terça-feira, 29 de novembro de 2011




EFEMÉRIDE – Domenico Gaetano Maria Donizetti, compositor de óperas italiano, um dos mais fecundos do Romantismo, nasceu em Bérgamo no dia 29 de Novembro de 1797. Morreu na mesma cidade em 8 de Abril de 1848.


Nasceu numa família pobre sem tradições musicais mas, em 1806, foi um dos primeiros alunos de uma escola caritativa de Bérgamo. Mais tarde, iniciou os seus estudos musicais em Bérgamo e, seguidamente, em Bolonha. As suas primeiras peças foram composições religiosas.


Em 1814 regressou a Bérgamo, ficando responsável pela música na Igreja de Santa Maria Maggiore. Em 1818 foi representada em Veneza a sua primeira ópera, “Enrico di Borgogna”.


O seu primeiro grande sucesso foi “Esule di Roma”, estreada em 1828 em Nápoles. Ajudado pela sua criatividade e por uma força de trabalho fora do comum, começou então a coleccionar êxitos. Em Dezembro de 1830 triunfou no Teatro Carcano de Milão com “Ana Bolema”. Esta ópera não tardou a ser representada em Paris, Londres, Madrid, Dresde e até em Havana.


Novo sucesso em Maio de 1832 com “Eisir d'amore”, representada no Teatro della Canobbiana em Milão. Todos estes sucessos valeram-lhe ser nomeado em 1834 mestre de capela e professor de composição no Real Collegio (conservatório) de Nápoles.


Em 1835, a convite de Rossini, deslocou-se a Paris onde apresentou “Marin Faliero” no Théâtre des Italiens. Neste mesmo ano foi feito cavaleiro da Legião de Honra pelo rei Luís-Filipe. Seguiram-se vários êxitos, mesmo depois da morte de sua mulher em Julho de 1837, facto que o mergulhou numa profunda depressão.


No ano seguinte, a proibição pela censura napolitana de “Poliuto” e a decepção por não ter sido nomeado director do conservatório depois da morte de Zingarelli, levaram-no a abandonar Nápoles e a instalar-se em Paris. Em colaboração com Eugène Scribe, criou então uma série de óperas que se tornaram clássicos do reportório lírico mundial. Em 1843 compôs “D. Sebastião, rei de Portugal”, uma “grande ópera” composta em apenas dois meses.


De 1842 a 1846 não parou de viajar, principalmente entre Paris, as grandes cidades italianas e Viena, onde foi nomeado mestre de capela da corte em 1842.


Começou por essa época a sentir as consequências da sífilis, que o iriam impedir de trabalhar. Perdeu a fala, não podia andar e, a pouco a pouco, enlouqueceu. Internado num manicómio em Ivry-sur-Seine, foi posteriormente transferido para uma casa de saúde da sua terra natal, onde faleceu um ano depois.


Donizetti é muito conhecido pelas suas óperas, mas também compôs outros tipos de música. Ao todo foi autor de 71 óperas, 13 sinfonias, 18 quartetos, 3 quintetos, 28 cantatas e 115 outras composições religiosas, sem contar com um número importante de outras peças de música de câmara, oratórios e “peças de salão”.


Herdeiro de Rossini, rival de Bellini, precursor de Verdi, ele faz parte juntamente com eles do grupo de principais compositores do século XIX.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...