segunda-feira, 13 de junho de 2016

13 DE JUNHO - DOROTHY L. SAYERS

EFEMÉRIDEDorothy L. Sayers, escritora e tradutora britânica, famosa sobretudo pelos seus romances policiais e thrillers jurídicos, nasceu em Oxford no dia 13 de Junho de 1893. Morreu em Witham, em 17 de Dezembro de 1957.
Dorothy Leigh Sayers aprendeu latim aos sete anos e iniciou-se na língua francesa com a governanta da família. Em 1915, licenciou-se no Somerville College da Universidade de Oxford, sendo uma das primeiras mulheres diplomadas por esta universidade. Em 1920, obteve o mestrado de Artes em Literatura Medieval.
Foi professora de Literatura, mas cedo sentiu que aquele não era o seu caminho. Esteve ainda em França, como professora-assistente de Inglês. A sua melhor recordação da estadia em França foi, no entanto, ter lido todos os romances de Arsène Lupin e de ter frequentado o Collège des Roches, na Normandia, onde conheceu Eric Whelpton, pessoa que a inspirou na criação de Lord Peter Wimsey, o herói dos seus futuros romances policiais.
De regresso a Inglaterra, encontrou – em 1921 – um trabalho de redactora, muito bem remunerado, numa agência publicitária londrina, onde ficou durante uma década.   
Em 1923, publicou o seu primeiro romance “Lord Peter e o Desconhecido”, já protagonizado pelo aristocrata e detective Lord Peter Wimsey. Os seus livros vão integrar-se nos tradicionais romances de mistério, acrescentando todavia um tom humorístico, algumas críticas à sociedade bem-pensante da época e dando ao seu herói uma vida sentimental, que faltava nos célebres detectives imaginados até então na literatura policial britânica (Sherlock Holmes, Hercule Poirot, etc.).
A partir de 1933, Dorothy Sayers dedica uma breve série de novelas ao personagem Montague Egg, um divertido especialista na venda de vinhos, que se vê implicado em enigmas policiais.
A vida sentimental de Dorothy foi decepcionante e tumultuosa, menos idílica que a do seu personagem principal. Uma ligação com um mecânico de automóveis, da qual nasceu um filho em 1924, saldou-se por uma separação e pela responsabilidade de educar o filho, que ela assumiu sem reticências.
Em 1928, casou-se com o capitão Mac Fleming, um grande bebedor e um preguiçoso notório. Esta união difícil, mesmo falhada, deixou-lhe todavia tempo livre para escrever, com regularidade e a um ritmo sustentado, as aventuras de Lord Peter, que lhe trouxeram a fama, a glória e a fortuna.
Dorothy Sayers abandonou o personagem Lord Peter em 1940, para se dedicar à sua outra grande paixão – a literatura medieval. Fez nomeadamente traduções da “Divina comédia” e da “Canção de Rolando”.
Uma semana antes do Natal de 1957, após ter levado o dia a comprar prendas para familiares e amigos, teve uma crise cardíaca a que não resistiu. Faleceu aos 64 anos de idade. 

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...