sábado, 30 de julho de 2016

30 DE JULHO - NICOLAU BREYNER

EFEMÉRIDE – João Nicolau de Mello Breyner Moreira Lopes, actor e realizador português, nasceu em Serpa no dia 30 de Julho de 1940. Morreu em Lisboa, em 14 de Março de 2016, vítima de ataque cardíaco.
Depois da infância em Serpa, onde nasceu no seio de uma família de proprietários agrícolas, mudou-se para Lisboa com os pais. Aprendeu Canto e integrou o coro da Juventude Musical Portuguesa, ao mesmo tempo que prosseguia os estudos, primeiro no Colégio Visconde de Castelões e depois no Liceu Camões. Ingressou seguidamente na Faculdade de Direito, com a ambição de se tornar diplomata. Depressa desistiu de Direito, optando por se diplomar no Conservatório Nacional, primeiro no curso de Canto e depois no de Teatro.
A sua estreia como actor aconteceu quando ainda frequentava o Conservatório. Sob a direcção de Ribeirinho, entrou na peça “Leonor Telles”, de Marcelino Mesquita, produzida pelo Teatro Nacional Popular, quando esta companhia estava instalada no Teatro da Trindade. Foi no entanto com a interpretação de papéis cómicos, ao lado de Laura Alves, que se tornou conhecido do grande público, revelando-se um dos mais bem sucedidos actores da sua geração. Em 2005, regressou ao teatro para interpretar o monólogo “Esta Noite Choveu Prata”, de Pedro Bloch, produzido por Sérgio de Azevedo.
Após o 25 de Abril de 1974, concebeu o seu primeiro programa televisivo – “Nicolau no País das Maravilhas”. Este programa tinha uma rábula chamada “Senhor Feliz e Senhor Contente, onde Nicolau lançou um jovem alemão aspirante a humorista, Herman José.
No princípio da década de 1980, surgiu como actor e simultaneamente como director de actores e co-autor do guião da primeira novela portuguesa, “Vila Faia” (1982). Seguiu-se a fundação da NBP Produções, hoje Plural Entertainment, a sua própria produtora de televisão, onde foi administrador, produtor e realizador, actividades que fizeram dele um verdadeiro precursor da indústria de ficção televisiva em Portugal.
Sem deixar a representação, concebeu as sitcomsEu Show Nico” e “Euronico”, participando noutras como actor (“Gente Fina é Outra Coisa”, “Nico D'Obra”, “Reformado e Mal Pago”, “Santos da Casa”)”, além de diversas séries (“Verão Quente”, “Conde D'Abranhos”, “A Ferreirinha”, “João Semana”, “Quando os Lobos Uivam”, “Pedro e Inês”, “Equador”) e novelas (“Fúria de Viver”, “Flor do Mar”, “Louco Amor”, “Jardins Proibidos”, “O Beijo do Escorpião”) etc.
Ao longo da sua carreira, participou em quase 50 filmes de realizadores de diversas gerações, como Augusto Fraga, Perdigão Queiroga, Henrique Campos, Herlander Peyroteo, Artur Semedo, Luís Galvão Teles, Fernando Lopes, António Pedro Vasconcelos, Joaquim Leitão, Leonel Vieira e João Botelho, entre outros. Uma das suas participações mais recentes (2013) foi no filme “Comboio Nocturno Para Lisboa”, adaptação do livro homónimo de Pascal Mercier. Pelas suas prestações no grande ecrã, recebeu três Globos de Ouro de Melhor Actor (um em 2003 e dois em 2004).
Em Junho de 2005, foi feito Grande-Oficial da Ordem do Mérito. Era primo da escritora Sophia de Mello Breyner Andresen. Foi casado quatro vezes, a última – desde 2006 – com Mafalda Gomes de Amorim Bessa.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...