segunda-feira, 12 de setembro de 2016

12 DE SETEMBRO - MALU MADER

EFEMÉRIDEMalu Mader, de seu verdadeiro nome Maria de Lourdes da Silveira Mäder, actriz brasileira, nasceu no Rio de Janeiro em 12 de Setembro de 1966. Tem origens libanesa e portuguesa.
Aos 15 anos foi levada pela cunhada Maísa, que namorava o seu irmão mais velho, para assistir a “Capitães da Areia” e apaixonou-se pela representação.
Em 1982, inscreveu-se no curso para actores do Teatro Tablado, dirigido por Maria Clara Machado, e teve como professor Carlos Wilson (Damião), director de “Capitães de Areia”, e a professora e actriz Louise Cardoso. No final do ano, fez a sua primeira encenação, ao participar na montagem de “Os Doze Trabalhos de Hércules” de Monteiro Lobato. Com este trabalho, chamou a atenção do director Dennis Carvalho, que assistiu à peça e a convidou para interpretar Dóris Cantomaia, na novela “Eu Prometo”. Aos 16 anos, em 1983, estreou-se na TV Globo, sendo esta a única emissora de televisão aberta para a qual trabalhou até hoje.
Em 1984, participou na novela “Corpo a Corpo”, tendo feito par romântico com o actor Lauro Corona. No ano seguinte, protagonizou “Ti Ti Ti” de Reginaldo Faria. Ficou conhecida do grande público aos dezanove anos, na mini-série “Anos Dourados” de Gilberto Braga, um sucesso de audiência na Rede Globo (1986). Com esse trabalho, Malu tornou-se uma das actrizes favoritas do autor, repetindo a parceria em várias outras produções de sucesso.
Em 1988, protagonizou a “Fera Radical”. Mudou-se depois para São Paulo e fez a sua estreia no teatro profissional, encenando “Dores de Amores”.
Outros filmes e novelas se seguiram mas, com o tempo, passou a ser mais exigente na escolha dos seus personagens. Em 1989, entrou na novela “Top Model”, fazendo o papel da modelo Duda, uma menina pobre que é descoberta e guindada à condição de Top Model.
Foi sondada para posar nua para a revista “Playboy” e recusou todos os convites. Na última vez, ter-lhe-ia sido oferecida a quantia de um milhão de reais.
Em 1992, integrou o elenco da mini-série “Anos Rebeldes”, passada no Rio de Janeiro durante a ditadura militar e que tinha como pano de fundo o movimento estudantil.
Ao ser convidada para protagonizar mais uma novela (“O Mapa da Mina”), cansada de papéis de ‘rapariguinha’, Malu pediu para representar Wanda, uma moça simples, sensualíssima, desbocada e nem sempre politicamente correcta. Ainda nesse ano, encenou o espectáculo “Vestido de Noiva”, no cinquentenário da peça, onde dividiu o palco com os actores Tuca Andrada e Luciana Braga.
Em 1995, deu à luz o seu primeiro filho. A partir dai, surgiu o primeiro período sabático da sua carreira. Durante seis anos, dedicou-se mais à família, limitando-se a pequenas participações em novelas, séries e mini-séries.
Da parceria com Gilberto Braga, de quem a actriz é muito amiga, surgiu a novela “Celebridade”, em que Malu interpretou a batalhadora Maria Clara Diniz (2003). Este trabalho serviu também para comemorar os seus vinte anos de carreira.
Em 2007, integrou o elenco da novela “Eterna Magia”, interpretando uma vilã, a pianista Eva Sullivan. No mesmo ano, foi directora, juntamente com Mini Kerti, do documentário “Contratempo”, longa-metragem que conta a história de um grupo de músicos das favelas do Rio de Janeiro. O filme foi premiado e foi apresentado em vários festivais no Brasil e no exterior.
Em 2008, estreou-se como realizadora em “Essa História Dava Um Filme”, programa do canal pago Multishow, que na verdade era uma mistura de reality show, ficção, documentário e making off.
No cinema, actuou em filmes que marcaram a década de 1980: “Dedé Mamata” e “Feliz Ano Velho”, ambos de 1988. Em 2002, interpretou uma prostituta no filme “O Invasor”. Já havia interpretado um papel semelhante no ano anterior, no filme “Bellini e a Esfinge”. Também teve participações memoráveis em “Sexo, Amor e Traição”, “Brasília 18%” e “Sexo com Amor?”.
Em 2013, voltou à televisão na novela “ Sangue Bom”, de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari.
Está casada desde 1990 com o músico, apresentador e escritor Tony Bellotto, que integra o conjunto de rock Titãs. Têm dois filhos, nascidos em 1995 e 1997.  
Quando o marido começou a escrever romances policiais, Malu alimentou logo o desejo de adaptar ao cinema o livro de estreia (“Bellini e a Esfinge”), o que veio a verificar-se em 2001.
Em Agosto de 2005, depois de sofrer uma convulsão em Florianópolis, foi-lhe diagnosticado um quisto benigno no lado esquerdo da cabeça, sendo operada com sucesso. Malu já tinha passado por um susto semelhante quando tinha 25 anos, ao ser-lhe diagnosticado um tumor de 8 centímetros no fígado e outro na bexiga. Seguiu logo para Nova Iorque, onde foi operada no Memorial Hospital. Os tumores foram retirados e eram igualmente benignos. Em Nova Iorque, ainda aproveitou para fazer o seu primeiro curso de guionista de cinema.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...