terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

24 DE FEVEREIRO - OSMAN HAMDI BEY

EFEMÉRIDEOsman Hamdi Bey, pintor e arqueólogo turco, morreu na ilha de Galatasaray em 24 de Fevereiro de 1910. Nascera em Istambul no dia 30 de Dezembro de 1842. Fundador do Museu Arqueológico e da Academia de Belas Artes de Istambul, ele foi um dos mais famosos artistas orientais do século XIX.
Filho de um engenheiro e político de cultura ocidental, Osman mostrou desde muito novo o seu interesse pelas artes, sobretudo desenho e pintura. Frequentou a escola pública de Beşiktaş e, a partir de 1856, a Faculdade de Direito de Constantinopla. Em 1860, o pai enviou-o para Paris a fim de aperfeiçoar os seus estudos jurídicos e, sobretudo, para que começasse a absorver a cultura ocidental.
Na capital francesa, aproveitou para aprofundar a sua técnica de pintura, estudando sob a direcção de Jean-Léon Gérôme, Louis Boulanger e Fausto Zonaro.
Em 1864, casou com uma senhora francesa da qual teve duas filhas. O casamento duraria uma dezena de anos. Em 1873, quando de uma feira internacional em Viena, conheceu uma outra francesa, esta com apenas dezassete anos. Casaram e tiveram quatro filhas.
Terminados os estudos, Osman Hamdi regressara à Turquia em 1869 e foi recrutado para os serviços diplomáticos do Império Otomano, como responsável dos assuntos protocolares do Palácio e dos Negócios Estrangeiros para a província otomana de Bagdade. Foi por esta época que começou a apaixonar-se pela História e Arqueologia.
Dirigiu ele próprio as primeiras pesquisas de antiguidades e as primeiras escavações arqueológicas, à frente de equipas turcas vindas do Líbano. Puseram assim à luz do dia vários sarcófagos, que são ainda hoje considerados autênticas maravilhas da arqueologia.
Para dotar todos os achados de um local de conservação e de apresentação ao público, fundou em 1881 um museu arqueológico, que abriria as suas portas em 1891. Osman foi o primeiro director.
Em 1883, fez construir – justamente em frente do museu – o Instituto das Belas Artes, que foi a primeira instituição turca consagrada às artes contemporâneas.
Osman possuía um amplo atelier, onde recebia pintores estrangeiros que vinham à Turquia procurar conhecer o Oriente. Entre eles, acolheu o pintor francês Max Leenhardt, ao qual fez descobrir a cultura otomana e a luminosidade extraordinária do Bósforo. O atelier, após a sua morte, tornou-se propriedade do Estado, sendo – desde 1987 – o Museu Osman Hamdi Bey evi.
Podem ali ser vistos objectos pessoais de Osman e cópias dos seus quadros, visto que os originais, quase na sua totalidade, fazem parte de colecções privadas ou de vários museus mundiais.
O seu quadro mais famoso é “O treinador de tartarugas”, pintado em 1906 e vendido em Dezembro de 2004 por cerca de 3,5 milhões de dólares, recorde para uma obra de um artista turco. 

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...