terça-feira, 29 de novembro de 2016

29 DE NOVEMBRO - HENRI FABRE

EFEMÉRIDE Henri Marie Léonce Fabre, engenheiro e aviador francês, nasceu em Marselha no dia 29 de Novembro de 1882. Morreu em Touvet, Isère, em 29 de Junho de 1984. Foi o primeiro piloto a realizar um voo de hidroavião, a bordo de Le Canard, uma sua invenção (1910).
Nasceu no seio de uma importante família de armadores de navios. Estudou num colégio jesuíta, em Marselha, licenciando-se depois em Ciências na Faculdade de Ciências de Marselha e em Engenharia na Escola Superior de Electricidade de Paris.
Dedicou-se seguidamente à concepção, ensaios e realização do seu hidro-aeroplano (a partir de 1913, designado por hidroavião), munido de três flutuadores, mas – devido ao excessivo peso – nunca chegou a levantar voo.
Com o apoio financeiro do pai, Fabre pôde fazer depois investigações sobre aerodinâmica, hidrodinâmica e flutuação, apoiando-se nos trabalhos de Forlanini, Crocco e Ricaldoni. Registou a patente de um sistema de aparelhos de flutuação, que utilizou quando descolou, com êxito, do lago Etang de Berre, um afluente das águas do Mar Mediterrâneo, aos comandos de um dos seus aparelhos designado por Le Canard, em Março de 1910. “Le Canard”, de 475Kg, possuía um motor Gnome, de 50Hp.
Naquele dia, perante um público numeroso, Fabre completou quatro voos, todos com sucesso, tendo o mais longo percorrido cerca de 800 metros antes de poisar na água. Era o primeiro aparelho no mundo a descolar autonomamente e a conseguir uma amaragem perfeita. Henri Fabre tornava-se, aos 27 anos, o incontestável construtor e primeiro piloto deste novo tipo de engenho volante. Henri empreendeu a sua comercialização e construiu vários exemplares.
Durante a 1ª Grande Guerra Mundial, Fabre fundou uma empresa, com cerca de 200 trabalhadores, especializada na construção de hidroaviões Tellier que, no entanto, não atingiu grande êxito. Depois da guerra, deixou de se dedicar à construção aeronáutica e passou a consagrar-se a outras áreas de engenharia, tendo inclusivamente inventado um barco dobrável que podia ser transportado dentro de um automóvel. 
Henri Fabre morreu aos 101 anos, sendo um dos pioneiros da aviação com maior longevidade. Foram erigidos dois monumentos comemorativos dos seus feitos, em La Mede e em Martigues. No centenário do primeiro voo em hidroavião, os Correios franceses emitiram também um selo alusivo ao acontecimento.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...