sexta-feira, 16 de junho de 2017

16 DE JUNHO - DANTE MILANO

EFEMÉRIDEDante Milano, poeta brasileiro, nasceu no Rio de Janeiro em 16 de Junho de 1899. Morreu em Petrópolis, em 15 de Abril de 1991.
O pai era maestro. Dante trabalhou como conferente de textos na “Gazeta de Notícias” (Rio de Janeiro) desde 1913. Foi também funcionário do Tribunal de Menores, no Ministério da Justiça.
Publicou o seu primeiro poema (“Lágrima Negra”) em 1920, na revista carioca “Selecta” Nessa época, trabalhava como empregado de contabilidade no Rio de Janeiro. Nos anos 1930, foi colaborador do suplemento “Autores e Livros” do periódico “A Manhã” e do “Boletim de Ariel”.
Em 1935, organizou a “Antologia dos Poetas Modernos”, primeira recolha de poesias dessa fase.
Casou-se com Alda Milano em 1947. O seu primeiro livro, “Poesias”, foi publicado em 1948 e recebeu o Prémio Felipe d'Oliveira de Melhor Livro de Poesia do ano. Nos anos seguintes, trabalhou como tradutor, lançando – em 1953 – “Três Cantos do Inferno” de Dante Alighieri. Em 1979, foi editado o seu livro “Poesia e Prosa”.
Publicou, em 1988, “Poemas Traduzidos de Baudelaire e Mallarmé”. No mesmo ano, recebeu o Prémio Machado de Assis, concedido pela Academia Brasileira de Letras.
Dante Milano é um dos poetas representativos da terceira geração do Modernismo brasileiro. Segundo o crítico David Arrigucci Jr., Milano «como o amigo Bandeira, reflectiu muito sobre a morte, casando o pensamento à forma enxuta dos seus versos – lírica seca e meditativa, avessa ao fácil artifício, onde o ritmo interior persegue em poemas curtos, com justeza e sem alarde, o sentido».
Ficou conhecida a sua convivência amistosa com Carlos Drummond de Andrade, Di Cavalcanti, Manuel Bandeira, Olegário Mariano, Portinari, Sérgio Buarque e Villa-Lobos, entre outros intelectuais do seu tempo.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...