quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

5 DE FEVEREIRO - OSÓRIO DUQUE-ESTRADA


EFEMÉRIDE – Joaquim Osório Duque-Estrada, poeta, crítico literário, professor e ensaísta brasileiro, morreu no Rio de Janeiro em 5 de Fevereiro de 1927. Nascera em Vassouras no dia 29 de Abril de 1870. Matriculou-se em 1882 no Colégio Pedro II, onde recebeu o grau de bacharel em Letras, em Dezembro de 1888.
O seu primeiro livro, um livro de poemas, foi “Alvéolos” (publicado em 1886, com 16 anos de idade), mas o que lhe deu nome foi a autoria da letra do Hino Nacional Brasileiro e a sua actividade como crítico literário na imprensa brasileira do início do século XX.
Começou a colaborar na imprensa em 1887, escrevendo os seus primeiros ensaios. Em 1889, foi para São Paulo, a fim de se matricular na Faculdade de Direito, entrando nesse mesmo ano para a redacção do “Diário Mercantil”. Abandonou o curso de Direito em 1891, para se dedicar à diplomacia, tendo permanecido um ano no Paraguai.
Regressado ao Brasil, deixou a carreira diplomática, fixando residência em Minas Gerais, de 1893 a 1896. Nos anos de 1896, 1899 e 1900, foi sucessivamente inspector geral do ensino, bibliotecário do Estado do Rio de Janeiro e professor de Francês do Ginásio de Petrópolis, cargo que exerceu até voltar para o Rio de Janeiro em 1902. Foi nomeado regente interino da cadeira de História Geral do Brasil, no Colégio Pedro II.
Deixou o magistério em 1905, voltando a colaborar na imprensa, em quase todos os diários do Rio de Janeiro. Entrou para a redacção do “Correio da Manhã” em 1910, dirigindo-o mesmo durante algum tempo. Foi nesse período que criou a secção de crítica “Registo Literário”, mantida de 1914 a 1917 no “Correio da Manhã”, de 1915 a 1917 no “Imparcial” e de 1921 a 1924 no “Jornal do Brasil”. Uma boa parte dos seus trabalhos dessa época foi reunida em “Crítica e Polémica” (1924). Era membro da Academia Brasileira de Letras desde 1915.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...