quarta-feira, 4 de abril de 2012

EFEMÉRIDEJosé Vítor dos Santos Peseiro, professor de educação física e treinador de futebol português, nasceu em Coruche no dia 4 de Abril de 1960.
Começou a sua carreira de treinador em 1992 no União de Santarém, clube que deixou em 1994, depois de ter conquistado o Campeonato Nacional da 3ª Divisão. Ingressou então no União de Montemor. Em 1996 deixou o Montemor, para ir treinar um histórico da cidade de Lisboa, o Oriental, no qual permaneceu dois anos, antes de se deslocar para a Madeira onde treinou o Nacional.
Foi no Nacional que começou a tornar-se mais notado, apresentando uma filosofia de jogo moderna, pouco vista em Portugal e que viria a dar resultados em 2000, ao conquistar o Campeonato Nacional da 2ªB, e em 2002, ao alcançar o 3º lugar na Segunda Liga, o que permitiu a ascensão do clube ao principal escalão do futebol profissional português.
Na época de 2003/2004, José Peseiro assumiu o cargo de treinador-adjunto de Carlos Queirós no Real Madrid, mas a aventura não foi bem sucedida, tendo durado apenas um ano.
Em 2004, regressou ao cargo de treinador principal em Portugal, num outro histórico lisboeta, o Sporting Clube de Portugal. Rotulado como um treinador da nova geração, sendo José Mourinho o “pai” dessa geração, Peseiro demonstrou-se ambicioso em conseguir grandes conquistas, o que – pese embora ter atingido a final da Taça UEFA – não viria a acontecer. O início da época seguinte foi decepcionante, perdendo a qualificação para a Liga dos Campeões Europeus num jogo contra a Udinese. Ainda que o campeonato não tenha começado mal para o Sporting, uma primeira derrota contra o Nacional, a que se seguiu novo desaire frente ao Vitória de Setúbal, antecipou uma série de maus resultados que viria a culminar com a sua saída. Embora tivesse prometido melhorias em relação ao encontro frente ao Vitória, o Sporting continuou com uma derrota no jogo seguinte, em casa, contra o Halmstads BK, ficando assim arredado da Taça UEFA e das competições europeias dessa época. Seguiram-se mais duas derrotas, contra o Paços de Ferreira, recém promovido à Primeira Liga, e contra a Académica de Coimbra, o que colocou o Sporting num surpreendente 7º lugar. Em Outubro de 2005, face ao desagrado claramente demonstrado pelos adeptos, o presidente Dias da Cunha aceitou a sua demissão.
Em Junho de 2007, assumiu o cargo de treinador do Panathinaikos da Grécia. Na apresentação, prometeu títulos, mas não o conseguiu, vindo a demitir-se em Maio de 2008. No mês seguinte, foi apresentado como treinador do Rapid Bucureşti, onde se manteve apenas até Outubro.
Em Fevereiro de 2009 e após a demissão de Nasser Al-Johar do comando da Selecção da Arábia Saudita, Peseiro foi anunciado como novo treinador, já com a fase de qualificação para o Mundial de 2010 em curso e com a selecção longe dos lugares de qualificação. Peseiro conseguiu no entanto alcandorar-se ao 2º lugar, que deu acesso ao Play off, em que jogou contra o Barém. Na 1ª mão empatou fora 0-0. Na segunda partida, apesar da superioridade demonstrada pela Arábia e da vantagem de 2 golos que teve durante uma boa parte do jogo, o Barém marcou a meio da 2ª parte e, no último segundo, quando os adeptos já festejavam o apuramento da Arábia, o Barém marcou de novo, fixando o resultado final num empate a 2, que o qualificou para a ultima eliminatória de Play off. Poderá dizer-se que Peseiro é um treinador sem sorte…

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...