segunda-feira, 25 de novembro de 2013

LÁGRIMA



LÁGRIMA 

 Ouço o sussurro de cada onda,
Que vem beijar docemente
A nossa praia,
E escondo discretamente
As pequenas medusas
Receando que, ao vê-las,
Te possas amedrontar.
Tu és quem,
Pela ordem natural das coisas,
De mim mais tempo te vais recordar.
Asseguro que no instante final
Partirei pensando em ti.
Quererei sentir, apenas e só,
A dor de te deixar
E ela valerá por todas as outras.
Imagina nesse momento
Que fui apenas um balão,
Afastando-se…
Cada vez mais pequeno,
Até desaparecer no azul infinito.
Fui apenas um sonho que acabou,
Um incêndio que se apagou,
Uma gota de água que se evaporou,
Uma pérola que se estilhaçou,
Uma lágrima que secou.
Relembra o teu avô, sobretudo,
Como alguém
Que intensamente te amou.

Gabriel de Sousa

NB - 2º Prémio nos XXI Jogos Florais do Outono – 2013 – Monforte

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...