segunda-feira, 30 de abril de 2012

O PORVIR

1
O porvir já vem traçado
Nas linhas da nossa mão,
Mas poderá ser moldado
                Se tivermos ambição.          (a)

2
O porvir é tão incerto
E o País não avança.
O longe só se faz perto,
Não perdendo a esperança!

3
O porvir só tem sentido
Para nós, simples mortais,
Porque há muito é sabido
Que vence quem luta mais!

4
O porvir a Deus pertence
Mas nós temos que lutar,
Porque só assim se vence
Os perigos que andam no ar.

5
O porvir será risonho,
Embora acabe na morte.
A vida é só um sonho,
Um jogo de azar e sorte!

Gabriel de Sousa


(a) – Menção Honrosa no 1º Concurso de 2012 do Clube da Simpatia – Olhão

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...