sexta-feira, 25 de outubro de 2013

25 DE OUTUBRO - RICHARD BYRD



EFEMÉRIDERichard Evelyn Byrd, contra-almirante, aviador e explorador polar norte-americano, nasceu em Winchester no dia 25 de Outubro de 1888. Morreu em Boston, em 11 de Março de 1957.
Cursou, a partir de 1912, a Academia Naval dos Estados Unidos em Annapolis, obtendo o seu brevet de aviador em 1916. Frequentou a Escola de Voo da Marinha e, no final da Primeira Grande Guerra, comandou uma unidade aérea na Nova Escócia.
Iniciou as actividades que o tornariam famoso, com a expedição de D. B. MacMillan à Groenlândia em 1924 e sobrevoou o Pólo Norte com o piloto Floyd Bennett em 1926.
Alcançou o seu maior prestígio quando organizou uma expedição científica de exploração da Antárctica, nas proximidades do Pólo Sul. Passou o Inverno a voar e a identificar vários pontos do território e, em 1928, fundou a base Little America, na Baía das Baleias. Pilotado por Bernt Balchen, voou sobre o Pólo Sul em 1929 e as experiências e conhecimentos adquiridos permitiram-lhe fazer depois outras viagens ao continente Antárctico.
Em 1930, já almirante, voltou à Antárctica, comandando uma expedição de 50 homens e, entre 1933 e 1934, fez vários sobrevoos do continente e diversas experiências meteorológicos e geológicas. Na sequência disto, e visando estudos meteorológicos, permaneceu cinco meses sozinho numa tenda, a 198 km a sul da base Little America. Passou ali a longa noite polar e a experiência foi descrita no seu livro “Sozinho” (“Alone”).
Participou, como piloto de guerra, na Segunda Guerra Mundial, na Europa e no Pacífico. Em 1946, comandou outra grande expedição, com quatro mil homens e muitos recursos materiais. Mapeou o continente gelado e procurou minerais, entre eles o urânio.
Entre 1946 e 1947, organizou a operação High Jump, durante a qual descobriu e cartografou 1 390 000 km² de território antárctico. Em 1955, realizou a expedição Deep Freeze, também na Antárctica, tendo voado pela última vez sobre o Pólo em 1956.
Em 1927, Byrd chegara a competir com Charles Lindbergh para fazer a primeira travessia do Atlântico Norte, mas um acidente que feriu o seu piloto Floyd Bennett impediu-o de continuar. Porém, ainda nesse mesmo ano, com Balchen como piloto, completou a travessia Nova Iorque – Normandia. Recebeu, ao longo da sua carreira, diversas medalhas e honrarias por heroísmo em combate e pelas suas expedições e descobertas.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...