quarta-feira, 9 de maio de 2018

9 DE MAIO - GLENDA JACKSON


EFEMÉRIDE - Glenda May Jackson, actriz e política britânica, vencedora de dois Oscares de Melhor Actriz, nasceu em Birkenhead no dia 9 de Maio de 1936. Foi uma das grandes damas do teatro e do cinema britânico.
O pai era pedreiro. Foi educada na West Kirby Grammar School for Girls e, logo em seguida, trabalhou dois anos numa farmácia, em Boots, antes de ser seleccionada para estudar na RADA - Royal Academy of Dramatic Art.
Casou-se em 1958 com Roy Hodges e com ele teve o seu único filho, Dan Hodges, nascido em 1969, e que hoje é um conselheiro do Trabalho e comentarista. O seu casamento com Hodges durou de 1958 até ao divórcio em 1976.
Após se formar pela RADA, em Bloomsbury (1957), Glenda iniciou a sua carreira no teatro com a peça “Separate Tables” de Terence Rattingan. Estreou-se no cinema seis anos depois, com o filme “This Sporting Life”. Mais tarde, trabalhou com Peter Brook em “Marat Sade”. Já reconhecida no teatro, ganhou fama internacional ao protagonizar dois filmes de Ken Russell: “Woman in Love”, onde interpretou a escultora e artista plástica Gudrun Brangwen, filme que lhe valeu seu primeiro Oscar de Melhor Actriz (1971); e depois, “The Music Lovers”, no papel de Antonina Miliukova. esposa do compositor romântico russo Tchaikovsky, interpretado por Richard Chamberlain.
Por aceitar papéis controversos, que muitas actrizes recusavam, Glenda Jackson adicionou à sua imagem a fama de fazer qualquer sacrifício pelo cinema. Provou isso ao interpretar a rainha Elizabeth I, em “Elizabeth R”. série produzida pela BBC em 1971. Para o filme, Glenda teve de raspar a parte da frente do cabelo, fazendo com que se parecesse mais com a rainha, sendo a sua interpretação nesta série considerado «o retrato mais real de Elizabeth I da Inglaterra». Recebeu dois Emmys por este seu trabalho. No mesmo ano, Glenda interpretou novamente a rainha Elizabeth I, desta vez no filme “Mary, Queen of Scots”, ao lado de Vanessa Redgrave. Também em 1971, Glenda apareceu no show “Morecambe and Wise”, sendo Cleópatra num um sketch de comédia.
Vendo o seu potencial para comédias, o cineasta Melvin Frank ofereceu-lhe o papel que lhe daria o segundo Oscar de Melhor Actriz (1973), o da estilista Vicki Alessio, em “Um Toque de Classe”. Com a sua vitória no Oscar por este filme, os produtores de “Morecambe and Wise” ter-lhe-iam enviado um telegrama que dizia: «Fique connosco e vamos chegar a um terceiro!».
Foi nomeada em 1978, comendadora da Ordem Britânica. Em 1983, teve um teatro com o seu nome, o Glenda Jackson Theatre, mas que foi demolido em 2003 para dar lugar a um novo loteamento. Conquistou outros prémios importantes, como o Globo de Ouro, o BAFTA e o de Melhor Actriz nos Festivais de San Sebastián e de Montreal.
Em 1992, abandonou a carreira de actriz para ser política, tendo sido eleita deputada pelo Partido Trabalhista. Em 1997, foi nomeada ministra dos Transporte pelo primeiro-ministro britânico Tony Blair. Em 2006, a imprensa chegou a especular, informando que ela iria substituir Blair quando este se afastasse, o que não veio a acontecer. Foi reeleita deputada em 2010.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...