sábado, 26 de março de 2016

AMIZADES, LEVA-AS O VENTO? (soneto)

AMIZADES,
LEVA-AS O VENTO?

Quis ter bons amigos p’ra toda a vida,
Que fossem quase meus familiares,
Mas neste mundo, de tantos azares,
Há muita gente desaparecida…

…P’ra novos rumos e sem despedida,
Navegando talvez por outros mares
Ou voando por outros céus e ares.
Deles resta a ausência sentida.

Faço aqui minha triste confissão:
- Amigo maior que o pensamento,
Que era a minha maior ambição,

Se houve, foi levado pelo vento,
Só deixando como recordação
Saudades sem fim e o meu lamento.  


Gabriel de Sousa

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...