sexta-feira, 21 de julho de 2017

21 DE JULHO - ALEKSANDER HENRYK LAKS

EFEMÉRIDEAleksander Henryk Laks, sobrevivente do Holocausto, escritor e conferencista polaco, naturalizado brasileiro, morreu no Rio de Janeiro em 21 de Julho de 2015. Nascera em Lodz no dia 28 de Outubro de 1926.
Ainda criança, em 1940, foi confinado no Gueto de Lodz, uma área industrial criada pelos nazis alemães na Polónia. Dos 160 mil judeus que estiveram neste gueto, apenas 1 600 sobreviveram à guerra.
Em 1944, foi enviado para o campo de concentração de Auschwitz juntamente com o pai, que veio a falecer por doença e maus-tratos. Ambos foram seleccionados para trabalhos forçados. Em 1945, quando parte do campo de concentração foi evacuado pelos nazis, antes da chegada das tropas soviéticas, Laks fez parte de um grupo de 800 prisioneiros levados para uma das Marchas da Morte, sistema onde eram obrigados a deslocar-se em enormes distâncias, a pé, no Inverno, sem roupas adequadas nem alimentação, na esperança de que “simplesmente” morressem. Deste grupo, apenas 50 sobreviveram. Aleksander foi encontrado e ajudado por soldados franceses. Emigrou então para o Brasil e adquiriu a nacionalidade brasileira.
Foi presidente da Sherit HaPleitá (Associação Brasileira dos Israelitas Sobreviventes da Perseguição Nazi) e autor dos livros “O Sobrevivente – memórias de um brasileiro que escapou de Auschwitz” e “Mengele me Condenou a Viver”.
A história de Laks também foi contada no livro “Sou Feliz, Acredite!”, dos jornalistas Mónica Bernardes e Mauro Tertuliano, editado pela BestSeller (grupo Record) e finalista do Prémio Jabuti na categoria Reportagem. A obra, lançada em 2010, narra 13 histórias de superação.
Em 2013, participou como depoente no filme documentário premiado “O Relógio do Meu Avô” do realizador Alex Levy-Heller.
Laks morreu aos 88 anos de idade, vítima de complicações decorrentes de uma infecção pulmonar.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...