quarta-feira, 11 de abril de 2012

EFEMÉRIDEZeca Baleiro, de seu verdadeiro nome José Ribamar Coelho Santos, cantor, compositor, cronista e músico brasileiro, nasceu em Arari, no Maranhão, em 11 de Abril de 1966.
Zeca toca violão e já teve composições suas interpretadas por Simone, Gal Costa e Elba Ramalho, entre outros cantores.
Em 2011, publicou um livro de crónicas intitulado “Bala na agulha”. Actualmente, além da sua actividade musical, é colunista mensal da revista “Isto É”.
O nome José de Ribamar é uma homenagem a São José de Ribamar, santo dos maranhenses. O nome artístico – Baleiro – tem por origem o facto de gostar muito de doces, de tal modo que, quando estava na faculdade, costumava ter sempre “balas” (rebuçados) para consumir nos intervalos e repartir com os colegas. Antes de se dedicar exclusivamente à música, chegou a abrir uma loja de rebuçados, tortas e doces caseiros chamada “Fazdocinhá”, nome retirado de uma cantiga de roda tradicional.
Começou por compor melodias e músicas para peças de teatro infantil, onde se destacou pela qualidade das suas letras. Foi morar depois em São Paulo, onde fez vários shows e actuou em barzinhos e casas nocturnas.
Apesar da sua carreira musical ter começado doze anos antes de gravar o primeiro disco (1997), só deu o grande salto para a fama quando participou no Acústico MTV de Gal Costa, com a canção “Flor da Pele”, que lhe valeu projecção nacional. Nos anos seguintes, gravou mais cinco discos com a participação de outros cantores brasileiros, muitos dos quais são seus parceiros em composições, como Chico César, Arnaldo Antunes, Lenine e Zeca Pagodinho. A sua música tem por origem vários ritmos tradicionais brasileiros, como o samba, o pagode e o baião, com um modo muito peculiar de tocar violão.
Entre os prémios que conquistou, salientam-se: o Prémio APCA para o Melhor Cantor (1997) e o Premio SHARP para a Melhor Canção, o Melhor Disco e a Melhor Revelação (1997/1998).

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...