segunda-feira, 31 de outubro de 2016

31 DE OUTUBRO - D. LUÍS I DE PORTUGAL

EFEMÉRIDED. Luís I, cognominado “o Popular”, rei de Portugal de 1861 até à sua morte, nasceu em Lisboa no dia 31 de Outubro de 1838. Morreu em Cascais, em 19 de Outubro de 1889. Era o segundo filho da rainha D. Maria II e do seu marido o rei D. Fernando II, tendo ascendido ao trono após a morte prematura do seu irmão mais velho o rei D.Pedro V.
Embora a condição de segundo filho não fizesse prever que ele ascenderia ao trono português, a sua educação foi esmerada e compartilhada em grande parte com o irmão mais velho, o Príncipe Real D. Pedro.
D. Pedro e D. Luís dividiam o tempo entre os palácios de Mafra, de Sintra e de Vila Viçosa, para além de estadias esporádicas no palácio de Belém.
D. Luís enveredou pela carreira naval, tendo sido nomeado praça da Companhia dos Guardas Marinhas e reconhecido em cerimónia no Arsenal da Marinha em Outubro de 1846, contando apenas 8 anos de idade. Viria a ser sucessivamente promovido a segundo-tenente (1851), capitão-tenente (1854), capitão-de-fragata (1858) e capitão-de-mar-e-guerra (1859).
Teve o primeiro comando naval em Setembro de 1857, no brigue “Pedro Nunes”, no qual efectuou um cruzeiro na costa de Portugal e uma viagem a Gibraltar. Foi nomeado depois, pelo irmão D. Pedro V, comandante da corveta “Bartolomeu Dias”, em Junho de 1858. Ao comando da “Bartolomeu Dias”, veio a cumprir nove missões de serviço entre os anos de 1858 e 1860.
D. Luís herdou a coroa em Novembro de 1861, sucedendo ao irmão D. Pedro V, por este não ter deixado descendência. Foi aclamado rei em Dezembro do mesmo ano. Em Setembro do ano seguinte, casou-se – por procuração – com D. Maria Pia de Sabóia, filha do rei Vitor Emanuel II de Itália.
De grande sensibilidade artística, pintava, compunha e tocava violoncelo e piano. Poliglota, falava correctamente diversas línguas europeias. Fez traduções de obras de William Shakespeare.
Durante o seu reinado, em consequência da criação do imposto geral de consumo, que a opinião pública recebeu mal, houve um motim a que se chamou a Janeirinha (em finais de 1867). Em Maio de 1870, verificou-se também uma revolta militar, promovida pelo marechal duque de Saldanha, que pretendia a demissão do governo. À revolta, respondeu o monarca com a demissão do ministério de Saldanha, chamando ao poder Sá da Bandeira.
Em Setembro de 1871, subiu ao poder Fontes Pereira de Melo, que organizou um gabinete regenerador, o qual se conservou até 1877. Seguiu-se o duque de Ávila, que não se aguentou durante muito tempo por lhe faltar maioria. Assim, e depois de um conflito parlamentar ocorrido em 1878, Fontes foi chamado outra vez para constituir gabinete. Consequentemente, os progressistas atacaram o rei, acusando-o de patrocinar escandalosamente os regeneradores. Este episódio constituiu um incentivo ao desenvolvimento do republicanismo. Em 1879, D. Luís chamou então os progressistas para formarem governo.
No seu tempo, surgiu também a Questão Coimbrã (1865/66) e ocorreu a iniciativa das Conferências do Casino (1871), a que andavam ligados os nomes de Antero de Quental e Eça de Queiroz, os expoentes de uma geração que se notabilizou na vida intelectual portuguesa.
De temperamento calmo e conciliador, D. Luís foi um modelo de monarca constitucional, respeitador escrupuloso das liberdades públicas. Do seu reinado merecem especial destaque o início das obras dos portos de Lisboa e de Leixões, o alargamento da rede de estradas e dos caminhos-de-ferro, a construção do Palácio de Cristal, no Porto, a abolição da pena de morte para os crimes civis, a abolição da escravatura no reino de Portugal e a publicação do primeiro Código Civil.
Em 1884, efectuou-se a Conferência de Berlim, de que resultou o chamado Mapa Cor-de-Rosa, que definia a partilha de África entre as grandes potências coloniais: Alemanha, Bélgica, França, Inglaterra e Portugal.
Fértil em acontecimentos, foi no seu reinado que foram fundados alguns dos partidos políticos portugueses: o Partido Reformista (1865), que ascendeu ao poder em 1868, o Partido Socialista Português (1875), com o nome de Partido Operário Socialista, e o Partido Progressista (1876), que chegou ao poder em 1879. Em 1883, realizou-se o Congresso da Comissão Organizadora do Partido Republicano. No final do seu reinado, o Partido Republicano apresentava-se já como uma força política perfeitamente estruturada.
D. Luís era também um homem das ciências, com uma paixão pela oceanografia. Investiu grande parte da sua fortuna no financiamento de projectos científicos e de barcos de pesquisa oceanográfica, que viajaram pelos oceanos em busca de espécimes marinhos.
Seguindo os passos da mãe – Maria II – mandou construir e fundar associações culturais. Em Junho de 1871, esteve no Seixal (uma vila fundada pela sua mãe), para testemunhar a fundação da Sociedade Filarmónica União Seixalense.
Faleceu subitamente no seu palácio de verão na cidadela de Cascais. Sucedeu-lhe o seu filho Carlos, sob o nome de D. Carlos I de Portugal. Os seus restos mortais jazem no Panteão Real da Dinastia de Bragança, no Mosteiro de São Vicente de Fora, em Lisboa.
Foi durante o seu reinado que foi fundado o primeiro banco público português, a Caixa Geral de Depósitos, e que foram inauguradas as pontes Maria Pia e D. Luís, ambas no Porto.

domingo, 30 de outubro de 2016

30 DE OUTUBRO - JEAN ROSTAND

EFEMÉRIDEJean Rostand, biólogo, filósofo moralista, escritor e historiador de ciências francês, nasceu em Paris no dia 30 de Outubro de 1894. Morreu em Ville-d'Avray, em 4 de Setembro de 1977.
Era filho do dramaturgo Edmond Rostand e da poetisa Rosemonde Gérard. A partir dos 18 anos, passou a ocupar os seus tempos livres a ler, com entusiasmo, livros do entomologista Jean-Henri Fabre. Jean Rostand mostrava-se mais interessado pela ciência do que pela literatura.
Bacharel em Ciências pela Universidade de Paris, fixou-se em Ville-d'Avray em 1922, após a morte do pai ocorrida em 1918. Em 1936, participou na criação da secção de biologia no Palácio da Descoberta, em Paris. Em seguida, fundou o seu próprio laboratório independente em Ville-d'Avray.
Muito interessado pelas origens da vida, estudou a biologia dos batráquios (rãs, sapos), a partenogénese, a acção do frio nos ovos, etc. Promoveu também várias pesquisas sobre hereditariedade.
Jean Rostand começou por publicar alguns ensaios filosóficos e, depois, passou a dividir o seu tempo entre a profissão de investigador e a elaboração abundante de obras científicas e literárias.
Com convicção e entusiasmo, esforçou-se por popularizar a biologia junto do grande público e por alertar sobre a gravidade dos problemas humanos que esta ciência suscita. Jean Rostand advertiu contra os perigos que ameaçam os homens, quando estão a «brincar aos aprendizes de feiticeiro».
Rostand foi também um pacifista, tendo militado contra as armas atómicas. Era agnóstico e um pensador livre. Sem nunca ser sectário, mostrou um grande espírito de abertura e honestidade intelectual.
Tornou-se membro da Academia Francesa em 1959 e continuou com as suas campanhas de informação através de conferências e de intervenções na rádio e na televisão.
Foi casado com a escultora Andrée Mante, falecida em 1980, tendo tido um filho que morreu em 2003, sem deixar descendentes. O nome de Jean Rostand foi dado a muitas escolas primárias, colégios e liceus franceses.

sábado, 29 de outubro de 2016

29 DE OUTUBRO - JAMES SHIRLEY

EFEMÉRIDEJames Shirley, poeta e dramaturgo inglês, morreu em Londres no dia 29 de Outubro de 1666. Nascera na mesma cidade em Setembro de 1596.
Estudou no St John's College (Oxford) e no St Catharine's College (Cambridge), tendo-se diplomado em 1618. Neste mesmo ano, publicou o seu primeiro poema “Echo, or the Unfortunate Lovers”, entretanto perdido, mas que é talvez a primeira versão da poesia que publicou em 1646 sob o título “Narcissus”.
Convertido ao catolicismo, tornou-se professor na escola de St Albans em 1623. Dois anos depois, instalou-se em Londres, precisamente no ano em que foi representada a sua primeira comédia “Love Tricks, or thé School of Complement”.
Durante os 18 anos seguintes, escreveu cerca de 40 peças, até ao fecho das salas de espectáculos teatrais pelos “puritanos”, através de uma decisão do Parlamento Inglês (1642). 
James Shirley tinha uma predilecção pela comédia, mas escreveu também vários géneros em voga na época: a tragédia, a tragicomédia, a máscara, a moralidade, etc. A maioria das suas primeiras peças foram representadas pela trupe dos Queen Henrietta's Men.
De 1636 a 1640, viveu na Irlanda e escreveu algumas peças para o primeiro teatro que existiu em Dublin. De regresso a Londres, um diferendo opô-lo aos Queen Henrietta's Men, que tinham vendido algumas das suas obras sem o seu consentimento. Os seus últimos trabalhos foram montados pelos King's Men, um grupo para o qual William Shakespeare escreveu a maior parte das suas obras.
Fiel à causa real, Shirley serviu durante a guerra civil sob as ordens do duque de Newcastle. Veio a falecer vítima das consequências de um grande incêndio ocorrido na capital inglesa em Setembro de 1666.

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

28 DE OUTUBRO - HANK MARVIN

EFEMÉRIDEHank Marvin, de seu verdadeiro nome Brian Robson Rankin, autor, compositor, guitarrista e líder da banda britânica The Shadows, nasceu em Newcastle upon Tyne no dia 28 de Outubro de 1941. Os Shadows são considerados o grupo britânico mais influente, antes da era dos Beatles.
Quando miúdo, Brian tocava banjo e piano, mas depois trocou-os pela guitarra. Aos 16 anos, viajou com um amigo para Londres, onde conheceu Cliff Richard, no Two I's Coffee Bar. Com ele, iria começar a sua carreira profissional de guitarrista, pois acompanhou os The Drifters, o grupo de Cliff Richard, numa tournée pelo Reino Unido.
Os Shadows, grupo formado em 1958, lançaram vários discos que foram campeões de vendas, nos anos 1960/80, em vários países do mundo. Calcula-se que tenham vendido até agora 520 milhões de exemplares.
A banda “dissolveu-se” em 1990, tornando-se a juntar para gravar um Best Of, que foi top 10 e disco de ouro na Grã-Bretanha. Fizeram duas tournées, em 2004 (Inglaterra) e em 2005 (Europa). Estes concertos foram gravados num CD duplo e num DVD (“The Shadows Final Tour”).
Durante a sua carreira, Hank Marvin também actuou a solo e em duo com vários artistas, incluindo Paul McCartney (1979).
Marvin vive na cidade de Perth, na Austrália, desde 1986. É Testemunha de Jeová, estando activo na pregação e no ensino bíblico, sendo conhecido pelas suas boas qualidades oratórias e humildade exemplar.
Em 1989, colaborou com o francês Jean Michel Jarre na faixa “London Kid” do álbum “Revolutions”, tendo também feito uma participação especial num concerto dele, ‘Destination Docklands’, no Real Victoria Dock de Londres, em Outubro do mesmo ano.
Embora nem Marvin nem os Shadows fossem muito conhecidos nos Estados Unidos, foram citados por Frank Zappa como a principal influência no seu primeiro álbum “Mothers of Invention”. Influenciou igualmente muitos outros músicos de nomeada, como Eric Clapton, Jimi Hendrix, George Harrison, Neil Young e Carlos Santana.

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

THE SHADOWS - "Riders In The Sky"


27 DE OUTUBRO - SIMON LE BON

EFEMÉRIDESimon John Charles Le Bon, cantor e compositor inglês, vocalista da banda britânica Duran Duran, nasceu em Bushey no dia 27 de Outubro de 1958.
Le Bon fez parte de um grupo coral desde criança e frequentou um curso para actores. Estudou na Pinner County Grammar School, a mesma escola onde Elton John estudara alguns anos antes. Apareceu, algumas vezes, em comerciais de televisão e em produções de teatro.
Em 1978, trabalhou num Kibutz – uma comunidade colectiva israelita – no deserto Neguev em Israel. Posteriormente, voltou a Inglaterra e estudou Arte Dramática na Universidade de Birmingham, antes de conhecer a então recém-formada banda Duran Duran.
Simon foi apresentado a Nick Rhodes e a John Taylor em Maio de 1980 por Fiona Kemp, a sua namorada na época, que trabalhava no mesmo bar onde a banda fazia os seus ensaios. Recomendado por ela como um bom vocalista, Le Bon apareceu numa audição com uma calça leopardo rosa e um caderno de anotações com poesias escritos por ele. Mais tarde, esses poemas tornaram-se letras de canções em álbuns dos Duran Duran.
Foi aceite e partiram em tournée para Birmingham, Londres e Nottingham. Gravaram, em Junho de 1981, o primeiro álbum em estúdio, a que seguiram outros, todos com sucesso. 
Em 1985, durante uma pausa nas actividades dos Duran Duran, Le Bon – juntamente com Rhodes e Taylor – formaram o Arcadia. O grupo lançou apenas um álbum, “So Red the Rose”, e um single, “Election Day”. A banda Arcadia durou apenas um ano. Os três voltaram aos Duran Duran para o álbum seguinte.
Os sucessos do grupo continuaram nos anos 1990. Durante uma tournée, Le Bon teve problemas com as cordas vocais e os Duran Duran suspenderam as actuações durante seis semanas.  
Em 1995, Le Bon interpretou “Ordinary World” com Luciano Pavarotti, durante o concerto de beneficência “Children of Bosnia”. Em 1998, criou a editora SYN Entertainment.
Os Duran Duran passaram a actuar e a gravar mais espaçadamente, mesmo assim lançando alguns álbuns de sucesso. Em 2010, foi editado “All You Need Is Now” que constituiu um grande êxito comercial. Em Setembro de 2015, novo álbum – “Paper Gods”.
Simon é casado com a ex-modelo britânica Yasmin Parvaneh, desde Dezembro de 1985, tendo três filhas.

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

26 DE OUTUBRO - HATTIE MCDANIEL

EFEMÉRIDEHattie McDaniel, actriz e cantora norte-americana, morreu em Los Angeles no dia 26 de Outubro de 1952. Nascera em Wichita, em 10 de Junho de 1895. Em 1940, tornou-se a primeira artista negra a receber um Oscar.
O pai era pastor baptista e a mãe cantora gospel. A sua avó paterna tinha sido escrava num grande latifúndio da Virgínia e o pai nasceu sob a condição de escravo. Hattie era a mais nova de treze irmãos.
Em 1910, foi a única afro-americana a participar no evento Women's Christian Temperance Movement, onde veio a ganhar uma medalha de ouro por recitar um poema que ela mesma escrevera, intitulado “Convict Joe”. Ao ganhar o prémio, percebeu que queria mesmo tornar-se artista na área de entretenimento.
Abandonou a escola secundária no 2º ano, para viajar pelo país com um grupo de músicos formado pelo pai e por dois irmãos. Além de ser a cantora principal da banda, Hattie também escrevia algumas das canções. Após a morte de um destes irmãos em 1916, o grupo começou a desestrutura-se e Hattie teve de esperar até 1920 para ter outra grande oportunidade como cantora. Naquele ano, juntou-se ao elenco da peça teatral “Melody Hounds” de George Morrison e foi alvo de óptimas críticas.
Hattie foi uma das primeiras mulheres afro-americanas a cantar na rádio. Em 1925, começou a cantar na KOA, uma estação em Denver. O seu trabalho como cantora de rádio levou-a a gravar várias canções, das quais a maioria era escrita por ela mesma. Fez tournées por várias cidades norte-americanas.
Estava ela a interpretar o papel de Queenie, em “Showboat”, quando ocorreu o colapso na bolsa de valores de Nova Iorque e a Theatrical Owners Booking Association, onde ele actuava, teve de fechar as portas. A partir desse momento, o único trabalho que ela conseguiu arranjar foi o de recepcionista num WC do Club Madrid, em Milwaukee, um cabaret frequentado só por brancos. Apesar de saber que McDaniel era uma boa cantora, o dono do cabaret temia deixá-la cantar. Certo dia, porém, foi convidada a subir ao palco e tornou-se uma das principais atracções.
Em 1931, mudou-se para Los Angeles com três dos irmãos. Quando não conseguia papéis em filmes, trabalhava como empregada doméstica ou cozinheira. Sam, um dos irmãos, colaborava num programa de rádio chamado The Optimistic Do-Nut Hour e conseguiu uma audição para ela. Hattie tornou-se extremamente popular, afirmando-se como uma estrela da rádio, mas o salário era tão pequeno que ela tinha de continuar na anterior ocupação. No início da década de 1930, conseguiu actuar em diversos filmes. No entanto, o seu nome não aparecia sequer nos créditos da maioria deles.
No decurso da sua carreira, entrou em mais de 300 filmes, tendo o seu nome aparecido apenas em 80 deles. Por causa dos preconceitos daquela época, passou muitos dos vinte anos da sua carreira a interpretar o papel de empregada doméstica. Certa vez ela disse: «Porque hei-de reclamar, se ganho 700 dólares por semana no cinema, se ganharia apenas sete dólares semanais como empregada na vida real?».
O filme de 1934 “Judge Priest”, dirigido por John Ford e estrelado por Will Rogers, foi o primeiro filme (e um dos únicos) no qual ela interpretou o papel de personagem principal.
Em meados da década de 1930, tornou-se amiga de várias celebridades de Hollywood, incluindo Joan Crawford, Bette Davis, Shirley Temple, Henry Fonda, Ronald Reagan, Olivia de Havilland e Clark Gable. Com os dois últimos, faria “E Tudo o Vento Levou” (1939). Foi pelo seu papel de Mammy, neste último filme, que recebeu o Oscar de Melhor Actriz Secundária, em Fevereiro de 1940.
Hattie McDaniel tem duas estrelas na Calçada da Fama em Hollywood: uma pela sua contribuição para a rádio e outra pela actuação no cinema. Em Janeiro de 2006, foi lançado um selo postal em sua homenagem.
Pessoalmente, teve uma vida agitada, tendo-se casado quatro vezes. Em 1945, informou o jornalista Hedda Hopper que tinha engravidado e começou a comprar coisas para o bebé. Contudo, um médico informou-a depois que, afinal, ela não estava grávida e McDaniel caiu em depressão.
Hattie McDaniel morreu aos 57 anos de idade, no hospital da Casa para os Artistas de Cinema e Televisão, em Woodland Hills. O seu desejo era ser sepultada no Cemitério de Hollywood, perto de alguns dos seus parceiros do cinema, mas o proprietário recusou-se a permitir que uma negra fosse ali enterrada. Acabou por ser inumada no Cemitério Angelus Rosedale, em Los Angeles.
Em 1999, Tyler Cassity, o novo dono do Cemitério de Hollywood, que mudou o nome deste para Cemitério Hollywood Forever, quis emendar os erros do passado e propôs à família que os seus restos mortais fossem para ali trasladados. Os parentes recusaram a oferta. Então, o Hollywood Forever decidiu construir um grande memorial, dedicando-o à artista. É um dos lugares mais populares para os visitantes do célebre cemitério.

terça-feira, 25 de outubro de 2016

25 DE OUTUBRO - VIVECA LINDFORS

EFEMÉRIDE – Elsa Viveca Torstensdotter Lindfors, actriz sueca, morreu em Uppsala no dia 25 de Outubro de 1995. Nascera na mesma cidade em 29 de Dezembro de 1920.
Estudou na Royal Dramatic Theatre School de Estocolmo. Em pouco tempo, tornou-se uma estrela de teatro e de cinema. Em 1946, mudou-se para os Estados Unidos, depois de ter assinado um contrato com a Warner Bros. Começou a trabalhar em Hollywood.
Protagonizou mais de cem filmes, incluindo: “Night Unto Night”, “No Sad Songs for Me”, “Dark City”, “King of Kings” e “Creepshow”. Actuou com actores conhecidos como Ronald Reagan, Charlton Heston e Errol Flynn.
Trabalhou também na televisão, nomeadamente – em 1959 – no episódio “O Templo do Swinging Doll” do drama de espionagem da NBC, “Five Fingers”.
Tinha uma presença no palco original e fascinante, tendo interpretado peças de Strindberg a Shakespearem e o musical “Pal Joey”.
Em 1962, dividiu com Rita Gam o Urso de Prata de Melhor Actriz, no Festival de Berlim, pela sua actuação em “Tad Danielewski's No Exit”. Entre os seus papéis em filmes posteriores, talvez seja mais lembrada como a esperta professora de “Taub in The Sure Thing”.
Foi casada quatro vezes e teve três filhos. Nos últimos anos de vida, ensinou Representação na Escola de Artes Visuais de Nova Iorque e foi protagonista de “Last Summer in the Hamptons” (1995). No mesmo ano, voltou para a sua Suécia natal, tendo ainda representado a peça “In Search of Strindberg”. Viveca Lindfors morreu de artrite reumatóide com a idade de 74 anos.

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

24 DE OUTUBRO - BRUMA

EFEMÉRIDEBruma, de seu verdadeiro nome Armindo Tué Na Bangna, futebolista guineense naturalizado português, nasceu em Bissau no dia 24 de Outubro de 1994.
Chegou ao Sporting CP com treze anos de idade. Foi subindo todas as categorias inferiores, até chegar à equipa B em 2012 e à equipa principal em 2013. Mostrando grande talento, começou a despertar a cobiça de grandes clubes europeus como o FC Bayern de Munique, o Manchester City FC e o Liverpool FC.
No início da temporada de 2013, não se apresentou ao clube por orientação dos seus representantes. Estes afirmavam que a sua ligação ao Sporting acabara. O clube, por sua vez, dizia que o contrato só terminaria em 2014. Resolvido o conflito, Bruma foi anunciado oficialmente, em Setembro de 2013, como contratado pelo Galatasaray SK da Turquia, com um vínculo de cinco anos, por 10 milhões de euros e mais 3 milhões por objectivos. 
Desde o primeiro jogo, conquistou o apreço dos adeptos turcos. Lesionou-se em Janeiro de 2014, com uma rotura de ligamentos, tendo estado sem jogar durante cinco meses. Foi emprestado ao Real Sociedad de Espanha, na temporada 2015/16. Finda a época, regressou ao Galatasaray, fazendo já parte dos jogos de preparação para a época seguinte, nos quais marcou seis golos. O clube turco resolveu então conservá-lo nas suas fileiras, apesar do interesse demonstrado pelo PSV Eindhoven.
Reconquistou facilmente o seu lugar na equipa. Do seu palmarés, fazem parte o título de Campeão Turco em 2014/15 e a Super Taça da Turquia em 2016.
Integrou as categorias de base da Selecção de Portugal. Foi convocado pela primeira vez para a Selecção Principal em Outubro de 2013, disputando a partida contra o Luxemburgo, nas eliminatórias dos Mundiais de 2014.

domingo, 23 de outubro de 2016

VIOLÊNCIA (quadras)

Formatação de Fátima de Souza (Bahia)

23 DE OUTUBRO - ROBERT TRUJILLO

EFEMÉRIDERobert Trujillo, de seu verdadeiro nome Roberto Agustin Miguel Santiago Samuel Trujillo Veracruz, baixista norte-americano, conhecido mundialmente pelas suas actuações na banda Metallica, nasceu em Santa Mónica no dia 23 de Outubro de 1964.
Anteriormente, tocou em várias bandas (Suicidal Tendencies, Infectious Grooves e Ozzy Osbourne, entre outras), até ir para o Metallica, em 2003. A audição que o fez entrar para este grupo pode ser vista no DVD “Some Kind of Monster”. Os integrantes do Metallica mostraram-se de tal modo impressionados com a sua apresentação e habilidade, que ele foi contratado, quase de imediato, recebendo um milhão de dólares.
A mãe de Trujillo emigrara do México e o pai tocava flamengo. Ainda criança, Roberto tentava imitar o progenitor, mas conseguia-o mais facilmente utilizando um baixo em vez da guitarra. Estudou na Culver City High School.
A carreira de Trujillo começou quando ele conheceu Mike Muir e Rocky George da banda Suicidal Tendencies. Mostrando que sabia dançar e que tinha bom domínio do contrabaixo, tocou com o grupo durante um período considerável, a partir de 1989.
Na década de 1990, Muir e Trujillo começaram a tocar o funk rock, com a banda Infectious Grooves. Robert foi baixista do grupo durante vários anos até se juntar aos Ozzy Osbourne. Aqui permaneceu até 2003, quando ingressou na famosa banda de thrash metal, Metallica.
Robert costuma tocar mais frequentemente um baixo de 5 cordas, em especial um modelo com acabamento de prata e decalques de azul flamejante, cujo corpo foi pintado por sua mulher. Em 2010, passou a usar também outros modelos, alguns com a sua ‘assinatura’, como o Streamer Robert Trujillo, em versões de 4 e 5 cordas.
Robert Trujillo é casado com a artista Chloé Barthélémy, uma parisiense, com quem tem dois filhos.

sábado, 22 de outubro de 2016

22 DE OUTUBRO - GIOVANNI MARTINELLI

EFEMÉRIDEGiovanni Martinelli, tenor italiano, nasceu em Montagnana no dia 22 de Outubro de 1885. Morreu em Nova Iorque, em 2 de Fevereiro de 1969. Foi um dos mais famosos tenores do século XX, tendo tido uma longa carreira na Metropolitan Opera em Nova Iorque.
Depois de servir como clarinetista numa banda militar, Martinelli estudou com Giuseppe Mandolini em Milão e estreou-se profissionalmente no Teatro Dal Verme, em 1910, com “Stabat Mater” de Rossini. O papel de Dick Johnson em “La Fanciulla del West” foi depois a chave para o seu sucesso no futuro.  
Actuou em Roma, dirigido por Toscanini, seguindo-se Brescia, Nápoles e Génova, tudo em 1911. No ano seguinte, cantou na Ópera de Monte-Carlo e no Scala de Milão.
A sua estreia na Royal Opera House, conhecida por Covent Garden, aconteceu com o papel de Cavaradossi, na ópera “Tosca”, em 1913. No mesmo ano, cantou nos Estados Unidos, em Filadélfia. Em Abril de 1913, fez a primeira representação mundial de “Panurge” de Jules Massenet, no Théâtre de la Gaîté em Paris.
Apresentou-se pela primeira vez na Metropolitan Opera em Novembro de 1913, como Rodolfo, em “La Bohème”. Continuou a ser o principal cantor da companhia durante 32 temporadas, cantando 926 vezes em 36 papéis diferentes, na maioria deles como Radamés em “Aida”, Otello da ópera homónima, Manrico em “Il Trovatore”, Don Carlo em “La Forza del Destino”, Calaf em “Turandot” e Dick Johnson em “La Fanciulla del West”. Actuou também em L'Africaine”, “Norma”, “Pagliacci”, “Guiglelmo Tell”, “La Juive”, “La Gioconda” e “Cármen”, entre muitas outras óperas.
Apresentou-se igualmente em Boston, São Francisco e Chicago. Em 1937, voltou a Londres para cantar no Covent Garden, numa aclamada representação de “Otello” e em “Turandot”.
Reformou-se em 1950, mas ainda foi convidado para uma apresentação especial em Seattle, aos 82 anos de idade, como Imperador Altoum em “Turandot”.
Martinelli fez numerosas gravações, algumas ao vivo, incluindo – em 1935 – a “Missa Solemnis” de Beethoven, com Arturo Toscanini e a Filarmónica de Nova Iorque, e – em 1939 – “Simon Boccanegra” de Verdi, na Metropolitan Opera.

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

GIOVANNI MARTINELLI - "Torna a Surriento"


21 DE OUTUBRO - EDNA PURVIANCE

EFEMÉRIDE – Olga Edna Purviance, actriz norte-americana do cinema mudo, nasceu em Paradise Valley no dia 21 de Outubro de 1895. Morreu em Hollywood, em 13 de Janeiro de 1958.
Em 1913, ingressou na Universidade de Economia de São Francisco. Em 1915, Chaplin encontrou-a no Tate's Café e ofereceu-lhe um papel no seu próximo filme, “A Night Out”, se bem que a tivesse achado demasiado séria para um papel cómico. Edna viria na ser parceira de Charles Chaplin em mais filmes do que qualquer outra actriz.
Nos anos seguintes, protagonizou cerca de 35 filmes de Chaplin, incluindo sucessos como “O Vagabundo” (1915), “O Imigrante” (1917), “Carlitos Guarda-Nocturno” (1917), “O Garoto” (1921) e “Os Clássicos Vadios” (1921).
Ligados por uma sólida amizade, Chaplin remunerou-a até ao fim da vida. As suas duas últimas interpretações tiveram lugar nos filmes “Monsieur Verdoux” (1947) e “Luzes da Ribalta” (1952).
Foi casada com John P. Squires, um piloto da companhia aérea Pan American, de 1938 até 1945, ano em ele morreu. Edna faleceu vítima de cancro na garganta, aos 62 anos de idade. Foi sepultada no cemitério Grand View Memorial Park, em Glendale, na Califórnia.

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

NANA MOUSKOURI - "LIBERTAD"

20 DE OUTUBRO - DANNY BOYLE

EFEMÉRIDEDanny Boyle, realizador e produtor britânico, nasceu em Radcliffe no dia 20 de Outubro de 1956. Conquistou um Oscar, um BAFTA e um Globo de Ouro, com o filme “Slumdog Millionaire”.
Oriundo de uma família irlandesa de operários católicos, estudou no Thornleigh Salesian College, em Bolton. Iniciou-se no teatro, na Join Stock Theatre Company, onde esteve até 1982. Foi em seguida director-adjunto da Royal Court Theatre Company (1985).
Em 1987, dirigiu vários telefilmes. Nos anos 1990, realizou diversos episódios de séries para a televisão inglesa. Durante as filmagens de uma delas, para a BBC World, conheceu o cenarista John Hodge.
Decidiu produzir o seu primeiro filme, na companhia de John Hodge e de Andrew MacDonald. Esta longa-metragem, intitulada “Pequenos assassínios entre amigos”, foi estreada em 1994, sendo aclamada pela crítica. O filme acabou por ser o começo de uma trilogia, “Bag of Money Trilogy”, que descreve a forma como dinheiro pode conduzir os homens a destruírem-se entre si.
Em 1996, prosseguem com o drama “Trainspotting”, que obtém um enorme sucesso comercial (70 milhões de dólares), depois de ser apresentado no Festival de Cannes. Concluem a trilogia em Hollywood, com “Uma vida menos ordinária”.
Danny filmou seguidamente algumas curtas-metragens e produziu uma película com Leonardo DiCaprio.
Em 2001, voltou ao seu país para investir num novo género de filme: “28 dias mais tarde”, um thriller que conta a história de uma pandemia que põe toda a Inglaterra de quarentena. O filme tem grande sucesso junto do público e da crítica. Realiza depois, em 2002, “Millions” – uma comédia dramática, representada sobretudo por crianças.
Em Abril de 2007, lançou-se num projecto mais ambicioso, realizando o seu primeiro filme de ficção científica – “Sunshine”, que relata o périplo de uma equipa internacional de astronautas. A película foi apreciada pela crítica, mas não constituiu um êxito comercial.
No fim de 2008, é estreado “Slumdog Millionaire”, filme de aventuras espectaculares e emotivas, protagonizado por jovens actores indianos quase desconhecidos. Na realização, Boyle foi coadjuvado pela realizadora indiana Loveleen Tandan. Este arriscado projecto teve grande sucesso a nível mundial e foi recompensado com oito Oscars, entre os quais o de Melhor Realizador e de Melhor Filme. Dada a sua notoriedade, convidaram Boyle para presidir ao júri do 12º Festival Internacional de Xangai.
Em 2011, fez “127 Hours”, que foi nomeado para diversos prémios, incluindo os Oscars de Melhor Filme, de Melhor Actor e de Melhor Guião Adaptado.
No ano seguinte, recebeu mais uma consagração, ao ser escolhido para organizar a cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos de Londres. Foi um espectáculo audacioso, onde ele conseguiu mesclar a grandiosidade, o humor e a solenidade.
Em 2014, foi-lhe proposto um novo projecto ambicioso – um filme biográfico de Steve Jobs, o fundador da Apple. O filme “Steve Jobs” foi estreado nos Estados Unidos em Outubro de 2015 e na Europa a partir de 2016.

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

19 DE OUTUBRO - PHILIP PULLMAN

EFEMÉRIDEPhilip Pullman, escritor inglês, nasceu em Norwich no dia 19 de Outubro de 1946. É autor da aclamada série literária “Fronteiras do Universo” (no original, “His Dark Materials”), composta pelos livros “A Bússola de Ouro”, “A Faca Subtil” e “A Luneta Âmbar”, vencedora de inúmeros prémios literários, tanto no Reino Unido como no estrangeiro. Em 2008, o jornal “The Times” elegeu Pullman como um dos Maiores Escritores Britânicos desde 1945.
Filho de uma dona de casa e de um piloto da Real Força Aérea Britânica, desde a infância viajou pelo mundo inteiro, pois o pai (entretanto falecido num acidente) e depois o padrasto eram membros da Força Aérea. Passou parte da sua meninice na Austrália, onde descobriu as histórias de banda desenhada, que desde cedo começou a ler, em particular do Super-homem e do Batman.
Aos onze anos, quando voltou para a Grã-Bretanha, passou a viver no Norte de Gales. Era uma época em que as crianças podiam passear em qualquer lugar, jogar nas ruas e brincar nas colinas Ele aproveitou-se bem disso e, posteriormente, retrataria o facto em alguns dos seus livros. A sua professora de inglês exerceu grande influência sobre Pullman e ele, mais tarde, não deixaria de lhe enviar exemplares dos seus livros como agradecimento.
Após finalizar os estudos em 1968, foi professor em várias escolas para crianças. Tornou-se depois conferencista a tempo parcial, na Universidade de Westminster, em Oxford. Deixou entretanto o ensino, para se dedicar inteiramente à vida literária.  
O primeiro livro de Pullman, “The Haunted Storm”, foi publicado em 1972 e ganhou o New English Library's Award para jovens escritores.
Em 1985, lançou a série “Sally Lockhart Quartet”. O primeiro livro, “The Ruby in the Smoke”, foi seguido por “The Shadow in the North”, editado em 1986. O terceiro, “The Tiger in the Well”, foi publicado em 1990 e o quarto e último volume, “The Tin Princess”, chegou às livrarias em 1994.
Em 1995, com o lançamento do primeiro livro da série “His Dark Materials”, Pullman alcançou grande prestígio junto da crítica britânica. O livro foi tão bem recebido que venceu o Guardian Children's Fiction Prize. Em 1997, foi publicado o segundo livro da série, que conquistou o prémio da American Library Association de melhor livro para jovens adultos. Em 2000, “The Amber Spyglass” foi lançado como o último livro desta série.
Nos anos seguintes, publicou “Lyra's Oxford” (2003) e “Once Upon a Time in the North” (2008). Dedicou-se também a outros trabalhos, como o livro “The Good Man Jesus and the Scoundrel Christ”, lançado em 2010, e “Fairy Tales from the Brothers Grimm: A New English Version”, publicado em 2012.
Os livros de Philip Pullman são dedicados na maioria à juventude, mas escreve igualmente para adultos. Tem feito adaptações teatrais de algumas obras literárias célebres.

terça-feira, 18 de outubro de 2016

CHICO BUARQUE - "João e Maria"

18 DE OUTUBRO - TIBOR DÉRY

EFEMÉRIDETibor Déry, escritor, tradutor e guionista de cinema e televisão húngaro, nasceu em Budapeste no dia 18 de Outubro de 1894. Morreu na mesma cidade em 18 de Agosto de 1977.
Tendo por origem uma família abastada judaica, Déry completou os seus estudos entre 1911 e 1912, indo morar na Suíça. De volta à Hungria, trabalhou durante cinco anos numa empresa de madeiras de um tio. Em 1917, publicou uma novela (“Lia”) no jornal literário “Nyugat”.
Aderiu, na juventude, aos movimentos comunistas que apareceram na Europa após a Revolução Russa, tornando-se membro activo do Partido Comunista Húngaro em 1918. No ano seguinte, participou na tentativa de Béla Kun para estabelecer a República Soviética da Hungria. Devido à sua colaboração com o governo de Kun (que durou 133 dias), acabou por se exilar depois do almirante Miklós Horthy assumir o poder.
Déry partiu para Viena e ali passou a colaborar no “Bécsi Magyar Újság”, jornal húngaro de Viena. Posteriormente, partiu para França, ficando a residir em Paris, onde foi comerciante e professor de línguas. Voltou à Hungria clandestinamente, em 1926, publicando alguns artigos no jornal “Dokumentum”.
Antes de regressar definitivamente à Hungria em 1935, viveu em diversos países europeus como Áustria, França e Alemanha. Ao voltar, uniu-se a György Vertes, escrevendo e traduzindo artigos para o jornal comunista “Gondolat” (“Pensamento”).
Durante o governo de Horthy, foi preso inúmeras vezes. Numa delas, em 1938, foi condenado a dois meses de reclusão por ter traduzido “Retour de l'U.R.S.S.” de André Gide. Foi durante este período que escreveu o seu grande romance “Befejezetlen Mondat” (“Sentença Inacabada”), um épico de 1 200 páginas onde narra a vida de um jovem aristocrata que toma contacto com a classe operária de Budapeste durante uma greve.
Com o fim da Segunda Guerra Mundial, a Hungria tornou-se um Estado comunista sob influência de Moscovo. Em 1947, Tibor Déry passou a ser editor do jornal “Csillag” (“Estrela”). No ano seguinte, foi laureado com o Prémio Kossuth, o galardão de artes mais importante da Hungria.
No início dos anos 1950, foi criticado oficialmente pelo Estado, por «uma representação imprópria da classe operária», na qual – segundo as autoridades – «havia sinais da moral burguesa». Em 1953, foi expulso do Partido Comunista.
Em 1954, apoiou publicamente as reformas do novo primeiro-ministro Nagy Imre, publicando uma carta aberta. Foi um dos intelectuais que, em 1955, assinaram um memorando contra os efeitos do estalinismo nas políticas culturais.
Em 1956, foi porta-voz de uma rebelião, ao lado de Georg Lukács e Gyula Háy. No mesmo ano, escreveu uma das suas obras-primas, “Niki, Egy kutya története” (“Niki, a história de um cão), uma fábula em que critica a opressão e a repressão arbitrária promovida pelo «estalinismo húngaro». Por causa da participação na rebelião, foi sentenciado com 9 anos de prisão, sendo libertado em 1960, mas proibido de publicar os seus trabalhos até 1962. As autoridades culturais estavam dispostas a anular esta restrição se Déry se dispusesse a retratar-se. Foi o que ele fez, numa curta história intitulada “Extractos de conta”, incluída no primeiro volume dos seus trabalhos posteriores.
Escreveu, nos anos 1960 e 1970, diversas novelas e romances, além de guiões para filmes e para séries de TV. Traduziu para húngaro várias obras de Rudyard Kipling e de William Golding. Faleceu dois meses antes de completar 83 anos de idade. 

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

17 DE OUTUBRO - SARA MOREIRA

EFEMÉRIDESara Isabel Fonseca Moreira, atleta portuguesa, especialista nos 3 000 metros obstáculos e em provas de fundo, nasceu em Roriz, Santo Tirso, no dia 17 de Outubro de 1985.
De 2004 até 2007, representou o Grupo Desportivo do Estreito. Em 2008/10 correu pelo Maratona Clube de Portugal. Actualmente, representa o Sporting CP.
No Campeonato do Mundo de 2007 em Osaka, no Japão, participou na prova de 3 000 m obstáculos, sendo apurada para a final, com um 4º lugar perto do seu recorde pessoal. Ficou depois em 13ª na final, após ter sofrido uma queda que a prejudicou.
Em 2008, nos Jogos Olímpicos de Pequim, não conseguiu a qualificação para a final. Ganhou a medalha de prata nos 3 000 metros do Campeonato Europeu de Pista Coberta de 2009, disputado em Turim.
Bateu o seu recorde pessoal na eliminatória do Campeonato Mundial de 2009, em Berlim, mas não se qualificou para a final.
Nas Universíadas de 2009, em Belgrado, conquistou duas medalhas de ouro, uma nos 3 000 m obstáculos e outra nos 5 000 metros. Em Agosto de 2010, no último dia do Campeonato da Europa, na prova de 5000 metros, ganhou a medalha de bronze com 14.54,71 – seu novo recorde pessoal.
Em 2010, nos Europeus de Barcelona, conquistou a medalha de prata nos 5 000 metros.
Em 2011, sendo acusada de doping, promoveu uma conferência de imprensa na sede da Federação Portuguesa de Atletismo, onde se considerou inocente, apresentando provas laboratoriais. Não evitou a condenação oficial de seis meses, decidida pela Federação Internacional, por ter tomado um suplemento desportivo contaminado. Em Março de 2012, depois de falhar a presença no Mundial de pista coberta, regressou às competições na Meia Maratona de Lisboa.
Entretanto, foi medalhada nas edições de 2010, 2011 e 2012 da Taça da Europa de 10 mil metros. Em 2013, sagrou-se campeã de pista coberta nos 3 000 metros, durante os Europeus de Gotemburgo.
Em Novembro de 2014, em Nova Iorque, na sua primeira participação numa maratona, terminou em 3º lugar com 2 h 26 m 00 s, atrás de duas quenianas. A vencedora fez 2 h 25 m 07 s.
Em 2016, nos Campeonatos Europeus de Amesterdão, venceu a meia maratona, individualmente e por equipas. Em Julho, foi nomeada Comendadora da Ordem do Mérito.

domingo, 16 de outubro de 2016

16 DE OUTUBRO - GEORGE MARSHALL

EFEMÉRIDEGeorge Catlett Marshall Jr., general norte-americano, combatente nas duas Guerras Mundiais, célebre por ser autor do Plano Marshall, de ajuda à reconstrução da Europa devastada após a guerra de 1939/45, morreu em Washington no dia 16 de Outubro de 1959. Nascera em Uniontown, em 31 de Dezembro de 1880. Foi Secretário de Estado e da Defesa dos Estados Unidos. Recebeu o Prémio Nobel da Paz em 1953.
Depois de finalizar o curso militar (1901), esteve nas Filipinas em 1902/03. Regressou depois aos Estados Unidos (Fort Reno, Oklahoma).
Em 1906, retomou os estudos militares na Escola de Cavalaria e Infantaria de Leavenworth (Kansas). Tendo em conta os seus excelentes resultados, foi seleccionado – em 1908 – para frequentar o Army Staff College, ficando posteriormente como instrutor até 1911.
Foi depois colocado, sucessivamente, em Nova Iorque, Manila (Filipinas), Califórnia e, novamente, Nova Iorque. 
Durante a Primeira Guerra Mundial, planificou treinos e operações diversas. Em 1917, foi colocado em França, onde se ocupou da planificação das operações da Primeira Divisão de Infantaria. Em 1918, passou para o Quartel-General do Exército, a partir do qual coordenou uma das operações mais importantes da guerra e que permitiu a derrota do exército alemão na frente ocidental – a Ofensiva Meuse-Argonne.
A partir de 1920, teve a tarefa de reformular os treinos do exército e, também, o ensino de novas e modernas técnicas militares.
De 1924 a 1927, foi enviado para a China para comandar o 15º Regimento de Infantaria em Tianjin. Regressou aos EUA como instrutor no Army War College em Washington.
Em 1934, foi nomeado coronel e, em 1936, general. Em 1939, o presidente Roosevelt nomeou-o chefe do Estado-Maior do Departamento de Guerra, cargo que desempenhou até 1945.
Durante a Segunda Guerra Mundial, Marshall reordenou a estrutura do exército e da força aérea, dotando-os de uma visão mais moderna e preparando-os para entrar em combate. Desenhou a estratégia central de todas as operações aliadas na Europa, escolheu Eisenhower para comandante supremo do exército aliado na Europa e idealizou a Operação Overlord, que serviu para a invasão da Normandia. Winston Churchill chamou-o «organizador da vitória aliada» e a revista “Time” nomeou-o Homem do Ano em 1944. Marshall, após a vitória dos aliados, reformou-se do exército.
Depois da Segunda Guerra Mundial, foi enviado à China para negociar uma trégua e tentar a constituição de um governo de coligação entre nacionalistas e comunistas, que lutavam numa guerra civil. A sua mediação não surtiu efeito e, em 1947, deixou a China para voltar aos Estados Unidos.
Nesse mesmo ano, foi nomeado Secretario de Estado, preparando desde o primeiro momento um plano para a recuperação económica europeia, uma economia que tinha ficado devastada em consequência da Segunda Guerra Mundial. Este plano, conhecido como Plano Marshall, ajudou economicamente 16 países europeus, todos eles aliados, e fez com que a revista “Time” o voltasse a nomear Homem do Ano em 1948. Como Secretario de Estado, opôs-se ao reconhecimento do Estado de Israel, contra a opinião do presidente Truman. Este confronto provocou a sua demissão em 1949, sendo nomeado em 1950 Secretario da Defesa, posto a que renunciou em 1951, depois de ter diversas disputas com o senador Joseph McCarthy. Posteriormente, foi nomeado presidente da secção norte-americana da Cruz Vermelha.
Em 1953, foi galardoado com o Prémio Nobel da Paz «pela sua ajuda à reconstrução europeia depois da Segunda Guerra Mundial». Faleceu seis anos depois, encontrando-se sepultado no Cemitério Nacional de Arlington.

sábado, 15 de outubro de 2016

15 DE OUTUBRO - SANDRA KIM

EFEMÉRIDESandra Kim, de seu verdadeiro nome Sandra Caldarone, cantora belga que venceu o Festival Eurovisão da Canção em 1986, nasceu em Montegnée (perto de Liège) no dia 15 de Outubro de 1972.
Descendente de italianos, canta desde os sete anos e frequentou cursos de Jazz, de Teatro e de Elocução.
Detém o recorde da mais jovem vencedora do Festival Eurovisão da Canção, tendo na ocasião apenas 13 anos. Nesse ano, não havia ainda limite mínimo de idade para a participação no festival. Desde 1990, só podem participar cantores com mais de 16 anos.
Kim tem gravado ao longo da sua carreira canções em várias línguas, principalmente em francês, inglês, holandês e italiano.
Ela é também a intérprete original do genérico do desenho animado “Il était une fois la vie” da autoria de Albert Barillé.
Tem uma estátua de cera com a sua figura no Historium de Bruxelles. Esteve sem gravar nenhum álbum entre 1998 e 2011, ano em que gravou “Make-Up”, um disco de pop rock.

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

14 DE OUTUBRO - RAY EWRY

EFEMÉRIDERay Ewry, de seu nome completo Raymond Clarence Ewry, campeão olímpico norte-americano no começo do século XX, nasceu em Lafayette (Indiana) no dia 14 de Outubro de 1873. Morreu em Long Island (Nova Iorque), em 29 de Setembro de 1937. Conquistou oito medalhas de ouro nas Olimpíadas de 1900, 1904 e 1908, depois de ter contraído poliomielite na infância.
Ray teve de andar de cadeira de rodas por causa da doença e a família acreditava que ele ficaria paralítico para toda a vida. Entretanto, através de constante tratamento e de exercícios, conseguiu superar a doença e readquirir plenamente os movimentos.
Após se licenciar em Engenharia na Universidade de Purdue, passou a integrar a equipa de atletismo do New York Athletic Club, famoso pelo talento dos seus atletas. Ali se especializou em provas olímpicas que hoje já não existem, como o salto em altura, o salto em distância e o triplo salto, todos sem corrida. Eram provas iguais às de hoje, só que o atleta não podia correr nem tomar balanço, partindo de uma posição completamente estática, com os dois pés no chão e usando apenas o próprio impulso do corpo. Nestas provas, Ewry provaria ser o melhor do mundo durante quase uma década, sem ter rivais ao seu nível.
Nas Olimpíadas de Paris (1900), ganhou as medalhas de ouro das três provas, realizadas todas no mesmo dia. Nos Jogos de 1904, em St. Louis, defendeu os seus títulos com sucesso, conquistando novamente três medalhas de ouro.
Após estes últimos Jogos, o triplo salto sem corrida foi eliminado do programa olímpico, mas Ewry continuou a dominar os dois saltos restantes. Vencendo novamente nos Jogos intercalares não oficiais de 1906, voltou a dominar nos Jogos de Londres em 1908, conquistando mais duas medalhas de ouro para a sua ‘colecção olímpica’, num total de oito. Se forem consideradas as duas medalhas conquistadas nos Jogos de 1906, não reconhecidos pelo COI apesar de terem sido organizados por ele, Ray Ewry é um dos maiores campeões olímpicos de todos os tempos em provas individuais.
Como o fim destas modalidades no atletismo olímpico em 1912, Ewry abandonou a carreira no começo da década de 1910 para se dedicar à engenharia. As suas marcas permaneceram muitos anos como recordes, sendo que uma delas – o salto em distância sem corrida (3,47m) – continuou a ser um recorde mundial imbatível até à sua extinção por completo nos anos 1930.

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

13 DE OUTUBRO - CHRISTOPHE

EFEMÉRTIDEChristophe, de seu verdadeiro nome Daniel Georges Jacques Bevilacqua, cantor francês, nasceu em Juvisy-sur-Orge no dia 13 de Outubro de 1945.
Édith Piaf e Gilbert Bécaud foram os seis primeiros ídolos, em breve suplantados pelos blues, uma verdadeira revelação na sua adolescência. Rebelde na vida escolar, durante a qual se aborrecia, passou por diversos pensionatos e liceus, até aos 16 anos de idade.
No fim dos anos 1950, como acontecia a muitos jovens da sua geração, os seus “heróis” eram Elvis Presley e James Dean. Apaixonou-se então pelo rock e aprendeu a tocar guitarra e harmónica.
Em 1961, fundou um grupo amador chamado Danny Baby et les Hooligans, sendo ‘Danny’ uma referência ao seu primeiro nome.
Depois de cumprir o serviço militar, começou uma carreira a solo. Em 1963, gravou o primeiro single – “Reviens Sophie”.
Em 1965, a sua balada “Aline” atingiu o milhão de exemplares vendidos e trouxe-lhe grande sucesso. Outros êxitos se seguiram, como “Les Marionnettes” e “J'ai entendu la mer”.
Entontecido com a glória, passou a viver a 100 à hora, na verdadeira acepção da palavra. Os excessos de velocidade, ao volante dos seus Ferrari e Lamborghini, passaram a fazer parte da sua vida. Em 1968, chegou mesmo a participar numa corrida, como piloto. Interessava-se também pelas grandes viaturas americanas, como os Cadillac.
Manteve uma relação amorosa com a cantora Michèle Torr, da qual nasceu um filho (1967). Quatro anos depois, casou-se com Véronique Kan, com quem teve uma filha.
No princípio dos anos 1970, a sua popularidade fraquejou durante um curto período de tempo. Em 1971, Francis Dreyfus criou a etiqueta Les Disques Motors, onde foram editados muitos dos álbuns de Christophe. Recuperou a popularidade logo em 1972, com várias canções. Passou a beneficiar da colaboração do então jovem letrista Jean Michel Jarre, com o qual gravou o álbum “Les Paradis perdus” (1973) que se colocou nos Tops de vendas, ao lado ou à frente de cantores como Serge Gainsbourg, Michel Polnareff e Jacques Dutronc.
Actuou no emblemático Olympia em dois espectáculos, com bilhetes esgotados, já bastante diferente do seu estilo dos anos 1960. Num momento de depressão, mergulhou na droga, mas durante pouco tempo.
Em 1978, publicou o álbum “Le Beau Bizarre” que foi aplaudido pela crítica. Este foi verdadeiramente o seu primeiro disco de rock. O jornal “Libération” colocou-o mesmo entre os 100 Melhores Álbuns da História do Rock 'n' roll.
Em 1980, a pedido da esposa Véronique, reeditou o singleAline” que, para surpresa geral, atingiu os três milhões e meio de vendas. 
Nos anos 1980, dedicou-se a debater, em programas de televisão, o flagelo da fome no mundo, mostrando outra faceta da sua personalidade.
O seu ritmo de trabalho diminuiu. Passou a consagrar-se, essencialmente, às suas colecções de juke-boxes, de discos raros e de filmes famosos. O seu lado de cinéfilo era conhecido de Henri Langlois, da Cinemateca Francesa, a quem Christophe emprestou uma cópia original de “La Strada” de Federico Fellini.
Mudou de editora em 1995, passando para a Epic, uma subsidiária da Sony.
No fim dos anos 1990, começou a interessar-se sobremaneira pelas novas tecnologias e pelos sintetizadores, Passou longos meses a trabalhar vozes, sons e músicas, num estúdio que instalou em sua casa. Anunciou então o seu regresso aos palcos, o que não acontecia há cerca de 26 anos. Deu uma série de concertos magníficos no Olympia, contando com a colaboração de especialistas de iluminação teatral e de dança. Cantava sentado num pequeno banco, com os holofotes focados sobre ele, enquanto actuavam dançarinos e várias imagens de rock eram projectadas. O disco “Christophe Live à l'Olympia”, publicado no ano seguinte, e um DVD testemunham a magia reencontrada.
Com artistas convidados, actuou em 2004 no Élysée Montmartre e, no ano seguinte, na Opéra-Comique. Até ao fim de 2009, Christophe tinha já vendido perto de seis milhões de álbuns unicamente em França.
Já nos anos 2010, fez longas tournées que o levaram a várias cidades francesas, à Suíça, Bélgica e Líbano. Em Julho de 2011, actuou na sua terra natal, onde cantou durante cerca de 4 horas. Em Outubro, voltou ao Olympia.
Em Dezembro de 2014, foi feito cavaleiro da Legião de Honra francesa. Christophe lançou, em Abril de 2016, o álbum “Les Vestiges du chaos”, que foi recebido com entusiasmo tanto pela crítica como pelo público. Completa hoje 71 anos de idade.

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

12 DE OUTUBRO - ANDREI MUREȘANU

EFEMÉRIDEAndrei Mureşanu, poeta e revolucionário romeno, morreu em Braşov no dia 12 de Outubro de 1863. Nascera em Bistriţa, em 16 de Novembro de 1816.  
Oriundo de uma família de camponeses de Bistriţa, estudou Filosofia e Teologia em Blaj, a partir de 1838, e veio a ser professor em Braşov. Publicou as suas primeiras poesias na revista “Foaia pentru Minte, Inimă şi Literatură”.
Foi uma das figuras mais importantes da Revolução de 1848, participando na delegação que representou Braşov na assembleia de Blaj em Maio de 1848. O seu poema “Un răsunet” tornou-se de imediato o hino dos revolucionários (com música de Anton Pann) e, posteriormente, foi renomeado para “Deşteaptă-te, române!”. Nicolae Bălcescu afirmou que a canção era «a Marselhesa dos romenos», pela sua capacidade de mobilizar o povo para a luta. O poema tornou-se o hino da Roménia em 1990.
Após a revolução, Mureşanu trabalhou como tradutor em Sibiu e algumas das suas obras nacionalistas foram publicadas na revista “Telegraful Român”. Em 1862, um ano antes do seu falecimento, os seus poemas foram reunidos e editados num único volume.

terça-feira, 11 de outubro de 2016

11 DE OUTUBRO - MARÍA DE VILLOTA

EFEMÉRIDEMaría de Villota Comba, piloto de automobilismo espanhola, morreu em Sevilha no dia 11 de Outubro de 2013. Nascera em Madrid, em 13 de Janeiro de 1980. Era filha do ex-piloto de Fórmula 1 Emilio de Villota e irmã de Emilio de Villota Jr., que competiu na Fórmula Palmer Audi.
Correu no World Touring Car Championship e na ADAC Procar Series. Em Agosto de 2009, assinou um contrato com o Club Atlético de Madrid para correr o resto da temporada de 2009 na Superleague Fórmula. Em Agosto de 2011, efectuou treinos para a Fórmula 1 no circuito Paul Ricard, em França, integrada na equipa Lotus Renault GP.
No dia 3 de Julho de 2012, sofreu um grave acidente durante os testes aerodinâmicos realizados no aeroporto de Duxford, no leste de Londres. De acordo com testemunhos visuais, bateu fortemente contra um camião que estava parado na pista e feriu-se no rosto e na cabeça. No final da tarde, teve de submeter-se a uma intervenção cirúrgica ao crânio, na qual perdeu o olho direito, assim como os sentidos do gosto e do olfacto.
Em 2013, foi nomeada para um cargo no Conselho Supremo do Real Automóvil Club de España, entidade vinculada à FIA e especializada em medidas de segurança e assistência a motoristas nas estradas.
No dia 6 de Março, o canal espanhol TV Antena 3 anunciou a contratação de Villota, como comentarista das provas de Fórmula 1. Foi anunciada ainda a sua participação nas sessões a serem exibidas antes de todas as corridas, chamadas “Safety Car”, para abordagem de temas relacionados com a segurança dos pilotos.
Na manhã de 11 de Outubro, foi encontrada morta num quarto de hotel pelos serviços de emergência. Ela deveria usar da palavra numa sessão para promover o seu livro “La vida es un regalo”, a realizar àquela hora em Sevilha Morreu enquanto dormia, vítima de sequelas neurológicas deixadas pelo grave acidente de 2012.

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

10 DE OUTUBRO - JOSÉ ALVALADE

EFEMÉRIDE José Alvalade, de seu verdadeiro nome José Alfredo Holtreman Roquette, fundador do Sporting CP juntamente com os irmãos Stromp, Henrique de Almeida Leite Júnior e os irmãos Gavazzo, nasceu em 10 de Outubro de 1885. Morreu em 19 de Outubro de 1918.
Tinha por origem uma família aristocrata cujo membro mais proeminente foi o seu avô materno Alfredo Augusto das Neves Holtreman, 1º visconde de Alvalade. Interessado pelo desporto desde jovem, José fazia parte de uma associação desportiva conhecida como Campo Grande Football Club. Apesar do nome, esta associação era particularmente activa na organização de festas e bailes.
Estudou Medicina no Harvard Institute of Medicine durante 3 anos, acabando por abdicar da profissão porque «era demasiado sensível para lidar com o sangue e com a morte».
Em Abril de 1906, declarou a intenção de criar um outro clube, só desportivo, com o apoio de vários membros de Campo Grande FC e com o dinheiro de seu avô.
Com o apoio financeiro e logístico do visconde de Alvalade, que foi o primeiro presidente, foi assim fundado o Sporting em 1 de Julho de 1906. José Alvalade era o sócio nº 1, sendo vice-presidente e responsável pelos desportos. Praticou também diversas modalidades desportivas. Em Junho de 1910, foi nomeado presidente, cargo que exerceu até Novembro de 1912. Dois anos depois, deixou a instituição por causa de desentendimentos com alguns membros da direcção.
Faleceu com apenas 33 anos, vítima da pneumónica, epidemia que grassou então no país. Em sua homenagem, foi dado o seu nome ao estádio do Sporting.

domingo, 9 de outubro de 2016

ROD STEWART - "Have You Ever Seen The Rain"

9 DE OUTUBRO - CHUCHO VALDÉS

EFEMÉRIDEChucho Valdés, de seu verdadeiro nome Dionisio Jesús Valdés Rodríguez, pianista cubano de jazz, nasceu em Quivicán no dia 9 de Outubro de 1941. O pai, Bebo Valdés, era também pianista e compositor.
A sua obra é uma mescla de jazz, música cubana e música clássica. Como o pai, está associado à corrente de jazz afro-cubano.
Em 1973, fundou o Irakere, que foi o primeiro grupo cubano a ganhar um Grammy Award (1988). Ao longo da sua carreira, publicou 31 álbuns, dos quais cinco receberam os Grammies e 14 foram nomeados para o mesmo prémio. 
Tem recebido várias distinções, de que se salientam os doutoramentos honoris causa na Universidade de Victoria (Canadá) e no Instituto Superior das Artes de Havana.
Estreou-se num cabaret chique do qual o pai era então director artístico, o Tropicalia, na capital cubana. «Era preciso saber fazer tudo», contou ele. «Acompanhar vedetas de passagem, como Sarah Vaughan, Nat King Cole e solistas de jazz; interpretar Manuel de Falla já num contexto clássico; e acabar com uma fantasia brasileira de Ary Barroso…».
Com o advento do regime castrista, ao contrário do pai, resolveu ficar em Cuba. Constituiu diferentes grupos, nomeadamente a Orquestra Cubana de Música Moderna. Desde há vários anos, tem um quarteto – os Afro-Cuban Messengers – cuja composição é continuamente renovada.
Em Outubro de 2006, Chucho Valdés foi nomeado Embaixador da Boa Vontade (ONU) para a alimentação e a agricultura (FAO).
Em 2009, juntou o seu piano à voz da cantora espanhola Concha Buika, num álbum intitulado “El Ultimo Trago”, homenagem à cantora mexicana Chavela Vargas, que morreria em 2012 com 93 anos.

sábado, 8 de outubro de 2016

8 DE OUTUBRO - CJ RAMONE

EFEMÉRIDEC. J. Ramone, de seu verdadeiro nome Christopher Joseph Ward, músico norte-americano, conhecido como baixista da banda de punk rock Ramones, nasceu no bairro Queens, em Nova Iorque, no dia 8 de Outubro de 1965.
Entrou no grupo em substituição de Dee Dee Ramone, após a gravação de “Brain Drain” (1989) e ali ficou até ao fim da banda em Agosto de 1996. Assim como o seu antecessor Dee Dee, CJ também actuou como vocalista em algumas músicas, vindo a gravar “Strengh to Endure”, “Cretin Family” e “Main Man”, entre outras. Além disso, ficou responsável por cantar todas as músicas interpretadas anteriormente pelo seu antecessor.
Mesmo em projectos posteriores, como as bandas Los Gusaños (1998) e Bad Chopper (2000), Christopher continuou a ser chamado CJ Ramone pelos seus fãs e pela crítica.
CJ Ramone contraiu matrimónio com a sobrinha de Marky Ramone, Chelsea, com quem teve dois filhos. Em 1999, foi diagnosticado autismo a um deles, o que o levou a participar numa campanha a favor da luta contra o autismo, em 2009.
Recebeu um convite para tocar no Metallica, mas teve que recusar devido à doença do filho. Está actualmente casado com Denise Barton Ward. Antes de se lançar na carreira musical, foi membro dos marines americanos. 

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

7 DE OUTUBRO - AMIRI BARAKA

EFEMÉRIDEAmiri Baraka, de seu verdadeiro nome Everett LeRoi Jones, escritor e crítico musical norte-americano, ligado à Geração Beat e autor de ensaios contra o racismo e o colonialismo, nasceu em Newark no dia 7 de Outubro de 1934. Morreu na mesma cidade em 9 de Janeiro de 2014.
Depois de ter estudado Filosofia e Religião nas Universidades de Rutgers, Columbia e Howard, sem todavia ter chegado a licenciar-se, ingressou em 1954 na US Air Force. Uma carta anónima denunciou as suas convicções comunistas e, consequentemente, recebeu uma punição por «violação do juramento militar», passando a trabalhar nas cozinhas. 
Deixou a vida militar e passou a frequentar Greenwich Village, o bairro boémio de Nova Iorque, onde descobriu o jazz e o movimento de poetas da Beat Generation, que viria a influenciar a sua obra literária.
Em 1958, fundou a editora Totem Press e casou-se com Hettie Jones, com quem co-editou até 1963 o magazine literário “Yugen”. Em 1960, esteve em Cuba, visita que fez dele uma pessoa mais engajada politicamente.
Baraka foi um dos poucos negros a integrar a caravana Beat promovida por Jack Kerouac e Allen Ginsberg, era vigiado pelo FBI e foi um precursor do hip-hop e do rap.
Depois do assassinato de Malcolm X, em 1965, afastou-se dos poetas Beat, deixou a mulher e foi viver no bairro negro nova-iorquino do Harlem, juntando-se ao movimento de nacionalismo negro.
Jones mudou o seu nome em 1967 para Imamu Amear Baraka, mudado mais tarde para Amiri Baraka quando se converteu ao Islão. No ano anterior, casara-se pela segunda vez e tornou-se professor da Universidade do Estado de São Francisco. Foi detido em 1968, em Newark, por porte de arma ilegal e resistência à autoridade, quando de uma manifestação realizada depois do assassínio de Martin Luther King. Condenado a 3 anos de prisão efectiva, foi depois absolvido no seguimento de um recurso. 
A título de professor convidado, ensinou Cultura e Literatura Afro-americana na Universidade de Columbia. Foi depois professor a tempo inteiro na Universidade Rutgers. Em 2001, tornou-se membro da Academia Americana das Artes e das Letras.
Autor de diversas obras, que vão da poesia ao teatro, passando por contos, ensaios e historiografia, participou em diversos movimentos sociais dos negros norte-americanos.
Internado no Newark Beth Israel Medical Center desde Dezembro de 2013, faleceu no mês seguinte, ao 79 anos.

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

6 DE OUTUBRO - ANTONIO CISNEROS

EFEMÉRIDEAntonio Alfonso Cisneros Campoy, poeta peruano, morreu em Lima no dia 6 de Outubro de 2012. Nascera na mesma cidade em 27 de Dezembro de 1942.  
Fez os seus estudos superiores na Universidade Nacional Principal de San Marcos e na Universidade Pontifical Católica do Peru em Lima, entre 1960 e 1965. Doutorou-se em Letras em 1974.
Pertenceu à chamada Geração de 60, conjunto de artistas que marcaram a literatura peruana na década de 1960, sendo considerado o mais conhecido poeta deste grupo. Foi também tradutor e jornalista. Leccionou em várias universidades do Peru, Estados Unidos e Europa.
Foi animador de emissões de rádio e televisão e escreveu numerosos artigos em diversas revistas. Dirigiu oi Centro Cultural Inca Garcilaso, por conta do Ministério Peruano dos Negócios Estrangeiros.
A poesia de Cisneros caracteriza-se por frequentes referências ao seu tempo, tanto no que respeita à literatura como a outros domínios. Os seus poemas estão traduzidos em catorze línguas, entre as quais o chinês, o grego e o japonês.
Ganhou vários prémios, de que se salientam: o Prémio Nacional de Poesia do Peru (1965), o Prémio Casa de las Américas (1968), o Prémio Internacional de Cultura Gabriela Mistral (2000), o Prémio Ibero-americano de Letras José Donoso (2004) e o Prémio Ibero-americano de Poesia Pablo Neruda (2010). Foi condecorado com as Ordens do Mérito Cultural da Hungria (1990) e das Artes e das Letras de França (2004).

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...