quinta-feira, 24 de outubro de 2013

24 DE OUTUBRO - DELMIRA AGUSTINI



EFEMÉRIDEDelmira Agustini, poetisa e militante feminista uruguaia, nasceu em Montevideu no dia 24 de Outubro de 1886. Morreu na mesma cidade em 6 de Julho de 1914.
Com origem italiana, o pai era uruguaio e a mãe argentina. Começou a escrever poesia aos dez anos de idade, estudando também francês, música e pintura.
Colaborou nas revistas “La Alborada” e “Apolo”. Fez parte da chamada Geração de 1900, juntamente com outros escritores latino-americanos, como Julio Herrera y Reissig, Horacio Quiroga, Leopoldo Lugones e Rubén Darío. Delmira considerava Rubén Darío como o seu grande mestre. Ele, por sua vez, chegou a compará-la a Santa Teresa, dizendo que Delmira era a única, desde a Santa, a expressar-se como Mulher.
Agustini especializou-se na sexualidade feminina, numa época em que o mundo estava dominado pelos homens. Eros, o deus do amor, foi a fonte de inspiração para muitos dos seus poemas. A sua terceira obra, “Los cálices vacíos” (1913), foi mesmo dedicada a Eros e veio consagrar a sua pertença ao movimento literário Vanguarda Modernista, no seio do movimento feminista do século XX.
Em Agosto de 1913, casou-se com Enrique Job Reyes. Devido a inúmeras desavenças, Delmira abandonou-o um mês e meio depois, divorciando-se em Junho de 1914. Em Julho do mesmo ano, foi assassinada pelo ex-marido, que se suicidou em seguida. Acabava assim, prematuramente, uma carreira literária da qual havia muito ainda a esperar.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...