terça-feira, 25 de agosto de 2015

25 DE AGOSTO - PHILIPPE LÉOTARD

EFEMÉRIDE – Ange Philippe Paul André Léotard-Tomasi, actor, poeta e cantor francês, morreu em Paris no dia 25 de Agosto de 2001. Nascera em Nice, em 28 de Agosto de 1940.
Ainda criança, foi atingido pela doença de Bouillaud, que o deixou de cama durante muito tempo, em casa de uma avó que morava em Ajaccio. Isto fez com que lesse muito, utilizando a biblioteca familiar. Lia muitos livros de poesia, admirando Baudelaire, Lautréamont, Rimbaud e Cendrars, entre outros. Leu também Victor Hugo e Flaubert.
Aos 18 anos, em 1958, alistou-se na Legião Estrangeira em Bonifácio, mas acabou por não ficar. Estudou no Liceu Henri IV em 1958/59, prosseguindo depois os estudos na Sorbonne, onde se licenciou em Letras. Nesta universidade, através da Associação Teatral dos Estudantes de Paris, encontrou Ariane Mnouchkine, com quem fundou o Teatro do Sol em 1964. Paralelamente, foi professor de Letras e de Filosofia no Colégio Sainte-Barbe até 1968. Deixou o Teatro do Sol e representou “Les Anges meurtriers” no Teatro Nacional Popular em 1970.
Continuando embora no teatro, iniciou-se no cinema graças a Claude Sautet e François Truffaut. Figurou em “Domicile conjugal” (1970), prosseguindo a sua aprendizagem com Truffaut, que lhe proporcionou um pequeno papel em “Les deux anglaises et le continent”, no ano seguinte.
Avoir 20 ans dans les Aurès” foi o filme que marcou o seu primeiro grande desempenho. O seu grande sucesso ocorreu em 1975, com “Le Chat et la Souris” de Claude Lelouch. Neste mesmo ano, entrou no circuito americano com “French Connection 2 de John Frankenheimer.
Em 1977, foi nomeado para o César de Melhor Actor Secundário. Viria receber o César de Melhor Actor em 1983, com “La Balance de Bob Swaim”. Dedicou-se depois a um cinema mais intimista.
Embora tardiamente, em 1990, lançou-se também na carreira de cantor. Os dois primeiros álbuns (“À l'amour comme à la guerre” e “Philippe Léotard canta Léo Ferré”, um ano depois da morte de Ferré) tiveram grande sucesso. Este último álbum foi mesmo recompensado com o Prémio Charles-Cros de 1994.
Em 1997, recebeu o Grande Prémio dos Poetas da SACEM. Neste mesmo ano, interpretou a sua última curta-metragem: “La Momie à mi-mots” de Laury Granier. Ao longo da sua carreira, representou seis peças teatrais, protagonizou 15 filmes televisivos e mais de oitenta películas. Escreveu três livros.
A droga e o álcool afectaram muito a sua vida artística, sobretudo ao nível da voz. Teve dois comas etílicos e várias overdoses. Faleceu, vítima de insuficiência respiratória, numa clínica parisiense, onde se encontrava hospitalizado há dois meses. Estava parcialmente paralisado e tinha um cancro na língua. 

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...