sábado, 28 de janeiro de 2017

28 DE JANEIRO - ISMAIL KADARE

EFEMÉRIDEIsmail Kadare, escritor albanês, nasceu em Gjirokastër no dia 28 de Janeiro de 1936. Filho de um funcionário público, presenciou a devastação da Albânia pelas tropas que se digladiaram durante a Segunda Guerra Mundial, experiência que deixou marcas na sua vida e na sua obra.
Estudou História e Filologia na Universidade de Tirana e no Instituto Gorky de Literatura em Moscovo. Em 1960, a ruptura da Albânia com a União Soviética obrigou-o a volta à Albânia, onde iniciou a carreira de jornalista. Tinha, aliás, começado a escrever muito jovem, em meados dos anos 1950, mas sobretudo poesia. 
Em 1963, a publicação do seu primeiro romance, “O General da Armada Morta”, trouxe-lhe popularidade, primeiro na Albânia e depois no estrangeiro, graças à respectiva tradução em francês. As obras seguintes passaram a ser vendidas no mundo inteiro e foram traduzidas em mais de 30 línguas.
Sentindo-se ameaçado pelo regime albanês, exilou-se em França em Outubro de 1990. Actualmente, reparte a sua vida entre os dois países.
Tem ganho muitos prémios literários e foi nomeado diversas vezes para o Prémio Nobel de Literatura, aparecendo na lista dos favoritos. Em 1992, recebeu o Prémio Mundial Cino del Duca e, em 2005, o Prémio Internacional Man Booker. Em 2009, foi galardoado com o Prémio Príncipe de Astúrias das Letras e, em 2015, com o Prémio Jerusalém.
As opiniões divergem sobre se Kadare foi um dissidente ou um conformista durante o período comunista da Albânia. Em diversas ocasiões, Kadare refutou a ideia de ter sido dissidente. Argumentos podem ser esgrimidos em ambos os sentidos. A verdade é que ele era um escritor tolerado e foi mesmo deputado (1972/82) do regime de Enver Hoxha.
A sua obra, composta por novelas, romances, ensaios, poesia e peças de teatro, é reconhecida pelo público e pela crítica como uma trave mestra da literatura contemporânea.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...