sexta-feira, 6 de abril de 2018

6 DE ABRIL - ALEXANDER KIELLAND


EFEMÉRIDE - Alexander Lange Kielland, considerado um dos quatro maiores escritores noruegueses de sempre, morreu em Bergen no dia 6 de Abril 1906. Nascera em Stavanger, em 18 de Fevereiro de 1849.
A maior parte da sua produção literária foi publicada no princípio e no meio dos anos 1880.  A acção dos seus romances desenrola-se sobretudo em Stavanger e denuncia a hipocrisia, a exploração dos trabalhadores pela burguesia, o sistema escolar e a Igreja.
Alexander nasceu no seio de uma família rica, uma das mais antigas famílias de mercadores da cidade, e poucos ousariam prever para o seu futuro outra actividade que não fosse o comércio.  No entanto, o pai era muito religioso e fez o possível para proteger o filho da vida dos negócios, principalmente para evitar que ele sobrestimasse o dinheiro.
O pequeno Alexandre foi enviado para uma escola religiosa, onde obteve boas notas sem, no entanto, se entusiasmar com os estudos. Ele ajustaria contas, aliás, com esta escola e os seus métodos de educação, no romance “Gift”.
Os passatempos de Kielland durante a infância eram o desenho e a flauta. A mãe morreu pouco antes dele completar 13 anos.
Aos 18 anos, ficou noivo de Beate Ramsland que tinha dezasseis. No fim dos seus estudos na escola religiosa, partiu com Beate para Kristiania (actual Oslo). Estudou Direito, não por interesse especial, mas por ser o curso com menos duração. Comprou uma fábrica de tijolos que geriu até 1881. Paralelamente, lia muito, livros de direito, mas também de outros géneros e de filosofia.
Em 1878, partiu para França, onde encontrou o escritor norueguês Bjørnstjerne Bjørnson. Mostrou-lhe o que já tinha escrito e este encorajou-o a publicar, indicando-lhe mesmo um editor. Pode datar-se de 1879, o início da sua carreira literária, com a publicação de uma recolha de novelas - “Noveletter”.
Nos anos 1881/83, habitou na Dinamarca, onde passava bastante tempo com o seu modelo Georg Brandes. No regresso a casa, ficou em contacto com ele por correspondência.
Entre os filósofos que o interessavam, contavam-se Charles Darwin, John Stuart Mill, Georg Brandes e Søren Kierkegaard. Quando tentou obter uma bolsa de poesia do Parlamento (1885), o pedido foi rejeitado porque «os seus escritos e os seus poemas representavam um perigo para a calma e ordem públicas».
Em 1889 e 1890, trabalhou para o jornal “Stavanger Avis”.  Dois anos mais tarde, foi presidente da Câmara de Stavanger e, em 1902, prefeito de Romsdal. Durante a ocupação destes cargos, escreveu pouco, também por razões de saúde. Faleceu com 57 anos.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...