quinta-feira, 20 de agosto de 2015

20 DE AGOSTO - THOMAS CORNEILLE

EFEMÉRIDEThomas Corneille, jurista e dramaturgo francês, nasceu em Ruão no dia 20 de Agosto de 1625. Morreu em Les Andelys, em 8 de Dezembro de 1709. Thomas era dezanove anos mais novo do que Pierre, também escritor. Estudou nos Jesuítas, sendo brilhante aluno em Humanidades e, depois, em Direito.
Deixou Ruão com destino a Paris ao mesmo tempo do irmão, quando os êxitos de Pierre o levaram a querer dedicar-se também ao teatro. Começou por fazer comédias, inspiradas sobretudo em autores espanhóis, passando a ser um sério concorrente deles no campo das comédias burlescas.
Em Novembro de 1656, passou a interessar-se por tragédias, escrevendo “Timocrate”, que obteve um enorme sucesso, com uma série ininterrupta de oitenta representações, a série mais longa de todo o século.
Escreveu, só ou em co-autoria, umas quarenta peças de teatro. Contrariamente ao irmão, interessou-se por todos os géneros dramáticos e também por óperas e intermezos.
Os seus três libretos de ópera, Psyché (1678), Bellérophon (1679) e Médée (1693), fizeram dele, juntamente com Philippe Quinault e Jean Galbert de Campistron, um dos mais importantes libretistas do século XVII.
Ele e o co-autor Donneau de Visé receberam mais de 6 000 libras pela obra “La Devineresse ou les Faux Enchantements”, a mais importante soma paga naquela época.
Em 1677, quatro anos depois da morte de Molière e a pedido da sua viúva Armande Béjart, Thomas Corneille pôs em verso a peça que Molière tinha criado em 1665 sob o título “Le Festin de pierre”. Estreada no Théâtre Guénégaud.
Os dois irmãos viviam praticamente juntos e elogiavam-se mutuamente sem a mais pequena ponta de inveja. Entre o público, uns diziam que Thomas nunca teria atingido tanto êxito se não fosse à sombra de Pierre; outros achavam que essa sombra prejudicara a sua autonomia. 
Em 1685, sucedeu na Academia Francesa ao seu irmão, que falecera no ano anterior. Além de escrever vários livros didácticos (1694/1708), Thomas Corneille fez também uma tradução completa das “Metamorfoses” de Ovídio (1697). 

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...