sábado, 25 de junho de 2011

EFEMÉRIDEGeorge Michael, de seu verdadeiro nome Georgios Kyriákos Panayótou, autor, compositor e cantor britânico, com mais de 100 milhões de álbuns vendidos, nasceu em Londres no dia 25 de Junho de 1963.
O pai era um restaurador grego, que se mudou para a Inglaterra em 1950, e a mãe foi uma dançarina inglesa, que morreu de cancro em 1997.
Envolveu-se na música como DJ, tocando também em clubes de juventude e em escolas.
Em 1981 criou o duo “Wham!” com o seu colega de estudo Andrew Ridgeley. Até à sua separação, em 1986, tiveram grande sucesso, sobretudo junto a um público de jovens adolescentes, na sua maioria feminino.
Lançou o seu primeiro compacto a solo em 1984, a balada “Careless Whisper”, que se tornou um hit mundial. Em 1987 editou “Faith”, álbum que foi publicitado com vários videoclipes notáveis. Na encruzilhada do pop com o rhythm'n'blues, o disco vendeu mais de vinte milhões de exemplares em todo o mundo. George Michael popularizou as calças jeans rasgadas e um brinco em forma de cruz apenas numa orelha, símbolos da moda dos anos 1980.
Em 1988 participou no “Mandela Day”, realizado no Estádio de Wembley. Em 1989 ganhou numerosos prémios, entre os quais: três American Music Awards e um Grammy Award, em compita com outras celebridades da canção como Michael Jackson, Prince e Madonna.
O álbum “Listen Without Prejudice - Vol. 1” foi lançado em 1990. Recusou então conceder entrevistas e aparecer nos clipes promocionais, acusando a sua editora, a Sony, de ter deliberadamente sabotado as vendas do disco e de querer mantê-lo em estado de “escravidão profissional”. Perdeu em 1993 o processo que movera contra a Sony, mas triunfou no Wembley, acompanhando o grupo Queen, por ocasião do show em homenagem ao cantor Freddie Mercury, vitimado pela Sida.
No plano pessoal sofreu um grande desgosto pela morte do seu companheiro, o estilista brasileiro Anselmo Feleppa. Inspirado nesta perda fez, três anos mais tarde, a canção “Jesus To A Child”, parte de um álbum dedicado a Anselmo e a António Carlos Jobim.
Em 1998 foi preso por atentado ao pudor dentro de um WC público de um parque de Beverly Hills, onde caiu numa armadilha provocada por um polícia à paisana. A revelação oficial da sua homossexualidade não surpreendeu muitos dos seus fãs nem lhe prejudicou a carreira.
Em 2002 atacou Tony Blair e George Bush, no início da guerra no Iraque, através do compacto “Shoot the Dog”. Os jornais de Rupert Murdoch iniciaram uma campanha que visava desacreditar o cantor.
Lançou em 2004 o álbum “Patience”, do qual foram vendidos três milhões de exemplares. George Michael anunciou que, a partir daquele momento, ia divulgar as suas obras essencialmente na Internet: «Gostaria que as pessoas pudessem descarregar gratuitamente as minhas canções, com a possibilidade eventual de fazer pequenas doações para obras de caridade».
Em 2005 cantou em duo com Paul McCartney e anunciou o seu casamento com o companheiro, Kenny Goss, já possível pela alteração da lei britânica sobre as uniões civis.
Em 2006 ocorreu o lançamento do documentário “A Different Story”, um filme sobre a sua vida, exibido unicamente em DVD. Em Outubro desse ano voltou a ter problemas com a justiça, ao ser encontrado a dormir sobre o volante de seu carro.
Voltou aos palcos em Maio de 2006, iniciando uma tournée mundial para festejar os 25 anos de carreira. Em 2007 fez um concerto em Coimbra, dando início à sua digressão europeia.
Em Maio de 2008, George Michael viu a sua carta de condução apreendida por dois anos, depois de ser considerado culpado por conduzir sob o efeito de drogas. Em 2010 foi condenado a oito semanas de prisão, depois de ter provocado um acidente de carro em Londres. O cantor, que estava sob o efeito de cannabis, embateu com a sua viatura numa loja de fotografia, foi multado e proibido de conduzir durante mais cinco anos.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...