sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

19 DE FEVEREIRO - STANLEY KRAMER

EFEMÉRIDEStanley Earl Kramer, produtor e realizador de cinema norte-americano, morreu em Woodland Hills no dia 19 de Fevereiro de 2001. Nascera em Nova Iorque, em 29 de Setembro de 1913. Os seus filmes foram nomeados e venceram vários Oscars, ganhando ainda 23 prémios e recebendo mais de 21 nomeações para outros prémios de cinema. Foi descrito pelo realizador Steven Spielberg como «um dos maiores cineastas, não só pela arte e paixão que colocou nos seus filmes, mas também pelo impacto que teve na consciência do Mundo».
Kramer viveu com uma avó no bairro de Manhattan. Desde jovem, teve conexões com a indústria cinematográfica: um tio trabalhou na distribuição da Universal Pictures e depois como agente em Hollywood e a mãe foi secretária na Paramount Pictures.
Estudou na DeWitt Clinton High School no Bronx e na New York University. No último ano da universidade, foi-lhe oferecido um estágio pago no departamento de redacção da 20th Century Fox. Kramer aceitou o trabalho, apesar de originalmente ter planeado seguir a carreira de advogado.
Em 1941, foi assistente de produção nos filmes “The Moon and Sixpence” e “So Ends Our Night”. Dois anos depois, foi mobilizado para o exército, mas evitou a ida para a guerra trabalhando na unidade de filmagens do exército em Nova Iorque. Em 1948, co-fundou uma pequena empresa produtora, a Screen Plays Inc.
Foi como produtor que começou a ser reconhecido pelo seu talento. Apesar do primeiro filme produzido pela empresa, em 1948, ter sido um fracasso, o filme seguinte (”Champion”) – protagonizado por Kirk Douglas – foi um sucesso. O filme teve seis nomeações para os Oscars, tendo recebido o de Melhor Edição
Nos anos seguintes, Kramer produziu – entre outros filmes – “Home of the Brave” (1949), outro grande sucesso. Em 1950, produziu “The Men”, que foi a estreia de Marlon Brando no cinema.
Um ano depois, a Columbia Pictures ofereceu-lhe a oportunidade de fazer filmes para o seu estúdio. Enquanto decidia se aceitava ou não aquele trabalho, Kramer passou o resto daquele ano a concluir o seu último filme para a sua produtora independente, “High Noon”, um western dramático realizado por Fred Zinnemann. O filme foi bem recebido, ganhando quatro Oscars em sete nomeações. Em 1999, o American Film Institute colocou este filme na lista dos 100 Maiores Filmes Americanos de todos os tempos (33º lugar).
Depois de produzir “The Caine Mutiny”, Kramer deixou a Columbia e reassumiu a sua produção independente mas, desta vez, ocupando também o cargo de realizador. Felizmente para Kramer, conseguiu escapar da Lista Negra de Hollywood, que afectou a carreira de muitos membros da indústria cinematográfica durante o Macartismo, apesar de ser bem conhecido pelos seus pontos de vista liberais e pelo seu gosto em produzir e realizar filmes com temas controversos.
Em 1963, contrastando com o género de filmes anteriores, produziu e realizou uma comédia chamada “It's a Mad, Mad, Mad, Mad World”. Quatro anos depois, em 1967, Kramer fez “Guess Who's Coming to Dinner”, outro dos seus filmes a constar da lista dos 100 Maiores Filmes Americanos de todos os tempos (99ª posição). O filme, protagonizado por Sidney Poitier e Katharine Hepburn, foi o último trabalho do actor Spencer Tracy no cinema e constituiu mais um grande sucesso, com oito nomeações para os Oscars, tendo sido galardoado com os de Melhor Actriz e Melhor Guião.
Em 1997, Kramer publicou a sua autobiografia, intitulada “A Mad Mad Mad Mad World: A Life in Hollywood”. Faleceu quatro anos depois, vítima de pneumonia. Tem, desde 1960, uma estrela no Hollywood Walk of Fame

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...