sexta-feira, 30 de agosto de 2013

30 DE AGOSTO - ELYSIO DE MOURA


 
EFEMÉRIDE – Elysio de Azevedo e Moura, médico e professor psiquiatra português, primeiro bastonário da Ordem dos Médicos, nasceu em Braga no dia 30 de Agosto de 1877. Morreu em Coimbra, em 18 de Junho de 1977. Notabilizou-se no ensino e investigação de Psiquiatria e Neurologia, tendo contribuído, no início da República, para a manutenção do ensino de Medicina na Universidade de Coimbra, que estava em risco de passar para as novas universidades de Lisboa e Porto.
Em Outubro de 1892, apenas com quinze anos de idade, inscreveu-se na Universidade de Coimbra, como aluno de Matemática e Filosofia. Em Julho de 1895, obteve o grau de Bacharel em Filosofia. Ingressou então na Faculdade de Medicina, frequentando o respectivo curso desde 1895 até 1901, ano em que se licenciou com distinção.
Foi nomeado, em 1902, professor substituto da Faculdade de Medicina de Coimbra. Mais tarde, como professor catedrático, regeu as cadeiras de Patologia Interna, Propedêutica Médica, Obstetrícia e Pediatria. Terá sido a regência das cadeiras de Patologia Interna e de Clínica Médica que o motivou para o estudo de Neurologia e Psiquiatria.
Em 1907, conseguiu – graças à sua notoriedade – dar início em Portugal ao ensino de Neurologia e Psiquiatria, na Universidade de Coimbra. A par da investigação e do ensino, dedicou também parte do seu tempo à fundação e direcção daquela que é hoje conhecida como Casa da Infância Dr. Elísio de Moura, em Coimbra.
Em 1939, os colegas elegeram-no para primeiro bastonário da Ordem dos Médicos. Em Junho de 1947, foi feito Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada; em Maio de 1961, foi agraciado com a Grã-Cruz da Ordem de Benemerência; e, em Julho de 1971, recebeu a Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada. Faleceu em 1977, a pouco mais de dois meses de completar 100 anos.


Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...