domingo, 18 de setembro de 2011




EFEMÉRIDEMário Jardel Almeida Ribeiro, futebolista brasileiro, nasceu em Fortaleza no dia 18 de Setembro de 1973. Recebeu o seu nome em homenagem ao actor de telenovelas Jardel Filho. Ficou famoso como goleador e pela sua grande impulsão (2m50), que o levava a fazer muitos golos de cabeça.


Teve uma passagem marcante pelo futebol português, tendo jogado no Porto e no Sporting. Foi um dos melhores atacantes que actuou em Portugal, marcando muitos golos e demonstrando uma qualidade técnica digna de registo.


Jogador formado nas escolinhas do Ferroviário, actuou na equipa principal deste clube em 1990. No ano seguinte, brilhou nos juvenis e despertou o interesse do Vasco da Gama que pagou 27 500 dólares pelo seu passe (1993). O Bicampeonato Brasileiro de Juniores e a conquista do Mundial Sub-21, na Austrália, pela selecção brasileira, trouxeram-lhe o primeiro contrato profissional. Em 1993 foi o Melhor Marcador da Taça Belo Horizonte e da Copa São Paulo de Juniores, além de ser Campeão Carioca. Na recta final do ano de 1994, Jardel foi definitivamente lançado como titular, vencendo o Campeonato Carioca de Seniores.


No ano seguinte foi emprestado ao Grémio onde, ao lado de Paulo Nunes, formou a “dupla infernal”. Jardel caiu nas graças do técnico Felipão que montou um esquema táctico especial para ele. Com o Grémio, conquistou um dos títulos mais importantes da sua vida desportiva, a “Taça Libertadores” de 1995. No ano seguinte sagrou-se Campeão Gaúcho e venceu a Recopa Sul-americana.


Foi então transferido para o Porto. Aqui conheceu os maiores êxitos da sua carreira. Foi vencedor das Super Taças Cândido de Oliveira nas temporadas 1996/97, 1997/1998 e 1998/1999; Tricampeão português em 1996/97, 1997/98 e 1998/99; e vencedor das Taças de Portugal em 1997/98 e 1999/2000. Os adeptos do Porto imortalizaram-no com a alcunha de “Super Mário”.


Transferiu-se para a Turquia na temporada 2000/2001, marcando cinco golos logo na estreia e tornando-se o “artilheiro de serviço” do Galatasaray, com 24 golos em 22 partidas. Venceu a Taça UEFA 1999/2000 e a Super Taça Europeia 2000. Em virtude de lesões, dificuldades de adaptação e problemas pessoais (divórcio e depressão) não ficou muito tempo no clube.


Jogou depois no Sporting de 2001 a 2003, sendo Campeão Português, vencedor da Taça de Portugal e da Super Taça em 2001/2002. Marcou 42 golos em 30 jogos nessa temporada. A sua passagem pelo Sporting, foi determinante para o clube vencer a “tríplice coroa” (Campeonato, Taça e Super Taça).


Especulou-se depois acerca da sua transferência para um grande clube europeu que não se veio a realizar. Entretanto, ganhou peso e perdeu a forma. Em 2003 transferiu-se para o Bolton, onde jogou apenas sete partidas. Foi emprestado ao Ancona, onde jogou só quatro jogos e não convenceu a comissão técnica devido à sua condição física. Em 2004 tentou transferir-se para o Corinthians, mas não foi contratado novamente por causa da forma física. Foi emprestado ao Palmeiras em Abril de 2004, não tendo jogado nenhuma vez. Foi desligado do clube no final de Junho pois, após ter sido dispensado dos treinos para poder acompanhar o velório da sua avó, em Fortaleza, não entrou mais em contacto com o clube paulista.


Em Julho de 2004, transferiu-se para o Newell's Old Boys, onde jogou três partidas e venceu o Torneio Argentino de Abertura.


Em 2005 foi para o Deportivo Alavés, de Espanha, mas não chegou a jogar. Mário Jardel treinou então durante algumas semanas em São Paulo para tentar recuperar a forma.


Em Agosto de 2005 o Nancy, lanterna vermelha do Campeonato Francês, com quatro derrotas em quatro jogos, anunciou o interesse pela sua contratação. Jardel chegou a treinar três dias com o clube francês, mas em 30 de Agosto foi anunciada a sua contratação pelo Ankaraspor. Jardel, no entanto, atrasou-se na viagem e o clube turco não conseguiu inscrevê-lo a tempo.


Em Setembro de 2005 foi contratado pelo Goiás por três meses, contrato que poderia ser prolongado por mais um ano. Venceu o Campeonato Goiano de 2006.


Em Julho de 2006 foi apresentado como reforço do Beira-Mar da 1ª Liga Portuguesa. O seu regresso ao futebol português esteve em risco devido aos repetidos atrasos de Jardel em apresentar-se no clube. No primeiro jogo marcou um “golo à antiga”. Tinha sido porém uma excepção e acabou por ser dispensado.


Transferiu-se em Janeiro de 2007 para o Anorthosis Famagusta. O clube cipriota terminou a temporada de 2006/2007 no terceiro lugar do campeonato e, em Maio, sagrou-se vencedor da Taça do Chipre. Jardel juntou assim mais um título ao seu palmarés.


Em Agosto de 2007, assinou pelos United Jets, mas abandonou o clube em Janeiro de 2008.


Em entrevista ao programa “Esporte Espetacular”em Abril de 2008, Jardel admitiu que andava a drogar-se com cocaína. Nessa mesma entrevista, afirmou estar pronto para voltar a jogar e disse ter vontade de vestir novamente a camisola do Grémio.


Em Julho de 2008, assinou um contrato de cinco meses com o Criciúma e competiu nessa temporada na 2ª divisão do campeonato brasileiro.


Em Fevereiro de 2009 foi anunciado como novo reforço do Ferroviário. Em Agosto estreou-se no América Footbal Club da terceira divisão do Ceará. Em Janeiro de 2010, assinou um contrato de seis meses com o Flamengo. Em Junho de 2010, foi contratado por um ano pelo Cherno More Varna, da Bulgária. Em Dezembro regressou ao Brasil onde representou o Rio Negro de Manaus na época de 2011.


Internacional onze vezes pela selecção brasileira, jogou apenas sete jogos. Foi três vezes o Melhor Jogador do Campeonato Português, recebeu duas vezes a Bota de Ouro do jornal “A Bola” e uma vez a Bota de Ouro Europeia. Foi uma vez o Melhor Marcador da Copa Libertadores, cinco vezes do Campeonato Português, uma vez da Taça UEFA e duas da Liga dos Campeões Europeus.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...