélgica, em Inglaterra e na Holanda. No seu regresso ao território espanhol, em 1833, militou em movimentos de extrema-esquerda.
Espronceda ficou também conhecido pela sua relação apaixonada com Teresa Mancha, que lhe inspirou o poema “Canto a Teresa”.
Foi o seu professor Alberto Lista quem o encorajou a iniciar a carreira literária. Durante a detenção no mosteiro, iniciou a ode histórica “El Pelayo”, que não chegou a terminar. Escreveu depois o romance “Sancho Saldaña”. De assinalar, entre as suas obras, “El estudiante de Salamanca” e “El diablo mundo”, dois longos poemas líricos igualmente inacabados, “A Jarifa en una orgia”, “El Verdugo”, “Canción del cosaco”, “La canción del pirata” e “Himno al sol”.

sábado, 24 de março de 2018

24 DE MARÇO - JOÃO MOURA


EFEMÉRIDE - João António Romão de Moura, cavaleiro tauromáquico português, nasceu em Monforte no dia 24 de Março de 1960.
João Moura despertou para o toureio a cavalo por influencia familiar. O seu tio Cláudio Moura era ganadeiro e o pai, João Augusto de Moura, foi equitador de competição e cavaleiro tauromáquico amador.
Tendo-se iniciado a montar a cavalo em criança, estreou-se em público, na praça de toiros de Portalegre, num festejo organizado pelo liceu da mesma cidade, em 1967. Tinha, portanto, apenas sete anos de idade.
Demonstrando uma intuição invulgar, três anos depois, em Setembro de 1970, debutou na Praça de Touros do Campo Pequeno, partilhando a arena com os mais destacados cavaleiros de então (João Branco Núncio, José Mestre Baptista, Manuel Conde e Luís Miguel da Veiga).
Numa altura em que já contava cerca de 150 actuações como amador em Portugal, partiu para Espanha (1975), onde o público veria nele um verdadeiro fenómeno. Nessa mesma temporada, apresentou-se um pouco por todo o país e, por diversas vezes, em parelha com Álvaro Domecq Romero e Manuel Vidrié.
Em Maio de 1976, fez a sua apresentação em Las Ventas, Madrid. Montando o célebre Ferrolho, obteve - frente a touros da ganadaria João Branco Núncio Herdeiros - o Prémio António Cañero, destinado ao cavaleiro triunfador da Feria de San Isidro. Seria a primeira e única vez que o prémio dessa feira taurina (a mais importante do mundo), era entregue a um cavaleiro tão jovem.
Em 1977, alcançando o impressionante número de 83 corridas toureadas e 146 orelhas, o “niño” Moura era, aos 17 anos, o cavaleiro mais solicitado e premiado da Península Ibérica.
De novo em Portugal, em Junho de 1978, na Praça Celestino Graça, recebeu a alternativa de cavaleiro tauromáquico, sendo seu padrinho David Ribeiro Telles e testemunha Mestre Baptista. Em 1979, voltou à Praça de Santarém para lidar sete toiros em solitário, um deles da mítica ganadaria Miura. Em 1981, realizou a sua primeira digressão à América Latina, estreando-se no México e na Colômbia. Em 1984, actuou em França, onde voltou várias vezes.
Em 1994, voltou a liderar o “escalafón”, com a cifra de 64 corridas e 95 orelhas. Em 1998, para comemorar 20 anos de alternativa, voltou a lidar seis toiros a solo, desta vez no Campo Pequeno.
«Um dos mais célebres toureiros do mundo», no dizer do crítico Vasco Lucas, João Moura aportou às regras clássicas do toureio a cavalo: uma brega envolvente, que oferecia ao toiro a garupa ou a espádua do cavalo, ladeando e galopando sem nunca lhe perder a cara, “templava” ao máximo as investidas até ganhar terreno para inverter a marcha, depois carregava a sorte e reunia em terrenos menos convencionais. Um estilo figurativo que logrou ao cavaleiro alcançar os mais importantes prémios em Portugal e em Espanha, além de ter aberto por nove vezes a Porta Grande da Monumental de Las Ventas, um feito sem igual entre os cavaleiros portugueses.
Em Novembro de 1991, o presidente da República Mário Soares agraciou-o como comendador da Ordem Civil do Mérito Agrícola, Industrial e Comercial, na Classe Agrícola. Em 1998, a Real Federación Taurina de España atribuiu-lhe o prémio de Mejor Rejoneador, pela mão do rei Juan Carlos de Espanha.
Em 2008, festejou os seus trinta anos de alternativa na Praça do Campo Pequeno, onde uma exposição lhe foi consagrada. É pai de João Moura Júnior e de Miguel Moura, ambos também cavaleiros tauromáquicos.

sexta-feira, 23 de março de 2018

23 DE MARÇO - IVAN MAKAROV


EFEMÉRIDE - Ivan Kuzmich Makarov, pintor russo, nasceu em Arzamas no dia 23 de Março de 1822. Morreu em São Petersburgo, em 9 de Abril de 1897.
Makarov era filho do artista K. A.  Makarov, que foi o criador da Escola de Arte de Saransk. Teve o seu primeiro contacto com a arte através do pai, ajudando-o a realizar pinturas em igrejas e a fazer decorações festivas.
Estudou na escola artística iconográfica AV Stupina, na sua cidade natal, onde o pai era assistente. Começou, em pouco tempo, a fazer trabalhos independentes, sobretudo pinturas criativas em igrejas.
Mudou-se para São Petersburgo e foi premiado pela Academia, pelo seu sucesso num período ainda de experimentação. Ganhou duas medalhas de prata -  com um retrato intitulado “Girls on a walk in Russian Costume” e com a pintura de uma paisagem.
Makarov acompanhou a Grã-Duquesa Maria Nikolaevna durante uma viagem pela França, Alemanha e Itália. O pintor ensinou o filho dela a desenhar, durante esse tempo.
Depois de regressar ao seu país, completou a sua formação académica. A Grã-Duquesa, em aliança com a Sociedade de Encorajamento aos Artistas, enviou-o para Roma durante dois anos, a fim dele se aprimorar.
Em 1855, voltou a São Petersburgo e aumentou o seu prestígio na Academia, com a beleza dos retratos que fazia, sobretudo os que envolviam a família imperial. Exibiu as suas pinturas nos corredores de uma escola e, em consequência disso, conseguiu a sua primeira exposição a solo.
Makarov tornou-se uma das maiores referências do século XIX. Caracterizou a sua carreira através dos seus retratos, com combinações impecáveis de cores e a habilidade de fazer transparecer o sentimento do momento.
Os seus trabalhos estão nalguns dos maiores museus e galerias da Rússia, como a Galeria Estatal Tretyakov, o Museu de Pesquisa Científica das Artes Russas, o Museu Russo e o Mordov Republican Museum of Fine Arts.

quinta-feira, 22 de março de 2018

22 DE MARÇO - ZHANG ZILIN


EFEMÉRIDE - Zhang Zilin, modelo e actriz chinesa, detentora dos títulos de miss China e miss Mundo 2007, nasceu em Shijiazhuang no dia 22 de Março de 1984.  Foi a primeira miss Mundo originária do extremo-oriente. Tem 1,82m de altura.
A família mudou-se para a capital chinesa, Pequim, onde Zhang frequentou a escola, de 1996 a 2002. Filha de um militar e de uma professora, praticou atletismo na infância e adolescência. Especialista de triplo-salto e dos 110 metros barreiras, venceu várias competições universitárias até 2005   Terminados os estudos, na Universidade de Ciência e Tecnologia de Pequim, obteve o diploma em Administração de Negócios (2006).
Antes de ser miss China, já trabalhava como modelo e actriz. Desfilou pelo estilista Giorgio Armani. Em 2010, foi a actriz principal do filme de acção e comédia “Underdog Knight”.

quarta-feira, 21 de março de 2018

21 DE MARÇO - JEAN PAUL


EFEMÉRIDE - Jean Paul, de seu verdadeiro nome Johann Paul Friedrich Richter, escritor romântico alemão, nasceu em Wunsiedel no dia 21 de Março de 1763. Morreu em Bayreuth, em 14 Novembro de 1825.
A atmosfera protestante em casa marcou-lhe a infância. Começou a familiarizar-se com as ideias do Iluminismo através de um proeminente maestro e de um pároco, mais do que através do pai que era ultraconservador. Separado dos centros político-literários da sua época, Jean Paul desenvolveu-se de modo autodidacta e, aos 15 anos, já tinha um amplo conhecimento sobre livros que recolhia em cadernos monográficos.
Em 1779, Jean Paul mudou-se para Hof, onde se tornou amigo de Johann Bernhard Hermann, que viria a ser o arquétipo de muitas personagens das suas novelas. Poucos meses depois, morreu-lhe o pai, o que despoletou na família uma grave crise económica.
Em Maio de 1781, Jean Paul ingressou na Universidade de Leipzig, prosseguindo os estudos de Teologia, mas sem muito interesse. Começou então a descobrir-se como escritor. Depois das suas primeiras experiências literárias, escreveu principalmente sátiras ao estilo de Jonathan Swift, as quais reuniu em forma impressa, em 1783, sob o nome de “Grönländische Prozesse” (“Os processos gronelandeses”). No entanto, a esta primeira publicação não se seguiram logo outros êxitos.
Em 1784, Jean Paul teve que fugir dos seus credores e regressar a casa da mãe, em Hof. A forma como se sentia nesses tempos pode ser testemunhada na sua novela “Siebenkäs”. À pobreza opressiva daqueles anos veio juntar-se a morte de um amigo em 1786 e o suicídio do seu irmão Heinrich em 1789. Só quando Jean Paul começou a ensinar, como professor particular, a partir de 1787, é que a sua sorte começou a mudar, mas muito lentamente.
O seu êxito como escritor teve início em 1793, com a novela “Die unsichtbare Loge”. Jean Paul havia enviado o manuscrito ao escritor Karl Philipp Moritz, que se mostrou entusiasmado: «Mas isto está acima de Goethe, é algo totalmente novo!». O livro encontrou rapidamente uma editora em Berlim. Jean Paul tornou-se famoso, ganhando um lugar especial na literatura alemã e dividindo sempre os leitores. Para alguns, era merecedor de uma veneração sem limites; para outros, era objecto de desinteresse e reprovação.
August Wilhelm Schlegel qualificou as suas obras de “solilóquios”, nos quais permitia aos leitores tomar parte. Os seus escritos caracterizam-se pelas metáforas audazes e tramas digressivas e até certo ponto labirínticas. Jean Paul influenciou também, com os seus livros, alguns compositores e escritores da sua época.

terça-feira, 20 de março de 2018

20 DE MARÇO - JORGE MELÍCIO


EFEMÉRIDE - Jorge Melício, escultor angolano que reside em Lisboa desde os 7 anos de idade, nasceu no Lobito em 20 de Março de 1957.
Frequentou a Escola de Artes Decorativas António Arroio e a Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa. A sua obra plástica reparte-se por várias modalidades. O modo que caracteriza a sua actuação nos diversos domínios tem como resultado trabalhos exaustivos cuja dedicação traduz o seu empenho e persistência. Do desenho e da pintura, transita para as artes do fogo, sem descurar a insistência em que as primeiras disciplinas o envolvem. Encara – porém - a cerâmica, designadamente a azulejaria, com uma avidez que se torna obsessão. Essa constante caminha a par do design, do restauro de estuques decorativos, do vitrinismo e da arquitectura de interiores.
A escultura é outra das modalidades a que dedica especial atenção, com evidência superlativa nos trabalhos de bronze, em que se define praticamente num campo de representação exclusiva do hiper-realismo português. Melício é, aliás, actualmente, um dos melhores escultores angolanos e do hiper-realismo mundial.
Da textura da pedra, que esculpiu nos anos 1970 no seu atelier de Pêro Pinheiro, fazendo uso de maquinaria industrial, Melício transportou-se para experiências com outros materiais, culminando no gesso e a sua fundição em metal. Dinamizador cultural no Município de Lisboa durante uma dezena de anos, assumiu igualmente funções de docência no domínio das artes plásticas.
Com obras dispersas por museus, instituições e colecções privadas, merecem contudo mais atenção as de maior visibilidade pública, como o friso em tela que encima a porta de entrada da Brasileira do Chiado; as esculturas de bronze hiper-realistas que animam várias localidades portuguesas, designadamente o grupo escultórico “Família” do Jardim Fernando Pessa, ao lado da Assembleia do Município de Lisboa; ou o recente monumento de cerâmica dedicado à vida e obra da rainha Santa Isabel, no perímetro envolvente do edifício-sede da Caixa Geral de Depósitos, em Lisboa. Foi seleccionado pela administração do Metropolitano de Lisboa para a decoração de uma das suas estações.

segunda-feira, 19 de março de 2018

19 DE MARÇO - MARIA DE LURDES RODRIGUES


EFEMÉRIDE - Maria de Lurdes Reis Rodrigues, professora universitária e política portuguesa, nasceu em Lisboa no dia 19 de Março de 1956.
É reitora do ISCTE-IUL, sendo professora associada do Instituto, no qual lecciona desde 1986, e onde concluiu o seu doutoramento em Sociologia (1996) e prestou provas de agregação (2003).
Foi presidente do Observatório das Ciências e das Tecnologias do Ministério da Ciência e da Tecnologia (1997/2002), representante nacional no Grupo Indicadores para a Sociedade da Informação da OCDE (1999/2002), representante nacional no Working Party of R&D and Innovation Survey no Eurostat (1996/2002) e ministra da Educação (2005/09). Exerceu ainda actividades de consultoria e gestão de recursos humanos e formação profissional, em diversas instituições.
É autora de dezenas de artigos publicados em revistas científicas e em obras colectivas e dos seguintes títulos monográficos: “Sociologia das Profissões” (1997), “Os Engenheiros em Portugal” (1999) e “A Escola Pública pode fazer a Diferença” (2010) e “Profissões: Lições e Ensaios” (2012).
Em Fevereiro de 2016, foi agraciada com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique. Em Fevereiro de 2018, foi eleita reitora do ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa, para um mandato de quatro anos, tornando-se a primeira mulher a liderar a instituição.
Entre 2005 e 2009, foi ministra da Educação, tendo lançado e realizado diversas reformas. Particularmente controversas foram as reformas da carreira docente e da avaliação de desempenho dos docentes, as quais foram alvo de contestação por parte de professores e sindicatos, dos partidos da oposição e de sectores do Partido Socialista.
No primeiro ciclo do ensino básico, foi introduzido o ensino do Inglês e generalizada a escola a tempo inteiro, com oferta de actividades de enriquecimento curricular, como a música e a actividade física. Foram elaboradas cartas educativas, encerradas as escolas com menos de dez alunos e apoiada a construção de mais de 400 novos centros escolares.
Em articulação com o ministro do Trabalho e da Solidariedade Social, foi lançada em 2006 a iniciativa Novas Oportunidades, na qual se inscreveram, até Novembro de 2009, mais de um milhão de adultos. No mesmo período, concluíram o seu processo de certificação escolar cerca de 300 000 adultos.
O programa foi alvo de uma Avaliação Externa, encomendada a uma equipa da Universidade Católica Portuguesa e encabeçada pelo antigo ministro da Educação Roberto Carneiro. Nas conclusões apresentadas no relatório da Avaliação Externa diz-se que «No plano estratégico, e num horizonte de médio prazo, a Iniciativa Novas Oportunidades encerra um potencial precioso e de inigualável riqueza conceptual para inspirar a estruturação de um sistema de Aprendizagem ao Longo da Vida susceptível de colocar Portugal na dianteira dos demais países Europeus e da OCDE, que normalmente lhe servem de benchmark». Os resultados desta Avaliação Externa foram editados por UNESCO, MENON e CEPCEP no livro “Accreditation of prior learning as a lever for lifelong learning: lessons learnt from the New Opportunities Initiative, Portugal”.
No ensino secundário, foi reintroduzido de modo generalizado o ensino profissional nas escolas públicas. Entre 2005 e 2009, o número de alunos a frequentar cursos profissionais passou de cerca de 30 000 para mais de 126 000.
Em 2007, foi criada a empresa Parque Escolar e lançado o Programa de Requalificação das Escolas Secundárias, que abrangeu mais de 300 das cerca de 500 escolas com ensino secundário existentes. O programa foi objecto de avaliação realizada pela OCDE, cujos resultados foram publicados em livro (2012).
Também em 2007, foi lançado o Plano Tecnológico da Educação, visando a modernização das escolas básicas e secundárias, nomeadamente dotando-as de recursos informáticos. Em resultado do Plano, o número de alunos por computador passou de 18, em 2005, para cinco, em 2009.
Findo o trabalho à frente do Ministério da Educação, regressou às actividades académicas no ISCTE, onde coordena o programa de mestrado em Políticas Públicas, tendo também constituído a equipa de docentes do curso de doutoramento em Políticas Públicas e do curso de mestrado em Administração Escolar.
No início de 2010, foi nomeada presidente da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, cargo que exerceu de Maio de 2010 a Dezembro de 2013. Em Outubro de 2011, a FLAD lançou o programa Study in Portugal, com vista à promoção das universidades portuguesas nos EUA e à captação de alunos norte-americanos para o sistema universitário português, em parceria com o Turismo de Portugal, o Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas, a AICEP e a Comissão Fulbright.
Maria de Lurdes Rodrigues participou na criação do Instituto das Políticas Públicas e Sociais (IPPS), organizando - desde 2012 - o respectivo Fórum.

domingo, 18 de março de 2018

18 DE MARÇO - RICHARD CONDON


EFEMÉRIDE - Richard Thomas Condon, romancista norte-americano, nasceu em Nova Iorque no dia 18 de Março de 1915. Morreu em Dallas, em 9 de Abril de 1996.
Ficou conhecido sobretudo pela obra “The Manchurian Candidate”, adaptada duas vezes ao cinema, em 1962 e 2004.
Escreveu mais de 25 romances, na sua maioria utilizando um estilo de thrillers satíricos, muitas das vezes com fundo político. Cinco das suas obras tiveram adaptações cinematográficas. 
Após ter servido na Marinha Mercante americana, Richard Condon trabalhou em Hollywoodf como agente promotor dos estúdios de Walt Disney Pictures e, mais tarde, fazendo scripts para a United Artists.
Duas décadas depois, decidiu reorientar a carreira e realizar o seu sonho, escrevendo o primeiro romance - “The Oldest Confession”. Em 1959, publicou “The Manchurian Candidate”, obra que lhe trouxe fortuna e celebridade. Este romance, com o anterior, foi adaptado ao cinema no princípio dos anos 1960.
Os proventos gerados, em grande parte, pelos direitos de adaptação ao cinema dos seus romances, permitiram-lhe passar largos períodos no estrangeiro. Esteve primeiro no México e depois em França, Espanha, Irlanda e Suíça. Na década de 1980, regressou aos Estados Unidos, tendo passado os seus últimos anos de vida no Texas.

sábado, 17 de março de 2018

17 DE MARÇO - PEDRO LAGINHA


EFEMÉRIDE - Pedro Laginha, actor e cantor português, nasceu em Lisboa no dia 17 de Março de 1971.
Iniciou-se na companhia de teatro Os Satyros - onde, sob a direcção de Rodolfo Garcia Vasquez, integrou o elenco de espectáculos como “Rusty Brown”, de Miguel Barbosa; “De Profundis”, a partir de Oscar Wilde; “Woyzek”, de Georg Büchner; e “A Filosofia de Alcova”, do Marquês de Sade.
Trabalhou com Xosé Blanco Gil no Teatro Ibérico, onde participou em “Sopinhas de Mel”, de Teresa Rita Lopes, e em “O Leão Enganado”, de La Fontaine.
Actuou no Teatro Aberto com José Wallenstein (“Pêssegos”, de Nick Grosso) e João Lourenço (“Às Vezes Neva em Abril”, de João Santos Lopes); e no ACARTE com Paulo Filipe Monteiro (“Área de Risco”).
Foi dirigido por António Feio no Teatro Villaret em “Deixa-me Rir”, de Alistair Beaton. Em 1993, com a peça “A Filosofia de Alcova”, esteve presente no Festival de Teatro de Avignon, no Kirin Arts Festival (Cambridge), no Edimburgh Fringe Festival e no Festival de Teatro da Juventude de Kiev.
Participou como actor em vários telefilmes, como: “Alta Fidelidade”, de Tiago Guedes e Frederico Serra; “Cavaleiros de Água Doce” e “O Meu Sósia e Eu”, de Tiago Guedes; “Jogo de Glória”, de Fernando Vendrell; e “Só por Acaso”, de Rita Nunes. Tem aparecido regularmente em séries televisivas.
Em 2001, formou com Miguel Pedro a banda Mundo Cão. Já com Vasco Vaz, Budda e Canoche a integrar a banda, gravaram o primeiro álbum, com letras de Adolfo Luxúria Canibal (2007).
Protagonizou mais de 30 filmes, telenovelas e séries televisivas entre 1998 e 2016. Entrou em diversas curtas-metragens (2000/13).

sexta-feira, 16 de março de 2018

16 DE MARÇO - CONSTANÇA CAPDEVILLE


EFEMÉRIDE - Constança Capdeville, compositora, pianista e percussionista portuguesa, nasceu em Barcelona no dia 16 de Março de 1937. Morreu em Caxias, Oeiras, em 4 de Fevereiro de 1992.
Iniciou os seus estudos musicais em Barcelona antes de se estabelecer permanentemente em Portugal a partir de 1951, devido a condicionantes político-sociais decorrentes da Guerra Civil de Espanha.
Constança prosseguiu os estudos superiores no Conservatório Nacional de Música de Lisboa, cursando Piano com Varela Cid e Composição com Jorge Croner de Vasconcelos. Formou-se em Interpretação de Música Antiga (transcrição, instrumentação, prática de clavicórdio e acompanhamento pianístico) através de cursos ministrados por Carl Macario Santiago Kastner.
Constança Capdeville notabilizou-se ainda no ensino de Composição, nomeadamente na Academia de Música de Santa Cecília, no Conservatório Nacional de Lisboa, na Escola Superior de Música de Lisboa e no Departamento de Ciências Musicais da Universidade Nova de Lisboa.
Em 10 de Junho de 1992, a título póstumo, foi-lhe atribuído o grau de comendadora da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada. O seu espólio musical encontra-se, desde Setembro de 2012, na Biblioteca Nacional de Portugal.
Desde 1993, há uma rua com o seu nome na Ameixoeira, em Lisboa. Em 2017, o Departamento de Ciências Musicais da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas prestou-lhe também homenagem, por ocasião do 80º aniversário do seu nascimento.

quinta-feira, 15 de março de 2018

15 DE MARÇO - LADY GREGORY


EFEMÉRIDELady Gregory, de seu nome completo Isabella Augusta (Peesse) Gregory, dramaturga e folclorista anglo-irlandesa, nasceu em Roxborough no dia 15 de Março de 1852. Morreu em Coole Park, em 22 de Maio de 1932, com 80 anos de idade.
Juntamente com William Butler Yeats e outros intelectuais, co-fundou o Irish Literary Theatre e o Abbey Theatre. Escreveu numerosas peças curtas para ambas as companhias. Também produziu vários livros, onde recontou histórias da mitologia céltica.
Nascida numa classe social que se identificava de forma muito próxima com o governo do Reino Unido, a sua conversão ao nacionalismo cultural, conforme evidenciado nos seus escritos, foi emblemático das muitas mudanças que ocorreram na Irlanda durante a sua época.
Lady Gregory é recordada sobretudo pela sua força impulsionadora no Renascimento Literário Irlandês. A sua casa em Coole Park, County Galway, serviu como importante ponto de encontro para os principais líderes da Restauração. As suas primeiras obras como membro da direcção do Abbey foram tão importantes para o desenvolvimento do teatro como foram os seus outros escritos criativos. A sua divisa, retirada de Aristóteles, era «pensar como um sábio, mas expressar-se como uma pessoa comum».

quarta-feira, 14 de março de 2018

14 DE MARÇO - FRANK BORMAN


EFEMÉRIDE - Frank Frederick Borman, astronauta norte-americano que comandou a primeira circum-navegação da Lua, a bordo da Apollo 8 (Dezembro de 1968), nasceu em Gary no dia 14 de Março de 1928.
Borman sofria de graves problemas de sinusite na infância, o que fez com que a sua família se mudasse para Tucson, no Arizona, onde ele cresceu e tomou contacto com a aviação a partir dos 15 anos de idade.
Graduado pela Academia Milita de West Point em 1950, tornou-se piloto de caça e de testes da US Air Force, até ingressar na NASA, no segundo grupo de astronautas seleccionado em 1962.
A sua primeira missão espacial foi no comando da nave Gemini VII, em 1965, juntamente com o astronauta James Lovell, ficando em órbita durante 14 dias, o mais longo período passado no espaço por uma missão Gemini.
Em Dezembro de 1968, realizou o voo pelo qual ficaria mais conhecido, ao comandar a Apollo 8 em direcção à Lua, a primeira missão tripulada a circum-navegar o satélite, mostrando que a NASA era capaz de construir um foguetão em condições de levar missões tripuladas à Lua.
Sendo um sério líder entre o grupo de astronautas da sua época, Frank Borman retirou-se da NASA em 1970, para fazer uma carreira executiva na companhia Eastern Airlines, durante os anos 1970/80. Durante o período em que foi presidente da companhia, e devido à sua reputação, esta adquiriu 23 Airbus A300. O exemplo foi depois seguido por outras companhias, apesar do habitual e natural proteccionismo americano.
Vive actualmente em Tucson, onde ainda reconstrói e voa em diversos aviões antigos da II Guerra Mundial e da Guerra da Coreia. Recebeu a Congressional Space Medal of Honor.

terça-feira, 13 de março de 2018

13 DE MARÇO - ROGÉRIO CEITIL


EFEMÉRIDE - Rogério Ceitil, produtor e realizador de cinema português, nasceu em Vila Franca de Xira no dia 13 de Março de 1937.
Iniciou a sua formação de cineasta no final da década de 1960. Muitos dizem que Rogério, antes de se formar como cineasta, se formou também na área de jornalismo.
Iniciou a sua actividade como cineasta em 1971 e, um ano depois, tornou-se membro do Centro Português de Cinema, onde fez vários filmes e uma série de 13 episódios para à RTP, chamada “Zé Gato”, com o actor Orlando Costa no papel principal (1979/80).
Entre 1985 e 1989, produziu e realizou “Duarte e Companhia” para a RTP, alcançando enorme êxito.
No início dos anos 1990, foi para o departamento de programas infantis e juvenis, tendo feito “O Bando dos Quatro” para à RTP entre 1991 e 1992. Ma mesma época, fez a mini-série “O Beijo de Judas”.
Já nos anos 2000, fundou a Rogério Ceitil Audiovisuais. Em 2010, produziu e realizou outro programa infanto-juvenil chamado “República das Perguntas”.
Por curiosidade, diga-se que Rogério Ceitil nunca deu entrevistas sobre as suas séries e filmes. Muitos dos seus trabalhos tiveram a colaboração da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira.

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muitas mais...