quinta-feira, 22 de junho de 2017

22 DE JUNHO - JOHN DILLINGER

EFEMÉRIDEJohn Herbert Dillinger, célebre assaltante de bancos norte-americano, nasceu em Indianápolis no dia 22 de Junho de 1903. Morreu em Chicago, em 22 de Julho de 1934. Foi considerado por alguns como um ladrão perigoso e idolatrado por outros como um Robin Hood do século XX. Isto porque muitos americanos culpavam os bancos pela depressão dos anos 1930 e Dillinger só roubava bancos.
Dillinger ganhou a alcunha de “Jackrabbit” pela rapidez nos assaltos e nas fugas à polícia. Além disso, era uma figura atlética, tendo sido um bom jogador de basebol quando esteve na prisão. As suas acções, bem assim como a de outros criminosos daquela década, como Bonnie e Clyde e Ma Barker, dominaram a atenção da imprensa, que passou a chamá-los de “inimigos públicos”, entre 1931 e 1935, época em que o FBI se desenvolveu.
Alistara-se na Marinha, mas desertou poucos meses depois. Em seguida, voltou para Indiana e casou-se, em Abril de 1924, com Beryl Ethel Hovious. Entretanto, teve dificuldades em arranjar um emprego fixo e em manter o casamento.
Dillinger tornou-se então criminoso e foi preso em 1924 na Cadeia Estadual de Indiana. Atrás das grades, conheceu ladrões perigosos. Trabalhou na lavandaria da prisão e ajudou uma fuga de outros presos. Dillinger ficou preso até 1933, sendo então solto em liberdade condicional. Ao sair, juntou-se aos criminosos que ajudara a fugir. Graças a notoriedade adquirida, o grupo ficou conhecido como “o primeira gang de Dillinger”, a que se juntaram muitos outros.  
Segundo a imprensa, Dillinger usava diferentes truques nos seus roubos a bancos. Disfarçou-se de vendedor de alarmes de segurança em Indiana e no Ohio. De outra vez, o grupo fez-se passar por uma companhia cinematográfica que queria encenar um roubo a um banco. Dizia-se que a gang de Dillinger roubara, no total, cerca de 300 000 dólares (correspondente a 5 milhões de dólares actuais) de dezenas de dependências bancárias.
Poucos meses depois da saída da Cadeia Estadual de Indiana, voltou à prisão, em Lima (Ohio), mas o seu grupo libertou-o, assassinando o xerife Jessie Sarber. A maior parte da quadrilha foi capturada no fim do ano em Tucson, Arizona, durante um incêndio no Historic Hotel Congress. Dillinger foi preso e enviado para a cadeia de Crown Point, Indiana. Foi processado por suspeita de homicídio de um guarda, durante um tiroteio num banco em East Chicago.
Em Março de 1934, Dillinger fugiu de Crown Point. Cruzou a fronteira de Indiana-Illinois num carro roubado, cometendo assim um crime federal, que o colocou sob a alçada do FBI.
No mês seguinte, a quadrilha apareceu em Manitowish Waters, Wisconsin, procurando um esconderijo. Foram denunciados à promotoria de Chicago, que contactou o FBI. Logo uma equipa de agentes cercou o esconderijo, mas os bandidos foram avisados. No tiroteio que se seguiu, a quadrilha fugiu em debandada.
No Verão de 1934, Dillinger desapareceu da circulação. Fora para Chicago e usou o nome de Jimmy Lawrence. Arranjou uma namorada (Polly Hamilton), que não sabia da sua identidade. O FBI, porém, encontrou o seu carro, logo deduzindo que ele estava na cidade.
Dillinger foi ao cinema assistir a um filme no Lincoln Park. Estava com a sua namorada e com a prostituta Anna Sage. Esta, que estava com problemas de imigração, fez um acordo com o FBI para o emboscar. Na saída do cinema, os agentes atiraram sobre Dillinger, matando-o com três tiros, um deles no coração. Entretanto, mesmo tendo colaborado com o FBI, Anna Sage foi deportada para a Roménia em 1936, morrendo onze anos mais tarde.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...