sábado, 12 de novembro de 2011




EFEMÉRIDEPaulinho da Viola, de seu verdadeiro nome Paulo César Batista de Faria, cantor, compositor e violonista brasileiro, nasceu no Rio de Janeiro em 12 de Novembro de 1942.


Paulinho da Viola cresceu num ambiente naturalmente musical. Na sua infância em Botafogo, bairro tradicional da zona sul do Rio, teve contacto constante com a música através do pai, violonista integrante do conjunto Época de Ouro. Nos ensaios familiares do conjunto, conheceu Jacob do Bandolim e Pixinguinha, entre muitos outros músicos que se reuniam para fazer choros e cantar valsas e sambas de diferentes épocas.


No início da sua carreira, foi parceiro de nomes ilustres do samba carioca, como Cartola, Elton Medeiros e Candeia. Destacou-se como cantor e compositor de sambas, mas também compõe choros e é tido como um dos mais talentosos representantes da chamada Música Popular Brasileira.


Ao longo dos anos 1970, gravou em média um disco por ano, ganhou diversos prémios e apresentou-se em diversas cidades do Brasil e no estrangeiro. Nos anos 1980, gravou mais quatros discos e manteve-se como um dos principais nomes do samba. Nos anos 1990, entrou numa nova fase, onde a imprensa e os críticos passaram a vê-lo como um músico mais sofisticado e maduro. Sem perder o carácter popular, Paulinho gravou então um dos seus mais importantes trabalhos, “Bebadosamba”, e montou um espectáculo com o mesmo nome.


As suas composições são hoje vistas como um elo de ligação entre diversas tradições populares, como o samba, o carnaval e o choro. Tem feito algumas peças de vanguarda, estando permanentemente a renovar-se e a produzir novas obras, sem abandonar todavia os seus princípios e valores estéticos.


Desfila todos os anos com a Escola de Samba Portela. É fanático torcedor do Vasco da Gama, além de ser um exímio jogador de bilhar (sinuca), talento reconhecido por grandes mestres da modalidade. Apareceu no filme “Saravah” de Pierre Barouh.

Sem comentários:

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...