terça-feira, 27 de janeiro de 2015

27 DE JANEIRO - GIOVANNI VERGA

EFEMÉRIDEGiovanni Carmelo Verga, escritor italiano, considerado o maior exponente da corrente literária Verismo, morreu na Catânia, Sicília, em 27 de Janeiro de 1922. Nascera em Vizzini no dia 2 de Setembro de 1840. Oriundo de uma família culta e de origem aristocrata, foi educado num ambiente aberto a ideias novas.
Começou por estudar Direito, mas sem grande convicção. Alistou-se depois na Guarda Nacional. Começou a escrever romances históricos e patrióticos. “I carbonari della montagna” (1861/62) é uma obra que descreve a luta dos carbonari da Calábria contra o despotismo napoleónico.
Em 1869, instalou-se em Florença, então capital do reino de Itália. Frequentou salões literários e conheceu muitos escritores. Uma paixão mal sucedida afastou-o do casamento. Dedicou-se então, por inteiro, à literatura.
Em 1872, deixou Florença e passou a residir em Milão, deslocando-se muitas vezes à Sicília. Descobriu Flaubert e o naturalismo francês, o que veio sacudir a sua concepção de literatura. O seu romance “Eva”, editado em 1873, teve grande sucesso, mas foi acusado de imoralidade.
Em 1878, começou um projecto ambicioso de ciclo romanesco: “I Vinti” (“Os Vencidos”). Dos cinco volumes previstos, escreveu porém apenas dois: “I Malavoglia” e “Mastro don Gesualdo”.
Além de romances, publicou várias novelas e peças de teatro. Aposentou-se ainda novo (1893) e faleceu com 81 anos.
A conhecida ópera “Cavalleria Rusticana”, inspirada numa das suas novelas e composta por Pietro Mascagni, contribuiu bastante para a difusão e a popularidade do Verismo. Luchino Visconti realizou também o filme “A terra treme”, que é baseado no romance “I Malavoglia”.
Em Julho de 2013, a polícia italiana encontrou finalmente 36 manuscritos e várias cartas e desenhos de Giovanni Verga, que se encontravam desaparecidos desde os anos 1930

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...