quarta-feira, 23 de maio de 2018

23 DE MAIO - CARLOS MENDES


EFEMÉRIDE - Carlos Eduardo Teixeira Mendes, arquitecto, cantor, compositor e actor português, nasceu em Lisboa no dia 23 de Maio de 1947.
Em 1963, foi um dos fundadores do conjunto Sheiks, que abandonou em 1967 para iniciar uma carreira a solo com uma versão de “Penina”, que Paul McCartney tinha escrito para os Jotta Herre.
Em 1968, venceu o Festival RTP da Canção cantando “Verão”. Voltou a vencer este festival em 1972, com “Festa da Vida”. Participou nas gravações do disco “A Fala do Homem Nascido”.
Em 1973, concluiu o curso de Arquitectura iniciado em 1969, passando a exercer esta actividade que abandonaria pouco depois, para se dedicar em exclusivo à música.
Em 1976, fundou - juntamente com outros autores, entre os quais Paulo de Carvalho e Fernando Tordo - a primeira editora discográfica independente, Toma Lá Disco. Lançou o álbum “Amor Combate”.
No ano seguinte, editou o álbum “Canções de Ex-Cravo e Malviver” com canções como “Ruas de Lisboa”, “Lisboa, Meu Amor” e “Amélia dos Olhos Doces”. Esta última ficou em 2º lugar no apuramento para o Festival da Oti de 1977.
A revista “Mundo da Canção” atribuiu o prémio de Melhor Disco Infantil do Ano ao seu trabalho “Jardim Jaleco”, que também era um programa de televisão.
Em 1979, os Sheiks regressaram para uma série de 13 programas apresentada na RTP. O grupo lançou os LPS “Sheiks com Cobertura” e “Pintados de Fresco”. Em 1980, gravou a solo o álbum “Triângulo do Mar”.
O disco “Chão do Vento” foi lançado em 1984. Deslocou-se ao Brasil, onde actuou no Teatro João Caetano e no Circo Voador (Rio de Janeiro) e no Pavilhão do Ibirapuera (São Paulo).
Em 1985, iniciou aulas de piano e formação musical com a professora Fernanda Chichorro. Deu espectáculos na Suíça, na Bélgica e nos Países Baixos. Participou também no XII Festival Internacional da Juventude, em Moscovo, com representantes de mais 150 países.
Em 1986, compôs a música para o filme “O Vestido Cor de Fogo” de Lauro António e para a peça “O Touro” do Teatro de Pesquisa Comuna. Ganhou o Prémio da Associação de Críticos para a melhor música de teatro desse ano.
No ano de 1987, fez a música da peça de Alves Redol, “O Destino Morreu de Repente”, encenada pela Comuna. Compôs para o Festival da OTI a canção representante de Portugal, interpretada por Theresa Mayuko.
No ano seguinte, fez a música de dois filmes de Luís Filipe Costa para a RTP. Convidado por aquele canal, compôs músicas originais e fez a direcção musical para o programa de Natal.
Juntamente com Fernando Tordo, Paulo de Carvalho e o maestro Pedro Osório, criou em 1989 o espectáculo “Só Nós Três”, que se estreou no Casino do Estoril com grande êxito. Em seguida, foi apresentado nos Açores, Macau e outros locais. O disco com base no espectáculo teve grande sucesso, atingindo rapidamente o galardão de platina.
Em 1990, compôs, dirigiu e interpretou a banda sonora da série “Por Mares Nunca de Antes Navegados”. Criou ainda o espectáculo “Improvisos Carlos Mendes”, com encenação de Carlos Avilez.
Em 1991, iniciou aulas de canto lírico com a professora Cristina Castro. Criou a opereta musical “O Natal do Pai Natal” a convite da RTP para mais um “Especial de Natal”, que foi editado em disco. Gravou para o mesmo canal o espectáculo “Improvisos Carlos Mendes”.
A convite da Câmara Municipal de Loures e da Escola Secundária José Afonso, compôs e gravou um disco de solidariedade com Timor, com letra de José Fanha. Foi convidado, como actor, pelo encenador Artur Ramos, para integrar o elenco da peça “O Luto de Electra” de Eugene O'Neill, gravada para a RTP.
Boa Nova”, espectáculo de 1992 criado com Fernando Tordo por ocasião da visita do presidente da República à Índia, foi apresentado no Teatro São Luiz e editado em disco. Em 1993, foi um dos autores e apresentadores do programa “Falas Tu ou Falo Eu” da SIC.
No ano de 1994, foi editado o CD “Não Me Peças Mais Canções”, com produção de Zé da Ponte, onde Carlos Mendes musicou grandes nomes da poesia portuguesa, tais como Miguel Torga, Fernando Pessoa, Carlos Oliveira e Luís de Camões. O disco incluiu um inédito de Mário Soares, “Para Ti Meu Amor”.
A música “Não Me Peças Mais Canções” foi candidata aos Globo de Ouro na categoria de Melhor Canção do Ano.
Em 1995, apresentou na RTP o programa “Selecção Nacional”, com Herman José e Sofia Morais, que consistia em escolher os oito intérpretes para cantarem no Festival RTP da Canção naquele ano.
Em Dezembro de 1996, apresentou no Teatro Nacional D. Maria o espectáculo “Carlos Mendes - Em Concerto”, onde interpretou poetas portugueses.
Em 1997, colaborou no programa “Todos ao Palco” de Filipe La Féria e foi lançado o CD “Vagabundo do Mar”. Em 1998, fez espectáculos em Macau e na Índia (Margão e Pangim), a convite da Fundação Oriente. Foi convidado para fazer dois concertos na Expo'98. O álbum “Coração de Cantor” foi editado em Dezembro de 1999.
Como actor, integrou o elenco de “Morangos Com Açúcar - Série II e Férias de Verão II”, na TVI, onde desempenhou o papel do ‘Coronel Luís Navarro’. Em 2006, cantou com Pedro Teixeira no programa “Canta Por Mim”, onde chegaram à final.
Em 2014, foi galardoado com a Medalha de Ouro da Sociedade Portuguesa de Autores. Já em 2018, editou um álbum - o que já não fazia há cerca de 20 anos. Festejou igualmente os 50 anos de carreira.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...