segunda-feira, 30 de novembro de 2015

30 DE NOVEMBRO - ANSUMANE MANÉ

EFEMÉRIDEAnsumane Mané, guerrilheiro do PAIGC (Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde), morreu na Guiné-Bissau em 30 de Novembro de 2000. Nascera na Gâmbia em 1940. Combateu durante a guerra da independência ao lado de Nino Vieira e apoiou-o quando ele tomou o poder em 1980 após um golpe de estado.
Foi chefe da Junta Militar que iniciou, em 7 de Junho de 1998, um levantamento militar que resultaria na demissão do presidente da República Nino Vieira, em 7 de Maio de 1999.
Este levantamento militar, que culminaria numa curta guerra civil, teve origem no descontentamento existente nas Forças Armadas. Como o próprio Ansumane Mané disse através da Rádio Bombolom, a revolta foi levada a cabo para se proteger, pois havia sido – na semana anterior – destituído do cargo de chefe de Estado Maior General das Forças Armadas, sob a alegação de que fazia contrabando de armas.
Depois de Nino Vieira ter sido destituído, Mané tornou-se provisoriamente chefe do Estado até 14 de Maio de 1999, data em que Malam Bacai Sanhá, presidente da Assembleia Popular Nacional, foi nomeado presidente da República interino.
A Junta Militar, dirigida por Mané, acatou a situação durante o período transitório antes de eleições, mas propôs vir a ter plenos poderes sobre o futuro governo durante um período de dez anos. A proposta foi posteriormente abandonada, devido à recusa de todos os partidos.
Kumba Yalá do Partido da Renovação Social (PRS) saiu vencedor das Presidenciais de 2000, apesar do apoio da Junta Militar ao candidato do PAIGC.
Ansumane Mané acabou por ser morto, juntamente com outros dois militares, durante uma troca de tiros com as forças governamentais na região de Biombo. Os três corpos apresentados na televisão do Estado foram considerados irreconhecíveis pela imprensa internacional. 

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...