sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

26 DE FEVEREIRO - MARIA CREUZA

EFEMÉRIDEMaria Creuza Silva Lima, cantora brasileira, nasceu em Esplanada (Baía) no dia 26 de Fevereiro de 1944.
Quando tinha dois anos de idade, a família mudou-se para Salvador. Ainda adolescente, foi convidada para se apresentar em programas de rádio. Gravou também músicas em inglês, contratada por uma gravadora local. Durante quatro anos, apresentou o programa “Encontro com Maria Creuza”, na TV Itapoan.
Em 1966, interpretou a canção “Se Não Houvesse Maria” num festival da extinta TV Excelsior. No ano seguinte, defendeu “Festa no Terreiro de Alaketu” no III Festival de Música Popular Brasileira, da TV Record. Em 1969, a canção “Mirante” deu a Maria Creuza o prémio de Melhor Intérprete e o terceiro lugar no IV Festival Universitário da Canção Popular, no Rio de Janeiro. Naquele mesmo ano, Creuza interpretou ainda “Catendê” no V Festival da Música Popular Brasileira (TV Record).
Em 1970, foi convidada por Vinicius de Moraes para participar numa tournée pelo Uruguai (em Punta del Este, com Dorival Caymmi) e Argentina (em Mar del Plata, com Toquinho). Na Argentina, gravou com o poeta e Toquinho o álbum “Vinicius En La Fusa com Maria Creuza e Toquinho”, um dos melhores LPs de música brasileira gravados ao vivo. Do seu repertório, Maria Creuza interpretou, entre outras canções, “Garota de Ipanema” e “Lamento no Morro” (de Tom Jobim e Vinicius de Moraes), “Samba em Prelúdio” (de Vinicius e Baden Powell) e “Minha Namorada” (de Vinicius e Carlos Lyra). No ano seguinte, gravou um dos seus melhores álbuns, “Yo... Maria Creuza”. Em 1972, lançou – com Vinicius e Toquinho – o álbum “Eu sei que vou te amar”, fazendo uma tournée por França e Itália.
Em 1974, foi lançado o seu álbum “Sessão Nostalgia” e participou no II Festival Mundial de Música Popular, em Tóquio, com a canção “Que diacho de dor”, premiada com o segundo lugar. Em 1975, foi lançado o disco “Maria Creuza e os grandes mestres do samba”.
Em 1977, participou da banda sonora do filme “Os pastores da noite”, lançada posteriormente em LP. No ano seguinte, foi editado o disco “Doce veneno”. Na década de 1980, lançou vários álbuns, incluindo “Poético” dedicado a Vinicius de Moraes.
Em 1991, gravou “Todo sentimento”, álbum que incluía “Na baixa do sapateiro” de Ary Barroso. Em Dezembro de 1998, integrou o elenco de cantores que apresentou, no auditório da Academia Brasileira de Letras, as “14 Canções do Século, escolhidas pela crítica especializada do Rio de Janeiro e de São Paulo para celebrar o centenário da Academia.
Em 2001, foram reeditados os seus LPs “Eu disse adeus” (1973) e “Poético” (1982). Em 2006, foi lançado o álbum “Maria Creuza Ao Vivo”, gravado no Teatro Guaíra, de Curitiba. Actualmente, Maria Creuza canta ainda, pontualmente, no Vinicius Bar (Rio de Janeiro).

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...