sexta-feira, 18 de setembro de 2015

18 DE SETEMBRO - LUIZ GOES

EFEMÉRIDELuiz Goes, de seu nome completo Luís Fernando de Sousa Pires de Goes, médico, poeta, compositor e cantor português, morreu em Mafra no dia 18 de Setembro de 2012. Nascera em Coimbra, em 5 de Janeiro de 1933. É considerado um dos expoentes máximos da canção de Coimbra.
Por influência de um tio, começou muito cedo a interpretar canções de Coimbra. Aos catorze anos já cantava em público; na adolescência chegou a ser acompanhado por Artur Paredes, uma das maiores referências da guitarra portuguesa; e aos 19 anos gravou o seu primeiro disco.
Nos seus tempos de estudante, cruzou-se com muitas figuras ilustres, entre as quais José Afonso, Manuel Alegre, Miguel Torga, Bernardo Santareno e Yvette Centeno. Integrou o Orfeão de Coimbra, na categoria de barítono solista, tendo percorrido o Brasil integrado neste agrupamento. Participou também noutras formações académicas, nomeadamente no Teatro dos Estudantes da Universidade de Coimbra, na Tuna e no Coral da Faculdade de Letras.
No final da década de 1950, formou o Coimbra Quintet, juntamente com os músicos António Portugal, Jorge Godinho, Manuel Pepe e Levi Baptista, gravando o álbum “Serenata de Coimbra” (1957), que será – ainda hoje – o disco de música portuguesa mais vendido de todos os tempos. O grupo seria dissolvido mais tarde, em virtude da mobilização militar dos seus componentes. Em 1958, licenciou-se em Medicina na Universidade de Coimbra e exerceu a profissão de médico estomatologista até à sua reforma, em 2003. De 1963 a 1965, prestou serviço militar na Guiné, como Alferes Miliciano Médico, fixando depois residência em Lisboa.
Foi autor de 25 canções estróficas e 18 baladas, algumas delas com mensagens subliminares de oposição ao regime salazarista.
Entre outros espectáculos de grande relevo, destacam-se as suas actuações no Congresso da Cultura da Língua Portuguesa na Universidade de Georgetown (Estados Unidos), no aniversário das Nações Unidas (Suíça) e na homenagem a Beethoven (Áustria). Isto, além de participações em programas televisivos em diversos países (Portugal, Brasil, Espanha, França, Suécia, Áustria, Estados Unidos e África do Sul).
Em 1998, foi editado o livro “Luiz Goes de Ontem e de Hoje”, da autoria de Carlos Carranca. Em 2003, a editora Emi-Valentim de Carvalho lançou uma caixa de quatro CDs com a sua obra completa.
Luiz Goes defendeu sempre que não existia um fado, mas sim uma canção de Coimbra. Foi condecorado com a Ordem do Infante Dom Henrique, no grau de Grande Oficial (Junho de 1994), com a Medalha de Ouro da cidade de Coimbra (Julho de 1998), com a Medalha de Mérito Cultural da Câmara Municipal de Cascais e com o Prémio Amália Rodrigues 2005.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...