quarta-feira, 20 de junho de 2012

EFEMÉRIDEErrol Leslie Thomson Flynn, actor australiano, naturalizado norte-americano em 1942, nasceu em Hobart no dia 20 de Junho de 1909. Morreu em Vancouver, em 14 de Outubro de 1959.
Frequentou a Sydney Church of England Grammar School, de onde foi expulso por lutar e alegadamente ter tido relações sexuais com uma funcionária da lavandaria da escola. Tal como nos seus filmes, a vida de Errol Flynn foi uma grande aventura. Foi expulso de vários colégios que frequentou na Austrália e em Inglaterra, conseguiu o primeiro emprego numa companhia de navegação em Sydney e trabalhou numa repartição do governo. Aos 20 anos, comprou um velho barco que baptizou de “Sirocco”, empreendendo uma viagem de sete meses para a Nova Guiné. Esta aventura serviria de assunto para o seu primeiro livro, “Beam Ends”, publicado em 1937. Estabeleceu-se numa plantação de tabaco em Laioki e passou a escrever alguns artigos para o “Sydney Bulletin”.
Ao ver fotografias suas, o realizador e produtor australiano Charles Chauvel ofereceu-lhe um papel no filme “In the Wake of the Bounty” de 1933.
Flynn rumou depois para o Reino Unido e entrou para a Northampton Repertory Company, no Royal Theatre, onde actuou durante sete meses adquirindo experiência teatral. Em Teddington, trabalhou para a Warner Brothers, protagonizando “Murder at Monte Carlo” de 1935. A Warner ofereceu-lhe um contrato e Flynn partiu para os Estados Unidos.
A primeira oportunidade de Flynn foi em “The Case of Curious Bride” de 1935. Flynn apareceu apenas em duas cenas, sem pronunciar uma única palavra. Terminado o filme, iniciou um romance com a actriz francesa Lili Damita, com quem se casou.
Com o advento dos filmes de aventuras, a Warner Brothers comprou os direitos de “Captain Blood” e o realizador Michael Curtiz resolveu fazer um teste com Flynn, que acabou por ganhar o papel. Ao seu lado, uma outra novata, Olivia de Havilland. O filme marcou o início da colaboração Curtiz-Flynn, que se estenderia por dez filmes até 1941.
Em 1938, “As Aventuras de Robin Hood”, com uma interpretação inesquecível de Errol Flynn, marcou de maneira indelével a sua carreira.
Após uma vida aventureira, com dezenas de filmes e muitos sucessos, os anos 1950 viram o início do seu declínio artístico.
Voltou a Hollywood, ressurgindo ainda em vários filmes entre 1957 e 1959. Faleceu aos 50 anos, vítima de ataque cardíaco e de problemas relacionados com o alcoolismo e o uso de drogas.
Boémio, Flynn casou-se três vezes, teve várias namoradas e quatro filhos. Foi acusado de estupro em 1942 e foi levado a julgamento, sem ter sido condenado mas vendo abalada a sua popularidade.
Um dos seus filhos (Sean), fotojornalista, desapareceu juntamente com outros jornalistas em 1970, durante a guerra do Vietname. Presume-se que tenha sido capturado e morto, quando da invasão do Camboja.
Errol Flynn escreveu ainda um romance de aventuras, “Showdown”, editado em 1946. A sua autobiografia, “My Wicked, Wicked Ways”, foi publicada logo após a sua morte e contém histórias deliciosas e humorísticas da vida em Hollywood.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...