terça-feira, 18 de agosto de 2015

18 DE AGOSTO - BRIAN ALDISS

EFEMÉRIDEBrian Wilson Aldiss, escritor inglês, sobretudo de ficção científica mas também ensaísta, nasceu em Norfolk no dia 18 de Agosto de 1925. Fortemente influenciado pelo pioneiro de ficção científica H. G. Wells, Aldiss é o vice-presidente da H. G. Wells Society. O seu conto “Super-Toys” (1969) serviu de base a Stanley Kubrick e Steven Spielberg para o guião do filme “A.I. – Inteligência Artificial”.
Em 1943, alistou-se no regimento dos Royal Signals, tendo prestado serviço militar na Birmânia. Foram talvez as florestas tropicais desse país que o inspiraram a escrever “Hothouse” (“A Longa Tarde da Terra” na edição portuguesa). Foi desmobilizado em 1947.
Fixou-se em Oxford, onde encontrou trabalho numa livraria. Determinado a tornar-se escritor, publicou “The Brightfount Diaries” em 1955, narrando com humor justamente a vida de um empregado livreiro. O sucesso do livro permitiu-lhe integrar o jornal “Oxford Mail”, onde escreveu regularmente uma crónica literária. Ganhou depois um concurso de contos organizado pelo jornal “The Observer”, que lhe possibilitou a publicação da sua primeira recolha de novelas.
As suas obras de ficção científica vêm a servir de ponte entre os temas da velha ficção científica chamada “idade de ouro” e a sofisticação das novas formas da ciência.
A partir de 1960, foi presidente durante largo tempo da British Science Fiction Association. Editou numerosas antologias de sucesso e escreveu várias obras que analisam a história da ficção científica, a mais conhecida sendo “Trillion Year Spree: a History of Science Fiction”.
Em 1962, publicou “O Mundo Verde”, inspirado na sua experiência nas florestas da Birmânia e na ilha de Sumatra, quando da Segunda Guerra Mundial. Este livro recebeu o prestigiado Prémio Hugo.
Em 1964, criou o primeiro magazine crítico de ficção científica, “Science Fiction Horizons”, do qual só foram publicados dois números mas em que participaram alguns escritores de renome como William S. Burroughs.
Em 1983, recebeu o Prémio John W. Campbell Memorial pela sua obra “A Primavera de Helicónia”, a primeira parte de uma trilogia que também virá a incluir “O Verão de Helicónia” e “O Inverno de Helicónia”. Foi decorado, em 2005, aos 80 anos, com a Ordem do Império Britânico pelos «serviços prestados à Literatura». 

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...