segunda-feira, 29 de outubro de 2012

EFEMÉRIDEAnna Aleksandrovna Yegorova, piloto da aviação soviética durante a II Guerra Mundial, morreu em Moscovo no dia 29 de Outubro de 2009. Nascera perto de Kouvchinovo, em 23 de Setembro de 1916.  
Aprendeu a voar e tornou-se instrutora ainda antes da guerra. Ofereceu-se como voluntária quando a Alemanha nazi invadiu a URSS em Junho de 1941.
Em 1941/1942 efectuou diversas missões de reconhecimento, integrada na 130ª Esquadrilha, aos comandos de um biplano em madeira Polikarpov Po-2. Depois de ter sido abatida, foi transferida em 1943 para o 805º Regimento Aéreo de Ataque e efectuou mais de 270 missões com um Iliouchine Il-2 Chtourmovik, incluindo combates por cima da península de Taman e na Polónia.
Em Agosto de 1944, durante uma missão contra as forças alemãs perto de Varsóvia, o seu avião foi atingido pelo inimigo, tendo-se incendiado. Voando a baixa altitude, Yegorova queimou-se gravemente ao abandonar o avião e o pára-quedas só se abriu parcialmente. Sofreu diversas fracturas e lesões internas ao atingir o solo. Recebeu os primeiros cuidados da parte dos seus captores, sendo levada depois para um campo de prisioneiros.
Na URSS, foi considerada morta, sendo agraciada a título póstumo como Herói da União Soviética. Ela, no entanto, continuava num campo de prisioneiros de guerra alemão, onde era tratada pelo médico Gueorgui Siniakov.
Em 31 de Janeiro de 1945, as forças soviéticas libertaram o campo de prisioneiros de Küstrin, onde ela se encontrava detida. Suspeita de traição, foi presa e interrogada durante onze dias. Segundo a lei da época, qualquer cidadão soviético capturado vivo pelo inimigo era considerado um traidor e passível de pena de morte ou de afectação num batalhão disciplinar. Graças porém ao testemunho de outros prisioneiros de guerra, acabou por ser libertada mas a suspeita manteve-se durante vários anos.
Foi dispensada da Força Aérea Soviética por razões de saúde em 1945. Em 1961, Yegorova foi relembrada num artigo da “Literatournaïa gazeta”, sendo finalmente condecorada  com a medalha de Herói da União Soviética em 1965. Morreu em 2009, com 93 anos.

2 comentários:

Luciano Craveiro disse...

Traidora por ter sido capturada pelo inimigo?

Gostei deste blogue de efemérides!

Gabriel de Sousa disse...

Obrigado pelo seu comentário
Gabriel de Sousa

Arquivo do blogue

Acerca de mim

A minha foto
- Lisboa, Portugal
Aposentado da Aviação Comercial, gosto de escrever nas horas livres que - agora - são muito mais...