segunda-feira, 14 de novembro de 2016

14 DE NOVEMBRO - ALEXANDRE NEVSKY

EFEMÉRIDEAlexandre Iaroslavitch Nevsky, grande líder da Rússia medieval, herói nacional que ajudou a preservar a identidade ortodoxa durante o período de incessantes ataques vindos de leste e de oeste, morreu em Gorodets no dia 14 de Novembro de 1263. Nascera em Pereslavl-Zalesski, em 30 de Maio de 1220. É considerado um santo pela Igreja Ortodoxa.
Em 1236, foi chamado pelos novgorodianos para se tornar o Kiaz' (príncipe) de Novgorod e, como líder militar da cidade, defender as terras do noroeste dos invasores suecos e alemães.
Após o desembarque do exército sueco na confluência dos rios Izhora e Neva, Alexandre e o seu pequeno exército atacaram repentinamente, em 15 de Julho de 1240, destruindo completamente o inimigo. A Batalha do Neva salvou a Rússia de uma invasão em larga escala pelo norte. Como resultado, Alexandre, com 19 anos, recebeu o nome de “Nevsky” (em russo, “do Neva”). A vitória fortaleceu a influência política de Nevsky mas, ao mesmo tempo, deteriorou a sua relação com os boiares. Alexandre saiu de Novgorod por causa deste desiderato.
Após a invasão da Rússia pelos Cavaleiros Teutónicos, as autoridades de Novgorod convocaram Alexandre Nevsky. Na Primavera de 1241, ele voltou do “exílio”, reuniu rapidamente um exército e expulsou os invasores. Muitos historiadores consideram o cerco de Kopor'ye e Pskov como um exemplo da sofisticada arte militar de sitiar fortalezas. Alexandre e os seus homens defrontaram a cavalaria teutónica, comandada por Hermann, irmão de Albert de Buxhoeveden, o Cristianizador Católico da Livónia. Nevsky enfrentou o inimigo sobre o gelo do lago Chudskoye e esmagou os Cavaleiros Teutónicos durante a Batalha do Lago Peipus em 5 de Abril de 1242. As tentativas germânicas de invadir a Rússia continuaram a ser frustradas durante muitos séculos.
A vitória de Alexandre foi um acontecimento significativo na história da Idade Média. A infantaria russa tinha cercado e derrotado um exército de cavaleiros montados e protegidos por armaduras pesadas, muito antes dos infantes do oeste europeu aprenderem a lutar contra cavaleiros. A grande vitória de Nevsky teria envolvido a morte de poucos cavaleiros e não as centenas indicadas por alguns historiadores. As primeiras batalhas medievais, mesmo as decisivas, foram disputadas por pequenas forças militares.
Nevsky continuou a fortalecer o noroeste russo. Despachou enviados para a Noruega e, como resultado, foi assinado um acordo de paz entre Novgorod e a Noruega, em 1251. Alexandre liderou seu exército até à Finlândia e derrotou os suecos, que tentavam novamente bloquear o mar Báltico russo (1256).
Nevsky era um político cauteloso, mas que enxergava longe. Ignorou as tentativas da Cúria Romana para provocar a guerra entre a Rússia e a Horda Dourada, pois entendia quão desnecessária seria uma guerra com os tártaros naquele momento, pois eles eram invencíveis. Historiadores divergem quanto ao comportamento de Alexandre em relação aos mongóis.
Provavelmente, ele sabia que as investidas católico/romanas eram uma ameaça mais tangível à identidade nacional russa do que o pagamento de tributo ao Khan, que não se imiscuía na religião nem na cultura russa. Talvez ele tenha mantido a Rússia vassala dos mongóis intencionalmente, para preservar a sua própria posição e evitar possíveis desafios à sua autoridade como príncipe.
Graças à amizade com o Grande Khan, Alexandre foi nomeado Grão Príncipe de Vladimir (supremo comandante russo) em 1252. Morreu uma década mais tarde.
No final do século XIII, foi compilada uma crónica intitulada “A Vida de Alexandre Nevsky”, na qual ele é descrito como um príncipe soldado ideal e defensor da Rússia. Em Maio de 1725, o czar criou a Ordem de Alexandre Nevsky, uma das mais altas condecorações militares. Durante a Grande Guerra Patriótica (1942), a Ordem de Alexandre Nevsky Soviética foi criada para reviver a memória da luta de Alexandre contra os alemães.
Sergei Eisenstein realizou em 1938 um dos seus melhores filmes, “Alexandre Nevsky”, relatando a vitória sobre os Cavaleiros Teutónicos. A banda sonora foi composta por Sergei Prokofiev, que também arranjou uma versão para concerto.
A veneração de Alexandre Nevsky como santo começou logo após a sua morte. Os restos mortais viriam a ser descobertos quando de uma visão religiosa, antes da Batalha de Kulikovo no ano de 1380, e o seu corpo estava intacto. Ele foi então glogificado (canonização na Igreja Ortodoxa) em 1547. Por ordem de Pedro, o Grande, o seu corpo foi trasladado para São Petersburgo em 1724.
A Catedral de Alexandre Nevsky, em Sófia, Bulgária, tem o seu nome, em homenagem aos soldados russos que morreram durante a Guerra Russo/Turca de 1877/78. Em, 2008, Nevsky foi considerado o russo mais popular da história da Rússia.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...