domingo, 15 de abril de 2018

15 DE ABRIL - CORRIE TEN BOOM


EFEMÉRIDE - Corrie ten Boom, de seu nome completo Cornelia Johanna Arnolda ten Boom, escritora e resistente holandesa, que ajudou a salvar a vida de muitos judeus ao escondê-los dos nazis durante a II Guerra Mundial, nasceu em Amesterdão no dia 15 de Abril de 1892. Morreu em Placentia, Califórnia, em 15 de Abril de 1983.
Ten Boom escreveu, entre outros livros, a sua autobiografia “O Refúgio Secreto”, que foi posteriormente adaptada ao cinema num filme com o mesmo título. Em Dezembro de 1967, foi homenageada pelo Estado de Israel com a inclusão do seu nome na lista ‘Justos entre as Nações’.
Nasceu numa família cristã, sendo a mais nova de quatro irmãos. Poucos meses depois do seu nascimento, a família mudou-se para Haarlem. O pai era relojoeiro. A mãe morreu de ataque cardíaco aos 63 anos de idade. Corrie começou a aprender relojoaria em 1920 e, em 1922, tornou-se na primeira mulher relojoeira licenciada na Holanda. Mais tarde, seria também, além de escritora, professora itinerante.
Em 1940, os nazis invadiram a Holanda e, em 1942, Corrie e a família tornaram-se activistas na resistência holandesa, escondendo refugiados em sua casa. Dessa forma, livraram muitos judeus da morte certa pelas mãos dos SS nazis. A família ten Boom era conhecida pela sua atitude prestativa para com todos e, em relação aos judeus isso foi ainda mais evidente.
Em Maio de 1942, uma mulher muito bem vestida chegou à porta dos ten Boom. Nervosamente, disse que era judia, que o seu marido havia sido preso meses antes e que o seu filho queria esconder-se. Corrie e o pai prontamente concordaram. Assim começava ‘o refúgio secreto’.
Receberam vários refugiados, alguns dos quais eram judeus, outros, membros da resistência procurados pela Gestapo e a sua congénere holandesa. Havia diversas salas extras na casa, que foram escamoteadas.
Em Fevereiro de 1944, os alemães prenderam toda a família, com a conivência de um informador holandês. Foram enviados para a prisão de Scheveningen (onde o pai de Corrie morreu dez dias após a prisão), em seguida para o campo de concentração Vught (ambos na Holanda), e - finalmente - para o campo de Ravensbrück, na Alemanha, onde Betsie, a irmã de Corrie, morreu também. Corrie foi solta um dia após o Natal de 1944. Soube mais tarde que a sua libertação se devera a um erro administrativo. As prisioneiras da sua idade, que ficaram no campo, foram todas mortas uma semana depois.
Em 1977, aos 85 anos, mudou-se para Orange (Califórnia). Vítima de ataques cerebrais, em 1978, viu reduzida a sua capacidade de comunicação e ficou inválida. Em 15 de Abril de 1983, dia do seu 91º aniversário, veio a falecer.
Ten Boom foi homenageada pela rainha da Holanda, em reconhecimento da sua actividade durante a Grande Guerra, e um museu em homenagem da família foi criado na cidade de Haarlem.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...