terça-feira, 22 de outubro de 2013

22 DE OUTUBRO - TIMOTHY LEARY



EFEMÉRIDETimothy Francis Leary, professor, psicólogo, neurocientista, escritor, futurista e libertário norte-americano, ícone dos anos 1960 e do hedonismo, nasceu em Springfield no dia 22 de Outubro de 1920. Morreu em Beverly Hills, em 31 de Maio de 1996. Ficou famoso por ser um defensor dos benefícios terapêuticos e espirituais do LSD, uma substância psicadélica. Era amigo pessoal de John Lennon. A canção “Come Together” dos Beatles foi inspirada nele.
Estudou no College of the Holy Cross, em Worcester, mas reagia mal à disciplina dos jesuítas. Frequentou depois a Academia Militar de West Point, sendo expulso ao fim de 18 meses. Licenciou-se em Psicologia na Universidade de Alabama em 1943, doutorando-se na Universidade de Berkeley em 1950. Foi professor auxiliar em Berkeley de 1950 a 1955 e, seguidamente, director de pesquisas da Fundação Kaiser (1955/58) e professor e conferencista em psicologia na Universidade Harvard (1959/63).
De férias no México, consumiu cogumelos halucinogénicos, uma experiência que mudaria radicalmente o curso da sua vida. Logo que voltou a Harvard, começou as pesquisas, juntamente com os estudantes, sobre o efeito do LSD. Afirmava ele que esta substância, correctamente doseada, de preferência sob orientação de um profissional, poderia modificar radicalmente o comportamento. Ele tinha por finalidade, encontrar – graças à exposição da consciência – os melhores tratamentos para o alcoolismo, para a reabilitação de criminosos e para a dinamização da libido. Foi expulso de Harvard em 1963, após ter promovido uma experiência psicotrópica com uma turma inteira de estudantes de psicologia (com o consentimento destes, naturalmente).
Prosseguiu então os seus trabalhos em Nova Iorque. Era vigiado pelo FBI e acabou por estar preso durante vários anos por «detenção de droga». Ao entrar na prisão, teve de fazer testes psicológicos standards, aplicados aos detidos para a atribuição de tarefas. Tendo sido ele quem criara aqueles testes, deu respostas que o predispuseram para trabalhar no jardim da prisão, de onde – em 1970 – a Weather Underground Organization, um movimento de esquerda radical, o ajudou a evadir.
Deixou clandestinamente os Estados Unidos com destino à Argélia. O seu plano era refugiar-se em companhia do “pantera negra” Eldridge Cleaver.  Foi uma má ideia, pois Eldridge tentou tomá-lo como refém. Conseguiu fugir para a Suíça. Acabou por ser novamente detido por agentes do governo americano, agora no Afeganistão, e extraditado para os USA em 1974, sendo libertado dois anos depois.
Mais tarde, a administração americana fez do professor Leary um bode expiatório na sua luta contra a contracultura, que abundava nessa época, encarcerando-o mais uma vez pela sua veemente posição contra a proibição do LSD.
Nos anos 1980, fascinado pelos computadores, Leary dedicou-se a este novo mundo e teve imenso sucesso. Criou softwares de design e continuou a escrever livros e a fazer conferências. Embora o seu interesse principal fosse então a tecnologia, era ainda reconhecido como o guru do LSD.
Nos meses que antecederam a sua morte, em consequência de um cancro da prostata inoperável, escreveu um livro chamado “Projecto para morrer”, uma tentativa de mostrar às pessoas uma nova perspectiva da morte e do morrer. As suas últimas palavras foram «Why not?» (Porque não?).
Timothy Leary faleceu, aos 75 anos, na sua própria cama, rodeado de amigos. De acordo com o seu desejo, a cabeça foi retirada do corpo e congelada. O restante foi cremado e, em Outubro de 1996, sete gramas das suas cinzas foram transportadas pela nave espacial “Pegasus” e libertadas no espaço, juntamente com as de outros cientistas.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...