quinta-feira, 15 de maio de 2014

15 DE MAIO - MAX FRISCH



EFEMÉRIDEMax Frisch, arquitecto e escritor suíço de língua alemã, nasceu em Zurique no dia 15 de Maio de 1911.Morreu na mesma cidade em 4 de Abril de 1991, vítima de doença oncológica.
As obras literárias de Max Frisch são influenciadas sobretudo pelo existencialismo e por Brecht. Nos seus romances e peças de teatro, teve como temas principais os efeitos da sociedade moderna sobre os indivíduos, ao tratar das crises intelectual, moral e social do seu tempo. A ironia era uma das suas características mais significativas: «Pior que o ruído das botas, é o silêncio das pantufas» é uma célebre frase sua. Membro do Grupo Olten, é considerado um dos importantes escritores da língua alemã do pós-guerra.
Em 1930, começou os seus estudos em germanística na Universidade de Zurique, mas teve de os abandonar por razões financeiras devidas à morte do pai em 1933. Trabalhou então como correspondente do jornal “Neue Zürcher Zeitung”. Entre 1934 e 1936, fez várias viagens através da Europa de Leste e do Sudeste, indo pela primeira vez à Alemanha em 1935. O seu primeiro livro, “Jürg Reinhart: Eine sommerliche Schicksalsfahrt”, foi publicado em 1934.
De 1936 a 1941, estudou arquitectura na Escola Politécnica Federal de Zurique. Durante a Segunda Guerra Mundial, fez o serviço militar no exército suíço (1939/45).
O seu primeiro projecto de arquitectura concretizou-se em 1942, quando ganhou um concurso para a construção de uma piscina pública no centro de Zurique, a Letzigraben, rebaptizada depois Max-Frisch-Bad, tendo actualmente o estatuto de “monumento histórico”. Abriu então o seu próprio atelier de arquitectura.
Em 1947, conheceu pessoalmente Bertolt Brecht e Friedrich Dürrenmatt, que tiveram uma influência importante na sua produção literária. Em 1951, recebeu uma bolsa da Fundação Rockefeller, tendo passado um ano nos Estados Unidos. Em 1964, fechou o seu atelier para se dedicar exclusivamente à literatura. Em 1960, mudou-se para Roma, onde viveu durante cinco anos. Teve, ao longo da sua vida, várias relações amorosas e dois casamentos.
Max Frisch é cidadão de honra da vila de Berzona, na Suíça, localidade onde trabalhou durante vários anos e onde, em 1964, adquiriu uma casa que depois remodelou. Escreveu trinta livros (1934/90), tendo recebido o Prémio Georg-Büchner e o Prémio Charles Veillon em 1958. Em 1976, foi distinguido com o Prémio da Paz dos Livreiros Alemães.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...