terça-feira, 3 de julho de 2012

EFEMÉRIDEAlberto Lattuada, actor, guionista, cenarista, produtor e realizador de cinema italiano, morreu em Roma no dia 3 de Julho de 2005. Nascera em Milão, em 13 de Novembro de 1914.
Desde muito novo, demonstrou grande interesse pela literatura. Em 1933, com dezoito anos, fundou com um seu companheiro de liceu uma pequena publicação bimensal de vanguarda chamada “Camminare”.
Cursou arquitectura na Faculdade de Arquitectura de Milão, onde obteve a licenciatura e conheceu Renato Castellani e Luigi Comencini, dois arquitectos/cineastas.
Em 1935, participou como assistente no primeiro grande filme a cores rodado em Itália, “Il museo dell'amore”. Em 1940, colaborou no guião do filme “Piccolo Mondo Antico”, que foi premiado em 1941 no Festival de Cinema de Veneza. A partir daí, Lattuada tornou-se um dos expoentes do neo-realismo.
Entrou na redacção de “Corrente”, um bimensal de crítica artística e de luta antifascista, que foi prontamente interrompido quando da entrada de Itália na Segunda Guerra Mundial. Fazia paralelamente reportagens fotográficas sobre filmes para o “Tempo Illustrado”, mas foi despedido a pedido das autoridades fascistas.
Foi um dos grandes estudiosos do cinema italiano, tendo fundado a Cinemateca Italiana, juntamente com os seus dois ex colegas da Faculdade.
Os seus filmes alternavam entre o drama e a comédia, passando pela adaptação de obras literárias, sobretudo de escritores russos. Realizou cerca de quarenta filmes, sendo de salientar “O Bandido”, “Sem Piedade”, “O Moinho do Po”, “Mulheres e Luzes”, “O Capote” e “O Mafioso”.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...