domingo, 23 de julho de 2017

23 DE JULHO - VAN HEFLIN

EFEMÉRIDEVan Heflin, de seu verdadeiro nome Emmet Evan Heflin Jr., actor norte-americano, morreu em Hollywood no dia 23 de Julho de 1971. Nascera em Walters, Oklahoma, em 13 de Dezembro de 1910.
Interpretou muitos pequenos papéis ao longo da sua carreira no cinema mas, durante a década de 1940, protagonizou uma série de personagens principais.
Ganhou um Oscar de Melhor Actor Coadjuvante (1942), pela sua interpretação no filme “Johnny Eager”. Possui duas estrelas na Calçada da Fama, no Hollywood Boulevard, uma pelo seu trabalho no cinema e outra pelas suas actuações na televisão.
Heflin tinha ascendência irlandesa e francesa. Ao invés do pai, que era dentista, sentia-se atraído pelo mar. Depois de servir alguns anos na marinha mercante, estudou na Universidade de Oklahoma, onde era membro da fraternidade Phi Delta Theta, grupo onde descobriu o seu gosto pela arte dramática.
Estreou-se nos palcos da Broadway em meados da década de 1930, na peça “End of Summer”. Foi visto por Katherine Hepburn, que convenceu a RKO Pictures a colocá-lo no elenco do filme “A Woman Rebels” (1936), que ela própria protagonizava.
Em 1941, assinou um contrato com a MGM, para a qual interpretou – inicialmente – diversos personagens secundários, entre os quais o de um gentil capanga alcoólatra no filme “Johnny Eager” (1941), papel que lhe valeu um Oscar no ano seguinte. Nesta película, contracenou com Robert Taylor e Lana Turner.
Van Heflin destacou-se em diversas produções importantes como “Santa Fe Trail” (1940), “Presenting Lily Mars” (1943), “Till the Clouds Roll By” (1946), “Possessed” (1947), “The Three Musketeers” (1948), “Madame Bovary” (1949) e “Patterns” (1956).
Nunca abandonou o teatro, onde fez sucesso em 1939 com “The Philadelphia Story”, ao lado de Katherine Hepburn (a peça foi levada ao cinema no ano seguinte, mas o papel de Heflin ficou a cargo de James Stewart, que ganharia o Oscar com ele). Esteve igualmente em “A Memory of Two Mondays” e “A View from the Bridge”, ambas de Arthur Miller. Entre 1947 e 1951, protagonizou a novela radiofónica “The Adventures of Philip Marlowe”, interpretando o célebre detective criado por Raymond Chandler. Despediu-se do cinema em 1970, com o filme “Aeroporto”, representando um marido psicopata que queria fazer explodir um avião para deixar um seguro à mulher.
Foi casado três vezes. Da sua união com Eleanor Scherr não existem informações, pois aconteceu em data anterior à sua vida artística. Sabe-se apenas que teria durado seis meses. Em 1934, casou-se com Esther Ralston, de quem se divorciou dois anos depois. Finalmente, em 1942, iniciou a sua união mais duradoura, com Frances Neal, de quem teve três filhos. Também este casamento terminou em divórcio, vinte e cinco anos mais tarde. Durante a Segunda Guerra Mundial, serviu na área do cinema na Força Aérea.
No início de Julho de 1971, foi internado após ter tido uma indisposição do foro cardíaco, aparentemente sem consequências. Contudo, poucos dias depois, foi acometido de um enfarte, esteve 17 dias em coma e veio a falecer. Tinha sessenta anos de idade.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...