quinta-feira, 21 de julho de 2016

21 DE JULHO - NUNO MARKL

EFEMÉRIDENuno Frederico Correia da Silva Lobato Markl, humorista, escritor, radialista, apresentador de televisão, cartoonista e argumentista português, nasceu em Lisboa no dia 21 de Julho de 1971.
Na rádio, começou a ser conhecido em 1993 com a radionovela humorística “A Saga de Abílio que caiu da cerejeira”. Alcançou grande sucesso – poucos anos depois – com a rubrica de notícias bizarras “O Homem que Mordeu o Cão”, que deu origem a três livros, um programa de televisão e um espectáculo ao vivo com digressão nacional.
Entre os seus trabalhos para a rádio, destaque ainda para uma rubrica baseada nas suas experiências quotidianas, “Há Vida em Markl”, complementada por um cartoon semanal publicado pelo suplemento satírico “Inimigo Público” do jornal “Público”, e para uma outra rubrica sobre acontecimentos e objectos bizarros da década de 1980, “Caderneta de Cromos”, que deu origem a dois livros e a uma adaptação teatral.
Na televisão, trabalha como autor na agência criativa Produções Fictícias desde 1995, tendo participado igualmente como actor na série cómica “Os Contemporâneos”. Como autor e apresentador, participou em diversos programas na RTP, SIC Radical e Canal Q, sendo um dos apresentadores do talk show5 para a Meia-Noite” na RTP (até 2015).
No cinema, é conhecido sobretudo pela participação na dobragem de filmes de animação, tendo-se estreado como actor no filme “A Bela e o Paparazzo” (2010), de António-Pedro Vasconcelos.
Aos dez anos de idade, Markl já simulava a realização de programas de rádio em casa e, no final da década de 1980, começou a trabalhar numa estação pirata, “A Voz de Benfica”.
Com o desejo de entrar no mundo da rádio profissional, ingressou no curso de jornalismo do CENJOR em 1990. Após terminar o curso, trabalhou como jornalista na Correio da Manhã Rádio (1991/93) e na Rádio Comercial (1993/97), embora não fosse essa a sua vocação.
Na Correio da Manhã Rádio, Markl fez um programa chamado “Prok Der e Vier”. Após o fecho desta estação de rádio, passou para a Rádio Comercial. Graças ao seu trabalho, foi convidado a ingressar na agência criativa Produções Fictícias, onde com outros colaboradores escreveu sketches para os programas de televisão “Herman Zap” (1995/96), “Herman Enciclopédia” (1997), “Herman 98” (1998), “Herman 99” (1999), “Herman SIC” (2000), “Paraíso Filmes” (2001/02), “O Programa da Maria” (2002), “Hora H” (2007) e “Os Contemporâneos” (2008).
Em 1996, Markl fez dois programas para a Rádio Comercial, o “Sete e um” e o talk show nocturno “Dois em um”. Em 1997, após mudanças na direcção daquela estação, passou a trabalhar no “Programa da Manhã” com Pedro Ribeiro, Ana Lamy, José Carlos Malato e – mais tarde – Maria de Vasconcelos. O sucesso de “O Homem que Mordeu o Cão” levou ao lançamento – em 2002 – do primeiro de uma série de três livros com algumas das histórias das emissões de rádio, que vendeu mais de 100 000 exemplares e deu origem a um espectáculo semanal ao vivo no Teatro Villaret que posteriormente fez uma digressão nacional e foi adaptado à televisão (TVI).
Em 2002, Markl entrou para o recém-criado canal de televisão SIC Radical como comentador de cinema, trabalhando ao lado de Rui Pedro Tendinha no programa “Curto Circuito” e de Fernando Alvim no programa “CineXL”. Na SIC Radical e em parceria com Fernando Alvim, apresentou ainda os programas “O Perfeito Anormal” e “O Homem da Conspiração”.
Em 2003, passou para a rádio Antena 3, apresentando – no programa matinal “As Manhãs da 3” – as rubricas “Há Vida em Markl”, “O Livro dos Porquês” e “Coisas que Acontecem”. Criou ainda a radionovela “Perdidos no Éter” e foi co-autor do talk show de fim-de-semana “Nuno & Nando”, com Fernando Alvim.
Em 2008, traduziu a adaptou o espectáculo teatral “Os Melhores Sketches dos Monty Python”, protagonizado por José Pedro Gomes, António Feio, Miguel Guilherme, Bruno Nogueira e Jorge Mourato, inicialmente em cena no Casino Lisboa e que posteriormente fez uma tournée pelo país.
Em 2009, regressou ao “Programa da Manhã” da Rádio Comercial, onde criou o talk show de fim-de-semana “PAI – Programa Absolutamente Incrível” com Diogo Beja. Após a saída deste último e a entrada de Vasco Palmeirim, o programa passou a chamar-se “PRIMO – Programa Realmente Incrível Mas Obtuso”.
Em 2010, entrou para o recém-criado canal Q das Produções Fictícias, criando e apresentando o talk showShow Markl”. Para o mesmo canal, em 2012, criou e protagonizou – com Ana Galvão – a série “Felizes Para Sempre”.
Ainda em 2012, criou nova rubrica, a “Grandiosa História Universal das Traquitanas”, em que várias invenções mais ou menos importantes da história da Humanidade eram analisadas e parodiadas.
Tem recebido inúmeros prémios ao longo da sua carreira. Foi casado com a radialista e apresentadora Ana Galvão, de 2010 até Março de 2016, tendo-se separado por mútuo acordo. 
Em 2004, no âmbito das comemorações dos trinta anos da Revolução dos Cravos, foi uma das trinta personalidades a ser convidadas pelo então presidente da República Jorge Sampaio para um jantar no Palácio Nacional de Belém.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...