terça-feira, 16 de maio de 2017

16 DE MAIO - FELICIA HEMANS

EFEMÉRIDEFelicia Dorothea Browne Hemans, poetisa inglesa, morreu em Dublin no dia 16 de Maio de 1835. Nascera em Liverpool, em 25 de Setembro de 1793.
Era neta do cônsul veneziano em Liverpool. Os negócios do pai levaram a família para Denbighshire, no norte do País de Gales, onde passou a juventude. Construíram uma casa perto de Abergele e St Asaph. Felicia veio a considerar-se galesa por adopção.
Os seus primeiros poemas, dedicados ao príncipe de Gales, foram publicados em Liverpool (1808), quando tinha apenas catorze anos, despertando o interesse do poeta Percy Bysshe Shelley, que chegou a corresponder-se com ela. Escreveu seguidamente “England and Spain” (1808) e “The domestic affections”, publicado em 1812, ano do seu casamento com o capitão Alfred Hemans, um oficial do exército irlandês, alguns anos mais velho do que ela. O casamento fez com que tivesse de deixar o País de Gales, para ir viver em Daventry, até 1814.
Durante os primeiros seis anos de matrimónio, Felicia deu à luz cinco filhos, separando-se em seguida. O casamento, contudo, não a impediu de continuar a sua carreira literária, com a publicação de vários volumes de poesia, como “The Restoration of the works of art to Italy” (1816) e “Modern Greece” (1817). “Tales and historic scenes” foi uma recolha lançada em 1819.
As suas principais recolhas de poemas, entre elas “The Forest Sanctuary” (1825), “Records of Woman” (1828) e “Songs of the Affections” (1830), foram muito populares, especialmente entre os leitores do sexo feminino. De 1831 em diante, morou em Dublin, onde o irmão mais novo se tinha estabelecido. Os seus últimos livros foram: “Scenes and Hymns of Life” e “National Lyrics and Songs for Music”.
Era então já uma figura literária bem conhecida, altamente considerada pelos seus contemporâneos e igualmente com grande adesão popular nos Estados Unidos. Quando morreu, vítima de edema, os poetas Wordsworth e Walter Savage Landor escreveram versos memoriais em sua homenagem.
Para as poetisas da sua época, britânicas, norte-americanas e europeias, ela foi um valioso modelo. Para muitos leitores, Hemans foi uma voz de mulher confidenciando um julgamento das mulheres. Entre as obras que ela mais valorizou, estão o inacabado “Superstition and Revelation” e o panfleto “The Sceptic”, que buscou um anglicanismo mais sintonizado com as religiões do mundo e as experiências das mulheres. No seu livro de maior sucesso, “Records of Woman”, Felicia narra a vida de mulheres, famosas e anónimas.
Alguns dos seus poemas foram considerados moralmente exemplares e, mais tarde, aconselhados às crianças em idade escolar, mesmo nos Estados Unidos. Como consequência, em certos meios, ela passou a ser vista como uma poetisa para crianças, ao invés de ser considerada na totalidade dos seus trabalhos literários.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...