sábado, 28 de fevereiro de 2015

28 DE FEVEREIRO - SAUL ZAENTZ

EFEMÉRIDESaul Zaentz, executivo musical e produtor de cinema norte-americano, nasceu em Passaic, Nova Jersey, em 28 de Fevereiro de 1921. Morreu em São Francisco no dia 3 de Janeiro de 2014. Venceu o Oscar de Melhor Filme por três vezes e recebeu o Prémio Memorial Irving G. Thalberg em 1997.
Era descendente de refugiados judeus de países do leste europeu, sobretudo da Polónia. Deixou o domicílio familiar aos quinze anos e sobreviveu desempenhando pequenos ofícios.
Quando da Segunda Guerra Mundial, alistou-se no exército. No final do conflito, estudou durante um semestre a Criação de Animais na Universidade Rutgers. Depois de ter trabalhado algumas semanas numa herdade, voltou à Universidade, passando dois anos a estudar Gestão de Empresas.
Em 1950, estabeleceu-se em São Francisco e começou a trabalhar para o produtor musical Norman Granz, organizando concertos e viajando pelo país juntamente com músicos como Duke Ellington, Dave Brubeck, Gerry Mulligan e Stan Getz.
Em 1955, entrou para a Fantasy Records, onde foi vendedor e gerente durante mais de dez anos. Em 1967, Zaentz e um grupo de investidores compraram a Fantasy, transformando-a na maior empresa discográficas de jazz do mundo.
Depois do desenvolvimento da Fantasy, Zaentz decidiu entrar na indústria do cinema. Em 1975, produziu – em parceria com Michael Douglas – o filme “One Flew Over the Cuckoo's Nest”, protagonizado por Jack Nicholson e Louise Fletcher, e dirigido por Miloš Forman. O filme venceu cinco Oscars, incluindo o de Melhor Filme.
Dois anos depois, produziu “Three Warriors”, realizado por Kieth Merrill. No ano seguinte, foi produtor da animação “The Lord of the Rings”, dirigida por Ralph Bakshi.
Após seis anos longe da produção, voltou em 1984 com “Amadeus”, novamente sob a direcção de Forman. O filme venceu oito Oscars e Zaentz ganhou o seu segundo prémio de Melhor Filme.
Nos anos seguintes, foi produtor executivo de “The Mosquito Coast” (1986), de “The Unbearable Lightness of Being” (1988) e de “At Play in the Fields of the Lord” (1991).
Em 1995, o jornal “The New York Times” viu nele «o último dos grandes produtores do cinema independente». Nos anos 1990, recebeu vários prémios.
Em 1996, produziu “The English Patient”. O filme foi um enorme sucesso e venceu nove Oscars, com Zaentz a conquistar o seu terceiro Oscar de Melhor Filme. Recebeu, na mesma cerimónia, o Prémio Memorial Irving G. Thalberg. Quase dez anos depois, produziu a sua última película, “Goya's Ghosts” (2005), na sua terceira colaboração com Forman.
Saul Zaentz morreu aos 92 anos de idade, após uma longa batalha contra o mal de Alzheimer.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...