quarta-feira, 16 de setembro de 2015

16 DE SETEMBRO - B. B. KING

EFEMÉRIDEB. B. King, de seu verdadeiro nome Riley Ben King, guitarrista, compositor e cantor de blues norte-americano, nasceu em Itta Bena no dia 16 de Setembro de 1925. Morreu em Las Vegas, em 14 de Maio de 2015. O “B. B.” antes do seu apelido significa Blues Boy, pseudónimo que utilizou como moderador de uma estação de rádio. É considerado, ao lado de Eric Clapton e Jimi Hendrix, um dos melhores guitarristas do mundo. Ao longo da sua carreira, foi distinguido com 15 prémios Grammy, tendo sido o criador de um estilo musical único e que fez dele um dos músicos mais respeitados e influentes, com direito ao epíteto de Rei dos Blues.
Era apreciado pelos seus solos, nos quais, ao contrário de muitos outros guitarristas, preferia usar poucas notas. Certa vez, B. B. King teria mesmo dito: «posso fazer uma nota valer por mil».
Nasceu numa fazenda de algodão, tendo uma infância difícil. Aos 9 anos, já vivia sozinho e colhia algodão para se sustentar. Cantou no coro Gospel de uma igreja baptista. Teria adquirido a sua primeira guitarra aos 12 anos. Começou por tocar, a troco de algumas moedas, chegando a actuar em quatro cidades diferentes aos sábados à noite, em igrejas e rádios locais.
Em 1947, partiu para Mênfis, apenas com sua guitarra e dois dólares e meio no bolso. A cidade, onde se cruzavam todos os músicos importantes do sul dos Estados Unidos, sustentava uma vasta e competitiva comunidade musical, em que todos os estilos negros eram ouvidos.
A primeira grande oportunidade da sua carreira surgiu em 1948, quando actuou no programa de rádio de Sonny Boy Williamson. Sucederam-se actuações fixas no Grill da Sixteenth Avenue e, mais tarde, um anúncio publicitário de 10 minutos na estação radiofónica WDIA.
Pouco depois do seu êxito “Three O'Clock Blues”, em 1951, B. B. King começou a fazer tournées nacionais sem parar, atingindo uma média de 275 concertos/ano. Só em 1956, ele e a sua banda fizeram 342 concertos. Desde pequenos cafés, teatros, salões de dança, clubes de jazz e de rock, grandes hotéis e salas para concertos sinfónicos, até aos mais prestigiados recintos nacionais e internacionais. B. B. King depressa se tornou o mais conceituado músico de blues dos últimos anos, a nível mundial.
O seu estilo inspirou muitos guitarristas de rock. Jimi Hendrix, Eric Clapton e George Harrison foram apenas alguns dos que seguiram a sua técnica como modelo.
Em 1969, foi escolhido para a abertura de 18 concertos dos Rolling Stones. Em 1970, fez uma tournée pelo Uganda, Nigéria e Libéria, com o patrocínio governamental dos Estados Unidos.
Começou a participar na maioria dos festivais de jazz por todo o mundo, incluindo o Newport Jazz Festival e o Kool Jazz Festival New York. A sua presença tornou-se regular em universidades e colégios.
Em 1989, fez uma digressão de três meses pela Austrália, Nova Zelândia, Japão, França, Alemanha Ocidental, Países Baixos e Irlanda, como convidado especial dos U2, participando igualmente no álbum “Rattle and Hum” deste grupo, com o tema “When Love Comes to Town”.
Em Julho de 1996, aproveitando ter um concerto agendado para Estugarda, deslocou-se de propósito de avião até à base aérea de Tuzla, para actuar perante tropas da Suécia, Rússia, Bélgica e Estados Unidos, estacionadas na Bósnia e Herzegovina num esforço conjunto de manutenção da paz. No dia seguinte, voou para a base aérea de Kapsjak, para nova actuação junto de tropas norte-americanas. B. B. King confessou então: «Foi emocionante actuar para estes homens e mulheres. Apreciamo-los e queremos que eles saibam que têm o nosso total apoio na sua árdua tarefa de manutenção da paz». Terminou 1996 com uma tournée pela América Latina, com concertos no México, Brasil, Chile, Argentina, Uruguai e, pela primeira vez, no Peru e Paraguai. O Rei dos Blues actuou no total em mais de 90 países.
No início de Abril de 2015, foi internado com uma desidratação causada por diabetes, doença com a qual convivia há mais de vinte anos. Tinha uma tournée marcada para 2015, mas teve que fazer desmarcar os respectivos shows. Morreu na madrugada de 14 de Maio, enquanto dormia. Tinha 89 anos de idade. O médico do músico declarou que o termo técnico para a causa da morte era demência vascular. A autópsia confirmou que B. B. King sofria de diabetes, da doença de Alzheimer e de problemas cardíacos.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...