domingo, 14 de fevereiro de 2016

14 DE FEVEREIRO - YANG XINHAI

EFEMÉRIDEYang Xinhai, assassino em série chinês, morreu na prisão de Henan em 14 de Fevereiro de 2004. Nascera em Zhumadian no dia 29 de Julho de 1968. Confessou ter cometido 65 assassinatos entre 1999 e 2003, sendo condenado à morte e executado. Nos meios de comunicação social, era chamado “o monstro assassino”.
Oriundo de uma família extremamente pobre, Yang era o mais pequeno de quatro irmãos e o mais introvertido. Deixou a escola em 1985, com 17 anos, e negou-se a voltar para casa, dedicando-se a viajar pela China e a receber algum dinheiro ou comida como “trabalhador de aluguer”.
Em 1988 e 1991, foi condenado a trabalhos para a comunidade por ter sido apanhado a roubar. Em 1996, foi sentenciado a cinco anos de prisão por tentativa de violação, sendo libertado em 1999.
Os assassinatos que cometeu tiveram lugar entre 1999 e 2003, nas províncias de Anhui, Hebei, Henan e Shandong. Quando chegava a noite, entrava na casa da vítima escolhida e matava todos os ocupantes da moradia. Com machadadas, à martelada ou à pazada. Por vezes, matava famílias inteiras.
Em Outubro de 2002, matou um homem e a sua filha de seis anos de idade, com uma pá, e violou uma mulher grávida que veio a sobreviveu mas com graves lesões. Foi detido em Novembro de 2003. Pouco depois de ser preso, confessou o assassinato de 65 pessoas, 23 violações e cinco agressões que provocaram sérios danos físicos às vítimas. A polícia também encontrou o seu ADN em várias cenas dos crimes.
Em Fevereiro de 2004, foi declarado culpado de 67 assassinatos e 23 violações, sendo sentenciado à pena capital. Foi executado com um tiro na nuca. Não mostrou nenhuns remorsos pelos seus actos, afirmando mesmo: «Quando matava essas pessoas, ficava com vontade de matar ainda mais. Se eles mereciam ou não a morte, não me interessa. Não tenho vontade nenhuma de fazer parte desta sociedade.».  

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...